Seguidores

sábado, 5 de dezembro de 2009

Escultura de Amílcar de Castro em Pitangui

Foto: Vandeir Santos

Há uns anos atrás, quando trabalhei como professor substituto na EPAMIG, em Pitangui, me surpreendi com uma "descoberta". Em uma área em frente ao prédio central da escola havia uma escultura que pude constatar ser de autoria do grande escultor mineiro Amílcar de Castro. Na escola as pessoas ignoravam, e penso que continuam ignorando a importância daquela escultura. Dênio Caldas e Vandeir Santos estiveram na "Escola Agrícola" para conhecerem a escultura e fizeram registros fotográficos. Infelizmente, a escultura se encontra em precário estado de conservação.


Dênio diante a escultura - Foto: Vandeir Santos


"O que caracteriza um artista é ele olhar para dentro de si mesmo . Toda experiência em arte é um experimentar-se, é a experiência de si mesmo, é uma pesquisa em você mesmo. Você não pode fazer experiências com os outros. Este silêncio do olhar para dentro à procura da origem das coisas é o grande problema da arte. Procurando a origem você fica original, e não, querendo fazer uma coisa diferente. É por isso que eu acho que criar está junto com viver, que arte e vida são a mesma coisa."

Amílcar de Castro



Foto: Vandeir Santos



Conheça um pouco da história de Amílcar de Castro

Amílcar Augusto Pereira de Castro (Paraisópolis, 6 de junho de 1920Belo Horizonte, 21 de novembro de 2002) foi um escultor, artista plástico e designer gráfico brasileiro. Foi o introdutor da reforma gráfica do Jornal do Brasil nos anos 1950, que revolucionou o diagramação, e design de jornais como um todo, no Brasil.

Estabeleceu-se em Belo Horizonte em 1934 e formou-se em Direito na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em 1945.

Freqüentou a Escola Guignard entre 1944 e 1950, onde estudou desenho com Alberto da Veiga Guignard e escultura figurativa com Franz Weissmann. Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1953, iniciando sua carreira de diagramador nas revistas Manchete e A Cigarra. Participou do Grupo Neoconcreto no Rio de Janeiro (1959-1961), e elaborou a reforma gráfica do Jornal do Brasil (1957/59). Durante os anos 60 fez a diagramação dos jornais Correio da Manhã, Última Hora, Estado de Minas, Jornal da Tarde e A Província do Pará, entre outros, além de ter trabalhado como diagramador de livros na Editora Vozes.

Após receber uma bolsa da Fundação Guggenheim e o Prêmio Viagem ao Exterior no XV Salão Nacional de Arte Moderna, em 1967, viajou para os Estados Unidos, fixando-se em Nova Jérsei. Em 1971 retornou a Belo Horizonte, dedicando-se a atividades artísticas e educacionais. Dirigiu a Fundação Escola Guignard (1974/77), onde ensinou expressão bidimensional e tridimensional. Foi professor de composição e escultura na EBA/UFMG (1979/90) e de escultura na FAOP (1979).

Amilcar de Castro é considerado pelos críticos e historiadores da arte um dos escultores construtivos mais representativos da arte brasileira contemporânea.

FONTE: WIKIPÉDIA

VISITE A PÁGINA OFICIAL SOBRE AMÍLCAR DE CASTRO CLICANDO AQUI.

Por acaso, encontrei este vídeo sobre a escultura de Amílcar de Castro na praça da Assembléia Legislativa, em Belo Horizonte. No vídeo há um depoimento de uma cidadão pitanguiense, Sávio Nunes de Freitas, então no 4º período do curso de Ciências Sociais.




6 comentários:

  1. Fala professor !!!!!
    Postagem sensacional !!!!
    Belos triângulos, mineiros, do Amilcar !!!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela contribuição Dênio, pois as fotos foram providenciais. Amílcar foi um grande expoente da mineridade através de sua arte.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Bela postagem, boas fotos e um ótimo conteúdo!
    A arte por toda parte.

    ResponderExcluir
  4. Geente, não acredito! Fiz um trabalho sobre Amílcar de Castro esses dias, tenho uma escultura desse grande artista perto de mim e nem sabia!

    ResponderExcluir
  5. Pois é, Bruna...tem uma escultura do Mestre Amílcar de Castro na Escola Agrícola tratada com pouco cuidado.Poucas pessoas em Pitangui ouviram falar em Amílcar, muito menos de sua obra.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.