Seguidores

terça-feira, 26 de outubro de 2010

A SOLITÁRIA CRUZ DO LAVRADO




Muitos podem estranhar a cruz que hoje se encontra na esquina das ruas Alexandre Lacerda com Paulo Dias Maciel no Lavrado, junto ao muro da cadeia. Tal objeto que no passado foi adotado pelos romanos como forma de imputar a pena de morte aos subversivos, dentre eles Jesus, virou um símbolo quase universal do cristianismo significando não só o sofrimento do Messias para nos salvar, como também o fim de vida de cada cristão. No caso da cruz do Lavrado, ela indica o local de uma fatalidade, mais especificamente a morte de Pedro Alves de Campos, o Pedro Neném, filho de Neném Batista, morador da localidade de Brejinho, próxima ao hoje distrito de Campo Grande. Mas o que estaria fazendo uma cruz em plena área urbana, junto ao muro de uma cadeia, quando o mais comum é vê-las na beira de estradas ?
Acontece que naquela época, 30 de janeiro de 1943, a rua Alexandre Lacerda era o trecho final da estrada carreira que ligava a região de Campo Grande a Pitangui e Pedro Neném tinha como uma das fontes de renda a venda de lenha na cidade. Após a entrega da carga, Pedro retornava para casa tangindo o carro de boi de cima do seu cabeçalho quando foi vitimado por um ataque cardíaco fulminante. Conta-se que no momento da queda os bois imediatamente estancaram a marcha evitando que as rodas do carro passagem sobre o fazendeiro.





É interessante o empenho dos familiares em preservar a cruz. Recentemente ela foi renovada, está lá, bonita, imponente, lembrando a todos que ali morreu Pedro Alves de campos, filho da ilustre terra.




Vandeir Santos

10 comentários:

  1. realmente mto lgl! passo la direto e nunca tinha percebido essa cruz! hahah

    ResponderExcluir
  2. Pois é Gustavo...ela está lá e tem uma história.
    Apareça mais vezes.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Abordagem interessante, Licínio! Parabéns pela pesquisa, Vandeir!

    ResponderExcluir
  4. Massa de mais Vandeir, sempre quis saber a história daquela cruz, ou do falecido ali representado.
    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Léo,
    o texto do Vandeir ficou muito bom e esclarecedor.

    ResponderExcluir
  6. Olá Ricardo,
    eu também tinha muita curiosidade sobre aquela cruz,mas agora Vandeir nos esclareceu esta história.

    ResponderExcluir
  7. Eu sou bisneta de Pedro Alves de Campos e confesso que fiquei emocionada a ler esse texto. Já sabia que ele havia falecido de infarto, porém minha Família Mineira não comenta muito isso.
    Parabéns para vocês todos que tiveram a iniciativa do Blog e em especial para meu Primo Vandeir, que além de me apresentar o Blog, escreveu o texto.
    Amo Pitangui pena que está muito longe de mim.

    ResponderExcluir
  8. Sejam bem vindos ao blog.
    O Vandeir vem colaborando com o blog e esta postagem foi um resgate interessantíssimo sobre a sua família.
    Obrigado pelas palavras de incentivo,
    Abrareça sempre.
    Abraços.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.