Seguidores

domingo, 25 de outubro de 2009

Nestor de Aguiar: um pitanguiense na Segunda Guerra Mundial


Dentro de nossa proposta de resgatar a memória histórica de Pitangui, trazemos nesta postagem um verdadeiro herói, que como muitos brasileiros foram lutar na Europa. Trata-se de Nestor de Aguiar, combatente da FEB (Força Expedicionária Brasileira) que lutou nos campos de batalha da Itália durante a Segunda Guerra Mundial. Sua Filha, a professora Edilma de Freitas Aguiar Barcelos, que gentilmente me recebeu em sua residência na tarde de sexta feira, 23, é a guardiã de um verdadeiro tesouro, objetos pessoais da campanha na Itália: condecorações, trajes militares, postais italianos e álbuns de fotografias pertencentes a seu pai. Neste encontro Edilma me relatou algumas histórias que seu pai lhe contara sobre a guerra enquanto folheavámos os álbuns de fotografias e pastas de documentos.

Edilma Aguiar - Foto: Licínio F.


O Brasil na Segunda Guerra Mundial

Com a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, em 1941, o Brasil, honrando compromissos firmados com o governo estadunidense rompe com as forças do Eixo (Alemanha, Itália e Japão) em 1942.

"O preço dessa decisão não tardou a ser cobrado, com o afundamento de navios mercantes na costa brasileira. A partir daí, com a população enfrentando as restrições impostas pelo cotidiano da guerra, iniciou-se forte mobilização civil e militar contra o Eixo. Mas apesar desse movimento crescente em direção ao alinhamento do Brasil aos Estados Unidos, as vitórias dos alemães na Europa e na África continuaram a exercer forte influência sobre as Forças Armadas, o que levou "aliadófilos" e "germanófilos" a se entrechocar por mais algum tempo dentro do governo brasileiro. Finalmente, em agosto de 1942, iria começar a história do Brasil na guerra." (FGV-CPDOC)

Nestor de Aguiar - Foto: Acervo Edilma Aguiar

Segundo Edilma, seu pai já servia o exército em 1941, com o rompimento do Brasil com os países que compunham o Eixo, Nestor permaneceu nas fileiras do exército, em treinamento para a guerra. Estes treinamentos ocorreram em Belo Horizonte, Vitória e Rio de Janeiro até seu embarque para a Itália em 1944.


Medalha de Campanha
recebida por Nestor de Aguiar



Diploma da Medalha de Campanha
Acervo Edilma Aguiar
Foto: Licínio Filho



Placas de identificação militar
foto: Licínio Filho

Nestor de Aguiar serviu na Itália de outubro de 1944 a setembro de 1945, participando de várias batalhas, destacando-se a tomada de Monte Castelo (21/02/1945) e Montese (16/04/1945). Incorporado ao 11º Regimento de Infantaria, lutou seis meses na "Linha de Frente" como 1º atirador de bazuca.


Página do jornal Estado de Minas de 22/02/1973,
comemorativa ao 38º aniversário da tomada
de Monte Castelo pela FEB.

Acervo Edilma Aguiar.


Quepe e luvas militares usadas
por Nestor de Aguiar.
Acervo Edilma Aguiar
Foto: Licínio Filho


Cantil que Nestor encontrou com
um soldado alemão morto em combate.
Acervo Edilma Aguiar.
Foto: Licínio Filho


Uniforme da FEB.
Acervo Edilma Aguiar.
Foto: Licínio Filho


Nestor de Aguiar faleceu em julho de 1988. Este material ficou aos cuidados do irmão mais velho de Edilma, Edson de Freitas Aguiar. Após seu falecimento Edilma passou a cuidar deste precioso acervo histórico.

Álbum com Postais italianos da época da guerra. Ao centro imagem
dos corpos de Benito Mussolini,sua mulher e colaboradores,
mortos pela resistência italiana.


Assista ao vídeo abaixo sobre a tomada de Monte Castelo baseado em livro de Joel Silveira, jornalista brasileiro que atuou como correspondente de guerra na Itália, durante a Segunda Guerra Mundial.






BlogBlogs.Com.Br

18 comentários:

  1. A Edilma nos proporcionou uma oportunidade única, foi muito bacana o encontro onde pude apreciar um vasto material.
    Tudo isso aqui sem que as pessoas tomassem conhecimento.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Foi um imenso prazer receber o professor Licínio para uma conversa pra lá de agradável e ver o grande entusiasmo com que ele olhava todo o material. Fiz uma viagem no tempo!Aliás, bons tempos em que meu pai nos relatava casos e casos de sua permanência na Itália. Além da boa lembrança do Edson, primeiro guardião do acervo.
    Em nome de toda a família, obrigada, professor!!
    Edilma Aguiar.

