Seguidores

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Espaços musicais

Uskenths. Paulo Henrique, "Condinho", Luiz e Wilsinho Bicalho.
Foto: André Lino.
5/8/2000.

Para nos despedirmos de agosto (mês do 1º aniversário do Blog) nada melhor do que encerrar com música. Na postagem de hoje, reproduzimos uma matéria veiculada há 10 anos no jornal O Independente (edição nº 236, de agosto de 2000). O 1º Detonando Fox foi um encontro musical realizado no Centro Social, no dia 5/8/2000, onde as bandas de Pitangui e região puderam mostrar um pouco do bom e velho rock. Segundo a máteria, a atração principal foi a banda Bonehead e Pitangui foi representada pelos Uskenths, que agradou muito a galera presente.

Aí está um acontecimento bacana. A música pitanguiense é um grande filão a ser "explorado" e a exemplo deste evento, basta querer, que as coisas acontecem.

*******************

Agradecemos a todos que acompanharam o blog em agosto e durante esse 1º ano. A nossa vontade é continuar lançando Outros Olhares Sobre a Sétima Vila do Ouro das Gerais e contamos com vocês para isso. Envie sugestões, fotos, textos, artigos para divulgarmos aqui e para mantermos viva a nossa história e a nossa identidade. Enquanto estivermos provocando reflexões..., valorizando a nossa gente, o nosso patrimônio e acima de tudo ressaltando o orgulho de ser Pitanguiense (com P maiúsculo) o trabalho valerá a pena.

A todos e a todas o nosso muito obrigado!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Amauri

Oh! Nem o tempo amigo
Nem a força bruta pode um sonho apagar ...
Oh! Minha estrela amiga
Porque você não fez a bala parar ...
Os melhores butecos ...
O melhor tempero...
As melhores músicas ...
boas noites, aliás boas noites, com os melhores amigos !!!!

Êta saudade !!!!!
Vem mais postagens dele ...

domingo, 29 de agosto de 2010

Wilson Lopes no Conecta BH

Assista ao vídeo abaixo e conheça um pouco da trajetória
deste músico e compositor consagrado, filho de Pitangui

Credpit e o Projeto Juntando Gente

Ontem,28, foi a culminância do projeto "Juntando Gente", desenvolvido pelo Credipit.
O evento movimentou a manhã e início de tarde de Pitangui. A Praça Governador Benedito Valadares ficou tomada de visitantes, que prestigiaram os trabalhos expostos pelas diversas instituições de ensino da cidade.

Questões como a preservação do patrimônio histórico, da cultura e da memória, e também temas relacionados à preservação ambiental foram enfocados por algumas escolas.



O evento também contou com barracas de comidas típicas,
apresentações musicais e também encenação de teatro de rua.



Parabenizamos os organizadores do evento, como também, todas as instituições de ensino que abraçaram o projeto e contribuíram decisivamente para o sucesso do mesmo. Cada uma fez a sua parte no "Dia de Cooperar". Esperaremos agora que o resultado do projeto seja divulgado, afinal, juntou-se gente.
Eu também não posso deixar de parabenizar os alunos e os funcionários do CEPFS, onde trabalho, pela participação. O comprometimento de todos foi elogiado pelos visitantes.

sábado, 28 de agosto de 2010

Pitangui no Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade

Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade - 2003.

No dia 17/08/2010, o prof. Licínio abordou aqui no blog sobre o Dia do Patrimônio Histórico.Essa data foi estabelecida em homenagem ao advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade nascido em Belo Horizonte- MG, no dia 17 de agosto de 1898. Em 1937 Rodrigo criou o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN e foi diretor da Instituição durante mais de 30 anos (1937/1968). Também em homenagem a esse grande mineiro, o IPHAN, criou em 1987, o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, em reconhecimento e incentivo a ações de preservação e divulgação do patrimônio cultural brasileiro. A premiação é destinada à empresas, pessoas e Instituições inscritas nas seguintes categorias: Apoio Institucional e Financeiro; Educação Patrimonial; Divulgação; Inventários de Acervos e Pesquisa; Proteção do Patrimônio Natural e Arqueológico; Preservação de Bens Móveis e Imóveis.


Fonte: Folder do Prêmio Rodrigo Melo - 2003.

