Seguidores

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

1ª Mostra de Cinema de Pitangui

Está rolando no You Tube um vídeo com a vinheta da 1ª Mostra de Cinema de Pitangui, que acontece entre os dias 11 e 15 de novembro. É com estranheza que percebemos a falta de divulgação de um evento deste porte na cidade, não vejo ninguém comentando.
Mas, nós do "Daqui de Pitangui", cumprindo nosso compromisso de divulgar a cidade e os eventos que aqui ocorrem apresentaremos o vídeo de divulgação e aproveitamos para convidar todos os nossos frequentadores a participarem da Mostra e divulgá-la.
Pensamos que este evento será um marco, um divisor de águas, uma janela para que Pitangui entre no circuito de Mostras e Festivais de cinema, que atraem milhares de visitantes aos locais onde ocorrem,basta lembrar da Mostra de Cinema de Tiradentes/M.G.
Então, vamos divulgar este evento cultural, abandonar o olhar provinciano e adotar uma postura mais cosmopolita.




Vandeir Santos nos enviou este material,um pequeno release de alguns convidados da 1ª Mostra de Cinema de Pitangui. Confira.


Debate após as sessões com os convidados


Bel Noronha: Produtora e diretora de documentário. Responsável pela produção de finalização em “Casa Grande & Senzala II, III e IV”, de Nelson Pereira dos Santos; “Onde a Terra Acaba”, de Sérgio Machado; “6 Histórias Brasileiras” (O Vale/Santa Cruz/Ensaio Geral/Passageiros/A Família Braz/Um dia qualquer), de João Moreira Salles, Arthur Fontes e Isabel Jaguaribe; “O Avesso da Bossa”, de Rogério Gallo. Em 2006 fez a Curadoria e Produção Executiva da exposição “Christo Redemptor” no ArtSESC/EJ. Em 2008 lançou o longa-metragem “De Braços Abertos”.

Christian Caselli: Roteirizou e editou cerca de 40 clipes e curtas. Um dos projetos mais conhecidos é “O Paradoxo da Espera do Ônibus”, com mais de 430 mil acessos no Youtube. Christian é também oficineiro de vídeo, trabalha na Mostra do Filme Livre, já tendo recebido retrospectivas de sua obra em vários festivais e é o autor do projeto Foto-celular (ver: www.foto-celular.com).

Cláudia Nunes: Jornalista, roteirista e diretora. Durante a década de 80 e meados de 90, trabalhou como repórter, apresentadora e editora para diversas emissoras de televisão. No final de 90 intensificou seu interesse por outras abordagens e linguagens audiovisuais e começou a trabalhar com documentários, filmes independentes, oficinas de rádio e TV, a partir de um movimento social organizado.

Cláudio de Oliveira: Diretor do curta-metragem “O Bloqueio” (2001), vencedor do 1º Prêmio Estímulo ao Curta-Metragem da Associação Curta Minas, categoria finalização. Premiado como Melhor Filme experimental no Alucine - IV Toronto Latino Film & Vídeo Festival, Canadá (2002); Melhor Direção de Arte e Melhor Animação no CineEsquemaNovo - Festival de Cinema de Porto Alegre (2003); Melhor Filme de Animação no Festival de Cinema Vídeo e Dcine de Curitiba (2004). Trabalhou como assistente de direção da produtora Brokolis do Brasil (2008); assistente de direção da produtora Tutano Filmes (2006 a 2007). Claudio Luiz dirigiu e produziu o filme “O Cabeleireiro da Medusa – Parte I – O Chamado” (com finalização prevista para 2010).

Dani Barbosa: Atriz e diretora. Atuou e trabalhou em teatros e grupos importantes como O Tablado e Nós do Morro. Como atriz atuou em diversos curtas metragens, no Rio e em Madrid. Dirigiu dois curtas metragens de sua autoria “Mierda” e “Angela Pralini”, em Madrid. Atualmente atua em seu primeiro longa metragem “A Despedida”, de Rodrigo Alvarado, com estreia prevista para 2011 no Festival de Cinema de Rotterdam (Holanda).


Daniela Fernandes: Comunicóloga e gestora cultural. Atualmente é presidente da Associação Curta Minas/ABD-MG e diretora de comunicação da Associação Brasileira de Documentaristas e Curtas-metragistas - ABD Nacional. É oficineira do projeto Cine Mais Cultura, do Ministério da Cultura. Coordenou a Mostra Curta Minas 10 anos, Produtora Editorial no Projeto Curta o Acervo - Pesquisa e Memória do Audiovisual Mineiro de Curtas e Documentários no Estado de Minas Gerais. Coordenou a 27ª Jornada Nacional dos Cineclubes Brasileiros. Foi responsável pela Comunicação Nacional do projeto DOCTV IV – 2008 pela ABD Nacional.


Filó de Souza: fotógrafa , revisora , terapeuta holística, irmã dos três personagens principais (Betinho, Henfil e Chico Mário) do filme “Três Irmãos de Sangue”.