    ResponderExcluir
  3. Edilma,
    nós é que agradecemos a sua boa vontade em ceder tão precioso material para a nossa postagem.Em breve vamos nos encontrar para selecionarmos outros materiais para uma futura postagem.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Adorei esta postagem. Como neta de Nestor de Aguiar, senti um imenso orgulho. Quando meu avô faleceu, eu ainda era muito nova e não participei das rodas de histórias. Mas meus tios e minha mãe (Edna) já me contaram algumas delas. Hoje estou morando em Aracaju/ SE e faço questão de divulgar para meus amigos o trabalho de vocês.
    Parabéns pela postagem.

    Abraço,

    Mayra Rachel de Aguiar Fonseca

    ResponderExcluir
  5. Olá Mayra, seja bem-vinda.
    Você deve mesmo se orgulhar de seu avô, pois ele viveu uma experiência extraordinária, enfrentou uma guerra e sobreviveu.
    Obrigado por divulgar nosso blog.
    Um fraterno abraço.

    ResponderExcluir
  6. Muito interessante, é bom todos pitanguienses terem memorias de pessoas tao importantes q ja passaram em nossa cidade, eu como neto de Nestor Aguiar, sempre soube das historias e via as recordaçoes aqui em casa quando elas estavam com meu pai (Edson Aguiar) e fico mt orgulhoso, o blog esta de parabens obrigado pela materia.

    "Edson de Freitas Aguiar Júnior"

    ResponderExcluir
  7. Edson,
    nós também nos sentimos orgulhosos por podermos resgatar uma história de vida tão rica.Obrigado pela visita e seja sempre bem-vindo.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Licínio,

    Fiquei muito feliz com sua postagem, por você valorizar a nossa história. Assim como meus familiares, sinto-me honrada pelo meu avô Nestor, que infelizmente se foi quando eu tinha apenas 5 anos. Mas sua postagem me fez lembrar com imensa saudade de meu tio Edson, pois era ele quem nos contava orgulhoso as muitas histórias do vovô. Um abraço.

    "Lidiane Aguiar Faria"

    ResponderExcluir
  9. Olá Lidiane,
    graças ao empenho de seu tio Edson e agora da Edilma tivemos a oportunidade de resgatar uma história tão bonita.
    Agradeço a sua visita, seja sempre bem-vinda.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Professor Licínio,

    Fiquei muito feliz com a sua inciativa em relembrar a participação do Nestor na 2ª guerra. Ele serviu a pátria e não se cansava de demonstrar seu orgulho por isso. Em nome dos meus filhos, netos e bisnetos, muito obrigada!

    Conceição de Freitas Aguiar

    ResponderExcluir
  11. Olá D. Conceição,
    Eu é que agradeço a senhora e a sua família pelas palavras.Elas me estimulam a continuar com este trabalho de resgate da memória de Pitangui.Os herois brasileiros que lutaram na 2ª Guerra Mundial não podem ser esquecidos.
    Seja sempre bem vinda.
    Um fraterno abraço.

    ResponderExcluir
  12. Professor Licínio,
    Parabéns pela postagem sobre a 2a Guerra Mundial,principalmente por relembrar nossos heróis brasileiros que lá estiveram e,entre eles,meu tio Nestor.Sentimos muito orgulho dele e daqui de Itaúna onde resido quero lhe agradecer por esta homenagem.
    Um grande abraço,
    Maria da Conceição F.Lopes

    ResponderExcluir
  13. Olá Maria,
    fico feliz pelo reconhecimento,resgatar a memória é uma forma de preservar a história, e esta postagem se propôs a isso.Seu tio doou sua coragem para defender a liberdade e merece também nossa admiração.
    Em nome da equipe do "Daqui de Pitangui" agradeço.
    Volte sempre.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  14. Belo trabalho do sr. Nestor, justa homenagem Licínio. É isso mesmo, é preciso valorizar o que é da nossa terra!

    ResponderExcluir
  15. A história do Sr. Nestor é muito bonita, imagine ir a uma guerra.
    Tenho conversado com a Edilma e postarei um novo material sobre o Sr. Nestor,aguarde para breve.
    Abração

    ResponderExcluir
  16. Parabéns por esta matéria com o Sr. Nestor Aguiar. Tenho a honra de ser amigo de alguns dos seus filhos, e esta é uma justa homenagem, mostrar aos pitanguienses, também o lado bom de Pitangui, pessoas que ajudaram a fazer a diferença para melhor em nossa história.

    att. Nicodemos Rosa.

    ResponderExcluir
  17. Nicodemos,
    compartilho de seu pensamento, Pitangui tem muita coisa boa para mostrar. O Sr. Nestor nos mostra isso e você também, com suas maravilhosas fotografias.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.