Seguidores

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

A vida e a obra de Sílvio Gabriel Diniz

Nesta postagem fazemos uma homenagem à memória do historiador Sílvio Gabriel Diniz, com certeza, quem mais se debruçou sobre a história de Pitangui, escrevendo algumas obras fundamentais para o entendimento das origens de nosso município.
Nosso colaborador, Vandeir Santos, conseguiu entrar em contato com a família de Sílvio Gabriel Diniz e colheu junto à Otávio Gabriel Diniz, filho do historiador, um belo depoimento sobre a trajetória do pai e suas pesquisas sobre Pitangui. Leia abaixo o artigo produzido por Vandeir.
Desde já queremos agradecer à Otávio, que gentilmente recebeu Vandeir em sua residência e disponibilizou material fotográfico de seu acervo, além do depoimento, para complementar a postagem. Aos familiares de Silvio Gabriel Diniz queremos manifestar o nosso reconhecimento ao relevante trabalho de pesquisa desenvolvido por ele e , que contribui para a preservação da memória de Pitangui.




--------------------------------------------------------------------




É praticamente impossível tentar conhecer a história de Pitangui sem ter contato com as obras do historiador e pesquisador Silvio Gabriel Diniz. Nascido a 25 de março de 1917, este curvelano, estudou no Caraça e formou-se Engenheiro-Agrônomo pela então Escola Superior de Agronomia de Viçosa. Dirigiu a Escola Média de Agricultura de Florestal. Nesta época se casa com Clarice Moreira Diniz, natural de Pará de Minas, com a qual teve 6 filhos. Ajudou a fundar a Sociedade Rural de Pará de Minas, embrião do atual Sindicato Rural daquela cidade. Atuou depois na Secretaria de Estado da Agricultura e posteriormente na CAMIG. Pertenceu ao Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais e a várias outras entidades ligadas à historiografia e à cultura. Colaborou na grande imprensa e em jornais de Curvelo e região, bem como nas revistas das instituições de que fez parte.
Embora Engenheiro-Agrônomo e com sua carreira profissional toda ligada a esta área, Silvio herdou do pai, o também historiador Antonio Gabriel Diniz, a paixão pela história e é justamente o trabalho do pai em resgatar a história de Curvelo que marca o início do envolvimento do autor com esta matéria, auxiliando-o na elaboração da obra “Dados Para a História de Curvelo”. Segundo Otávio Gabriel Diniz, filho de Silvio, é bem provável que o pai tenha se envolvido com a história pitanguiense estudando a genealogia da família da esposa que era de Pará de Minas mas tinha parentes em Pitangui. Outro fator que pode ter contribuído para este envolvimento é o fato do co-cunhado de Silvio, Rômulo Soares, ter sido delegado de Pitangui na década de 60. A importância dos acontecimentos na Vila de Nossa Senhora da Piedade de Pitangui com certeza fascinaram o historiador, fazendo com que o mesmo revirasse os arquivos e desse início as mais importantes obras sobre a história da cidade.

Nas vésperas das comemorações dos 250 anos de Pitangui, o prefeito José Morato solicita ao ilustre historiador que transformasse em livro as pesquisas que vinha fazendo a respeito da história da cidade afirmando que tal obra “...irá tirar-nos desta solidão histórica em que vivemos...” . Tendo em vista a urgência do pedido, em 1965 Silvio edita “Pesquisando a História de Pitangui”, onde descreve os aspectos históricos, políticos e até mesmo topográficos da cidade no período que vai do descobrimento até o início do séc. XIX. Tal urgência não permitiu ao autor compilar todos os resultados de suas pesquisas e em 1966 a obra é complementada pelo livreto “Capítulos da História de Pitangui”, muito provavelmente, motivado pelo mesmo rigor investigativo que herdara do pai. Em 1969 Silvio encerra sua trilogia sobre a 7ª vila com o livro “O Gonçalvismo em Pitangui”, onde aborda o conturbado período político que vai do final do séc. XIX ao início do Séc. XX.
Atualmente apenas as duas últimas obras estão disponíveis para compra na internet (http://www.estantevirtual.com.br/). A principal - “Pesquisando a História de Pitangui” - é rara, mas sem dúvida é peça fundamental na biblioteca de todo aquele que deseja conhecer a verdadeira história de Pitangui. Na véspera dos seus 300 anos é imprescindível que a cidade seja presenteada com a reedição dos três livros, permitindo as novas gerações o acesso a tão preciosas informações. A família já se dispôs a colaborar.
Silvio faleceu em Belo Horizonte, a 4 de junho de 1987, no dia seguinte ao de sua morte, o “Estado de Minas” prestou-lhe comovente homenagem.








Vandeir

3 comentários:

  1. Fico muito feliz e orgulhoso pelo carinho à nossa família e pelo reconhecimento do valor da obra de meu pai.
    Quero também parabenizar aos autores e colaboradores desse blog pitanguiense, muitíssimo interessante, prazeroso de navegar e de curtir suas matérias de excelente nível.
    Tive oportunidade de conhecer essa cativante cidade, em minha adolescência e guardo inesquecíveis lembranças dessas passagens e amizades que atravessam o tempo.

    Otávio Gabriel Diniz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Otávio, estou escrevendo minha dissertação sobre historiadores de Minas Gerais, e estudando especificamente a Revista de História e Artes. Nela me deparei com o nome de seu pai, que figura entre os mais assíduos autores. estou fazendo um estudo dessa geração que muito contribuiu para a História de Minas Gerais, e qualquer informação sobre ele e seus companheiros intelectuais seria de grande ajuda. meu email é camilakeziarf@yahoo.com.br. se quiser mais detalhes, posso enviar os artigos que já escrevi e publiquei. um grande abraço, e parabéns pelos trabalhos de seu pai!

      Excluir
  2. Caro Otávio,
    seja bem vindo ao blog.
    Nos honra muito podermos fazer esta homenagem a o seu pai.Além de resgatar o trabalho desenvolvido por ele é também uma ótima oportunidade para apresentá-lo aos pitanguienses e demais interessados na história de Minas Gerais.
    Agradecemos a sua presteza em nos atender e nos colocamos a sua disposição.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.