Seguidores

sábado, 10 de abril de 2010

Manhã de sábado


Muito propício para esta manhã de sábado, é a poesia do amigo Betto Santiago, publicada em seu livro Filosofia Acidental, de 1995.

SABIÁ

Sábio, um sabiá
saudava as manhãs
de sábado.
Saboreava
a sina das asas:
Voava.
Sua casa era o ar
seu rumo, o acaso
Cantava.
Só contava consigo.
não fazia inimigos
deixava as arapucas
em paz.

3 comentários:

  1. Oi Léo,
    esta poesia casou bem com o dia de hoje, que está lindo em Pitangui.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Meus amigos, a poesia do Betto nos lembra:
    O alto astral das manhãs de sábado na terrinha.
    E que é preciso respeitar a natureza.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.