Seguidores

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Gustavo Capanema


Gustavo Capanema (1900-1985) nasceu em Pitangui, onde também deu início a sua vida pública, com a vereança. Em 1924 forma-se em Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Minas Gerais, regressando à sua cidade natal onde exerce a advocacia e o magistério na Escola Normal, como professor de Psicologia Infantil e Ciências Naturais, período em que também é eleito vereador. Com o retorno para a capital mineira, em 1930, ocupa cargos no governo de Minas de Gerais. Criado em 1930, o Ministério da Educação e Saúde Pública, foi ocupado inicialmente por Francisco Campos, que dá lugar, em julho de 1934, a Capanema, que permanecerá no cargo até 1945, apadrinhado por Alceu Amoroso Lima, liderança intelectual representativa do pensamento católico. Já no Ministério irá se cercar de modernistas e intelectuais como Carlos Drummond de Andrade (chefe de gabinete), Mário de Andrade (autor do anteprojeto de criação do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e Rodrigo Melo Franco de Andrade (responsável pela implantação do SPHAN e seu diretor por trinta anos). Em 1937 encaminha ao Congresso o Plano Nacional de Educação. Em 1942, sob os auspícios do estado novo e por iniciativa de Capanema, iniciam-se as reformas de ensino, de níveis (primário e secundário) e modalidades (ensino técnico profissional: industrial, comercial, normal e agrícola), traduzidas nas chamadas “leis orgânicas do ensino”, que se estendem até 1946.
Faleceu na cidade do Rio de Janeiro em 10 de março de 1985. Era casado com Maria de Alencastro Massot, filha do coronel Afonso Emílio Massot, comandante por mais de 20 anos da Brigada Militar do Rio Grande. Teve dois filhos.

Trajetória política: Capanema foi vereador em Pitangui, pelo Partido Republicano Mineiro (1927-1930); oficial de gabinete de Olegário Maciel, presidente de Minas Gerais (1930); secretário do Interior de Minas Gerais (1930-1933); um dos organizadores da Legião Liberal Mineira (1931) e do Partido Progressista de Minas Gerais (1933); interventor interino em Minas Gerais (1933); ministro da Educação e Saúde (1934-1945); deputado à Assembléia Nacional Constituinte de 1946 pelo PSD (Partido Social Democrático) de Minas Gerais e deputado federal pela mesma legenda (1946-1959); líder da maioria na Câmara de Deputados (1952-1955); [...] deputado federal pelo PSD-MG (1961-1965); [...] deputado federal pela Aliança Renovadora Nacional-MG (1966-1971); senador pela mesma legenda (1971-1979)


Ps.: Por sua força e habilidade política, nosso "nobre pitanguiense" pouco fez (ou quase nada fez) pela nossa cidade !!!!!!!!!

2 comentários:

  1. Que bom ver uma postagem sua por aqui, Dênio!
    Concordo com você,não fez nada pela cidade e é tratado como Heroi, grande vulto.
    Já li em algum lugar que ele nasceu em Onça,mas tinha vergonha e falava que tinha nascido em Pitangui.Será?
    Abração.

    ResponderExcluir
  2. Não sei se acrescenta alguma coisa lembrar que o nome Gustavo Capanema batizou um edifício famoso mundialmente, no Rio de Janeiro. O prédio é considerado um marco da arquitetura moderna brasileira e, se não me engano, é obra de Oscar Niemeyer.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.