Ivan Cardoso: Cineasta botafoguense nascido no Rio de Janeiro, em 01 de outubro de 1952. Artista plástico, ator, diretor, fotografo, produtor e jornalista, com trabalhos publicados em diversos jornais, revistas, catálogos, discos e livros. IVAN CARDOSO é conhecido especialmente pelos seus longa metragens "O SEGREDO DA MÚMIA", "AS SETE VAMPIRAS" (que teve mais de hum milhão de espectadores) e "O ESCORPIÃO ESCARLATE" que, criaram um novo estilo dentro do Cinema Nacional: o "TERRIR" ! Recentemente, IVAN CARDOSO também participou da 27 BIENAL DE SÃO PAULO, com fotografias, filmes & uma instalação.

José Américo Ribeiro: Mestre em cinema pela The Ohio State University, Estados Unidos. Doutor em cinema pela Escola de Comunicação e Artes da USP (SP).
Realizou mais de vinte curtas-metragens, entre eles: “Anjo Torto” (1969); Produção Grupo Novo de Cinema e TV, “Causa Secreta” (1971); Produção José Américo Ribeiro e Tarcísio Vidigal, “Morro Velho” (1973); “Festa no País das Gerais” (1979); Produção Grupo Novo de Cinema e TV Castigo (2004); Bhfilmesderua Produções Ltda e o Grupo Novo de Cinema e TV. Média-metragem: “Morte Branca” (1968). Recebeu no ano de 2004 o Prêmio Resgate do Cinema Mineiro, no 6º Festival Internacional de Curta de Belo Horizonte – Prêmio CRAV – Prefeitura de Belo Horizonte. “Almeida Fleming: Cinema, Arte e Paixão”, vídeo exibido durante todo o ano de 1989, no Canal Brasil. “Amor como Destino”, co-direção com Maria Stella Mendes Ribeiro 2009 - Bhfilmesderua Produções Ltda. Autor do livro “O cinema em Belo Horizonte: do cineclubismo à produção cinematográfica da década de 60”, editora UFMG.


Maíra Bosi: Há quatro anos, vem produzindo e realizando curtas-metragens. Trabalhou na produção de “Supermemórias” e também desenvolveu sua monografia de graduação a respeito do processo de criação deste filme e os diálogos que ele estabelece com a memória na cidade de Fortaleza.

Marcos Pimentel: Diretor, roteirista e produtor independente, realizou documentários em cinema (35mm e 16mm), vídeo e televisão, que ganharam 72 prêmios por festivais nacionais e internacionais. Em televisão, trabalhou no setor de Projetos Especiais da Rede Minas de Televisão, desenvolvendo documentários culturais e educativos, com destaque para as séries "Palavras", "Caminhos" e "Minas em festa", exibidas nacionalmente pela TV CULTURA. Foi um dos finalistas da edição brasileira do concurso DOC TV IBEROAMÉRICA, com o projeto “Além das veredas”. Atualmente, é um dos diretores do CINEPORT – Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa.

Marília Hughes: Curadora do Panorama Internacional Coisa de Cinema. Atua como diretora, roteirista e montadora de obras audiovisuais. Realizou, dentre outros: “Nego Fugido” e “Carreto”, curtas selecionados e premiados em diversos festivais. “Carreto” recebeu os prêmios de melhor roteiro e melhor filme de curta-metragem no XXXVIII Festival de Cinema de Gramado e “Nego Fugido” recebeu os prêmios de direção, ator (Judevaldo dos Santos) e de melhor filme de ficção no XVI Festival de Cinema e Vídeo de Vitória.

Maurício Gino: Curador da Mostra de Animação EBA/UFMG; Mestre em Tecnologia pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais - CEFET-MG (2003). Tem experiência na área de artes, com ênfase em Cinema de Animação, atuando principalmente nos seguintes temas: animação, analogias e metáforas e recursos audiovisuais.

Mica Farina: Compositor, arte-educador e produtor musical paulista. É autor de diversas trilhas para cinema, teatro e exposições. Sua produção tem circulado em diversos festivais de cinema, música e teatro, nacionais e internacionais e, recebido elogios e prêmios da crítica especializada. Atua também como coordenador artístico-pedagógico do Programa Vocacional e do Programa de Iniciação Artística da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

Paulo Duarte: Diretor, roteirista, editor, escritor e músico. Iniciou sua carreira no cinema, como ator, aos sete anos de idade, no filme “Os Trombadinhas”, sob a direção de Anselmo Duarte. Desde então realizou vários trabalhos em cinema publicitário, teatro, TV e na área musical (como músico e produtor). Atuou como produtor do núcleo Guel Arraes na TV Globo produzindo programas como "Retrato Falado" e na CULT FILMES como responsável pelos lançamentos da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Ao lado de outros grandes nomes do cinema nacional é co-autor do livro sobre o roteirista brasileiro Francisco Luchetti. Paulo Duarte é sócio-fundador da REZA BRAVA FILMES, produtora independente de São Paulo, onde produz, roteiriza e dirige projetos em várias plataformas audiovisuais, tais como publicidade, cinema, tv, shows (e video-clips) e conteúdo para novas mídias como internet, mobile e outras. Em 2010, dirigiu a primeira temporada da série BIPOLAR, em exibição no Canal Brasil e Globosat HD e atualmente finaliza seu primeiro longa-metragem de ficção, a comédia "It's Very Nice pra Xuxu".

