Seguidores

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Trekking:do São Francisco à Cruz do Monte Parte II


Chegada ao Alto da Cruz do Monte

Flores silvestres


Como havia escrito na primeira parte desta postagem, após uma hora de caminhada chegamos ao alto da Cruz do Monte. Lá paramos para beber água, apreciar a paisagem e trocar um dedinho de prosa com os companheiros que lá encontramos. Um deles é o Toninho morador e guardião da Cruz do Monte.

Da esquerda para a direita Licínio, Léo Morato, Toninho e Dênio


Magia da natureza - Foto: Léo Morato

Após um breve descanso nos preparamos para por o pé na trilha novamente, desta vez desceríamos a serra por uma trilha até sairmos na Penha. Pra baixo todo santo ajuda.

Um outro olhar - Foto: Léo Morato

Apreciando a paisagem
Foto: Licínio Filho



Caminhando no meio da mata do Céu
Foto: Léo Morato



Chegando na Penha através do Bairro Dona Judith



Fundos da Capela da Penha - Foto: Léo Morato
Caminhamos em torno de 1:45 h. até chegarmos ao bairro da Penha. A cada caminhada vamos descobrindo as belezas naturais de Pitangui.

9 comentários:

  1. A Igreja/capela era azul!! Lá do alto do morro, o sino anunciava a chegada dos tempos matinais de louvor e oração: a missa dominical.

    Show!!!

    ResponderExcluir
  2. "E sai o povo pelas ruas a cobrir
    De areia e flores as pedras do chão
    Nas varandas vejo as moças e os lençóis
    Enquanto passa a procissão
    Louvando as coisas da fé"


    Milton Nascimento e Fernando Brant

    ResponderExcluir
  3. Oi Licinio,vim retribuir a visita e dizer que amei Pitangui...belo trabalho...parabéns !!
    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Oi Beth,
    seja bem-vinda, aqui buscamos compartilhar um pouco de nossa cidade e fazer novos amigos.
    Fiquei feliz por sua visita, volte sempre.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. A caminhada foi muito boa, parabéns pela postagem Licínio!
    Aproveitando a foto da Igreja da Penha e dando sequencia ao assunto...

    Lá em baixo vinha o povo animado, subindo o Morro do Batatal.
    Levando o mastro com a bandeira do Santo,
    cantavam os versos em quadra:
    "Sete e sete são quatorze
    Ô num bambeia não
    E mais sete é vinte e um
    Ô num bambeia não"...

    ResponderExcluir
  6. Venho aqui dar uma espiadinha e agradecer a sua visita no meu blog. Obrigada também por suas palavras carinhosas para com o meu trabalho.
    Quando quiser ouvir uma história é só clicar em FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
    Tenha um BOM DIA.
    Que a PAZ e o BEM esteja sempre com você.
    Saudações Florestais !

    ResponderExcluir
  7. Oi Léo,
    precisamos fazer uma postagem sobre o "Bambeia".
    Abração.

    ResponderExcluir
  8. Oi Silvana,
    obrigado pelas palavras. Já criamos um link de seu blog em nossa barra de menu, adoro as histórias postadas por você.
    Desejo tudo de bom pra você.

    Abraços.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.