Seguidores

terça-feira, 27 de julho de 2010

Em torno do pilão uma nova amizade:mineiros e cearense em sintonia

Este blog é mesmo encantado,nos proporciona experiências tão maravilhosas que quase não acreditamos que sejam reais. No domingo, 25, postamos material sobre o Batista e a arte de fazer pilões. A postagem foi pensada como uma forma de reconhecer o talento de Batista e seu trabalho na madeira.
E a web é uma janela escancarada para o mundo mesmo,foi justamente a postagem do Batista que nos trouxe Dalinha Catunda , como é conhecida a cearense Maria de Lourdes Aragão Catunda, poetisa e cordelista, membro da Acadêmia Brasileira de Literatura de Cordel, onde ocupa a cadeira número 25, que tem como patrono o poeta e folclorista cearense Juvenal Galeno.
Dalinha - e já podemos chamá-la assim, pois nos parece tão próxima - nos mostrou como o pilão faz parte do cotidiano do povo do nordeste brasileiro. Com suas referências de infância, ela nos mostrou como se prepara a paçoca no pilão em sua terra natal e nós apresentamos a ela a família Caldas, que também conserva a tradição de preparar alimentos no pilão.
Pois bem, em meio a este clima de encontro de velhos amigos, Dalinha nos presenteou com uma maravilhosa homenagem em versos (originalmente postada em seu blog, Cantinho da Dalinha), homenagem esta à Pitangui, à amizade, que através da força da palavra nos faz reconhecermo-nos como iguais, brasileiros, irmãos. Reproduzimos abaixo os lindos versos de Dalinha:



O PILÃO NOSSO DE CADA DIA



Se você for a Pitangui
Em busca de tradição,
Vai achar em lavrado
Num bairro da região,
Um excelente artista
Conhecido por Batista,
Mestre em fazer Pilão.
*
Nordestino que se preza
Tem em casa um pilão.
Minas não é diferente,
Cheguei essa conclusão,
Pois vejo a família Caldas
Entretida e sem ressalvas
Fazendo paçoca em pilão.
*
A Nossa Santa paçoca,
Bendita em toda nação
Foi desjejum de vaqueiros,
E não faltava no matulão
Das antigas comitivas
Que já não são tão ativas,
Mas nos causam emoção
*
Este Pilão já deu samba,
Amigo pode apostar!
Agora só falta um bamba
Para o samba musicar.
Os versos dou de presente
Pra ver Pitangui contente
E ouvir seu povo cantar.

Dalinha Catunda

Conheça a arte de Dalinha Catunda acessando os links abaixo:

Cantinho da Dalinha

Cordel de Saias

3 comentários:

  1. Êita que o negócio aqui hoje tá é animado!!! A inspiração tá solta no ar. Vejo a alegria ecoar de suas palavras, professor; e Alma nos versos da nossa nova amiga. Na amizade, nas artes e na vida, as pontes são muito mais legais do que os muros!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Licínio,

    Realmente este intercâmbio me interessa, pois gosto de saber a cultura de cada estado.
    O pilão já faz parte dos meus poemas, pois desde sempre fez parte da minha vida.
    Se no poema prestei uma merecida homenagem a Pitangui, também me sinto homenageada neste texto que você postou.
    Esse clima de amor a terra natal é verdadeiramente envolvente e sente-se através do blog.
    Gostei da frase de Leonardo: “As pontes são muito mais legais do que os muros”
    Parabéns pelo texto e obrigada pela parte que me toca.
    Dalinha Catunda

    ResponderExcluir
  3. Dalinha,
    seus versos muito nos alegrou.Eu tentei reproduzir esta alegria no texto da postagem.Ontem foi dia de paçoca na casa do Dênio e seu poema foi muito comentado entre os presentes, todos da família Caldas ficaram muito felizes com a homenagem.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.