Raquel Gandra: Produtora independente do curta “O Elevador” para a matéria Produção de Audiovisual do 5º período da ECO-UFRJ, vencedor do prêmio de júri popular de melhor ficção na décima edição do Festival VideVídeo. Assistente de produção no Festival de Panamericanismo no cinema. Produtora independente do curta “O alerta”, vencedor de melhor curta metragem do Recine 2007.

Rodolfo Caesar: Compositor, professor, pesquisador. Cursou mestrado de filosofia no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da UFRJ. É um dos fundadores do Estúdio da Glória, principal estúdio de música eletroacústica no Brasil nos anos oitenta. Suas obras têm recebido distinções no Brasil e no exterior (Bolsa Vitae, Bolsa RioArte, Prêmio Sérgio Motta, Arts Council of England, Arts Council of Great Britain, Festival de Bourges, Noroit-Arras e Composer´s Desktop Project, Riocine 2009).

Sérgio Vilaça: Doutorando em Cinema pela Escola de Belas Artes da UFMG. Mestrado na Escola de Belas Artes da UFMG. Área: Arte e tecnologia da Imagem. Professor de teoria e técnicas cinematográficas. Gestor cultural na área de formação e inclusão audiovisual. Diretor, fotógrafo, animador e montador em diversas produções audiovisuais.

Sílvia Pinheiro: Documentarista, editora/montadora e animadora, assina a direção do documentário "Retalhos do Taquaril" e das animações "Sangue do Sangue", "Uma história sem pé nem cabeça de um rapaz sem eira nem beira", "Por quanto vida, videiro", "Vergooooooonha" e "Pulga".


Silvio Da-Rin: diretor cinematográfico. Realizou mais de uma dezena de filmes e vídeos, vários deles premiados em festivais brasileiros e internacionais, como Hércules 56, Igreja da libertação, Nossa América, Príncipe do fogo e Fênix. Está em fase de preparação do documentário de longa-metragem SertanistaS. Gravou o som de mais de 150 filmes, entre eles os longas Quase dois irmãos, Onde anda você, Viva voz, Amores possíveis, Mauá, Amores e Pequeno dicionário amoroso. Tem ministrado cursos e oficinas nas áreas de som para cinema e documentário. Publicou vários artigos e livros, entre eles Espelho partido: tradição e transformação do documentário, versão revista de sua dissertação de mestrado em Comunicação na UFRJ. Foi presidente da Federação de Cineclubes do Rio de Janeiro, da Cooperativa dos Realizadores Cinematográficos Autônomos, da Associação Brasileira de Documentaristas e vice-presidente da Associação Brasileira de Cineastas/Abraci-RJ. Entre novembro de 2007 e abril de 2010 foi Secretário do Audiovisual do Ministério da Cultura. Desde junho é Gerente Executivo de Articulação Internacional e Licenciamento da EBC/TV Brasil.

Terêncio Porto: Escritor e realizador audiovisual. Mantém o blog Escafandro, desde setembro de 2008 e é autor do romance inédito “Só, Atrás do Ouro”. É um dos criadores e produtor executivo da premiada série de TV “Larica Total”, sucesso também na web. É um dos autores do livro de Receitas de Guerrilha do Mundo Maravilhoso de Larica Total, editado pela Barba Negra/Leya Cult. Dirigiu alguns curtas, entre eles os premiados “Transferência”, "Nove Segundos e Vinte e Sete Frames" e “A Última do Amigo da Onça”, além do longa inacabado “Abertura das Portas”.

Yanko Del Pino: Diretor das produções: “A TV que virou estrela” (1993), longa 35mm; “Retratos e Borboleta” (1997), curta 35mm; “Deu no Jornal” (2005), curta 35 mm; “Beijo na Boca Maldita” (2006), curta digital; “No Lixo do Canal 4” (em finalização) longa documentário.

2 comentários:

  1. Muito bom heim professor. Concordo com você, a 1ª Mostra pode ser um divisor de águas... Tomara que o evento "Bombe" e que a cidade receba bem os visitantes. A cultura, além de divertir, interagir, aproximar, reafiarmar valores, faz pensar e movimenta a economia local. A Mostra pode ser uma janela para que Pitangui seja vista no cenário turístico mineiro e nacional.
    Para isso "casa" precisa estar sempre bem arrumada!

    ResponderExcluir
  2. Pois é Léo...tô aqui na correria.
    Vamos torcer para que esta Mostra seja um sucesso e entre para o calendário cultural de Pitangui.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.