Em 2003, 126 projetos foram inscritos e Pitangui foi um dos seis vencedores, sendo premiado na categoria Educação Patrimonial. A cidade foi representada pelo Conselho de Crianças de Pitangui (vinculado ao Instituto Esther Valério) que apresentou o Projeto de Adoção da Capela de São Francisco e Proteção às Minas dos Bandeirantes. Esse reconhecimento comprova que as iniciativas da sociedade civil podem ser benéficas ao nosso patrimônio cultural e natural, suscitando a discussão em torno do tema e promovendo a conscientização sobre como cuidar melhor do meio onde vivemos. Além do prêmio em si, o mais importante (na nossa concepção) é o estímulo a outros projetos e iniciativas que podem surgir (e estão surgindo) em defesa e valorizaçao da cidade. Atualmente a Capela de São Francisco está em processo de restauro e as sementes lançadas pelo Conselho de Crianças, certamente contribuíram para esse importante feito para a história de Pitangui.


sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Beto Lopes


Alberto Lopes Cançado, Beto Lopes se considera um músico de sorte !!! Nasceu em Rio do Peixe e logo assimilou as harmonias complexas e as melodias profundas características da região. Começou a tocar cavaquinho e violão, ensinado por sua mãe aos cinco anos de idade.

"- Durante a minha infância, escutei muito chorinho, samba e baião. Isso me deu uma consciência rítmica forte."
Beto com Milton e Wilsinho
Mudou-se para Belo Horizonte e com seis anos passou a acompanhar os irmãos mais velhos, também, músicos, cantando em matinês de bailes. Aprendeu acordeom, bandolim e piano, porém, o violão e a guitarra foram os instrumentos que sempre o atraíram. Aos 18 anos, começou a tocar profissionalmente e conheceu os músicos que formavam o Clube da Esquina. Desde 1986 como guitarrista profissional, se apresenta ao lado de músicos brasileiros como Hermeto Pascoal, Nivaldo Ornelas, Beto Guedes, Tavinho Moura, Toninho Horta, Milton Nascimento, Lô Borges dentre outros.

Beto com Tavinho Moura e Fernando Brant
Portanto, não é à toa que em "Miragem", um de seus trabalhos em disco, encontra-se um vasto repertório de ritmos. Beto Lopes passa pela bossa nova, choro, jazz, samba, baião, sempre com aquela forma de harmonização peculiar dos mineiros. O disco tem, no total, três músicas instrumentais. Todas as outras são cantadas pelo próprio músico. Há participações distintas, com Fernando Brant, Marcio Borges, Murilo Antunes, Tavinho Moura.

Beto e Juarez Moreira

Beto interpreta também um clássico de Bach, Chacone, em que afina a corda MI grave de seu violão Takamine de cordas de nylon em Ré. Outra afinação alternativa é encontrada na música Miragem. Beto optou por baixar em meio tom a corda grave do instrumento. "- Tive de fazer isso porque toquei-a num pequeno violão da Giannini, afinado uma quarta acima. Então decidi usar o baixo em MIb, para dar um peso maior à composição". Além desses instrumentos, Beto Lopes utilizou também um violão Yamaha de 12 cordas nas faixas Amor Temporal e Viagem à Bauru. Beto também utilizou uma Fender Stratocaster nas gravações do disco.

Beto, Toninho Horta e Marcelo Godoy

Para nós pitanguienses, é orgulho termos como pitanguiense um grande músico como Beto Lopes.

Fontes: gvianna.com.br, caleidoscopio.art.br

Veja também : myspace.com/betolopes



quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O Pitanguiense José Alyrio Mourão lança novo livro



O escritor pitanguiense José Alyrio Mourão lançou seu terceiro livro, "Linhas do Tempo" hoje (26) na livraria Cafe Books, em Belo Horizonte. Leia abaixo materia publicada no jornal "Estado de Minas" sobre o livro.
"Assombrações,sonhos e loucuras compõem o universo de Linhas do Tempo,terceiro livro do mineiro José Alyrio Mourão, que será lançado hoje, em Belo Horizonte.Contista veterano, José Alyrio Mourão mostra na nova obra história de seu tempo de criança e adolescente, vivido em Pitangui, no Centro-Oeste mineiro, e do tempo de estudante e depois na capital mineira. São casos reais e imaginados de um atento observador do cotidiano.
Quem tem uma relação afetiva com o interior mineiro certamente se identificará com o mundo e os personagens descritos em Linhas de Tempo. Como no conto "O último trem", em que José Alyrio relata a tristeza e a decepção dos moradores de uma cidade do interior quando recebem a notícia de que o ramal ferroviário que servia à região seria desativado.
Entre as boas lembranças da estação e do apito da Maria-fumaça, o autor aproveita para ensinar um pouco à nova geração o que representavam os trens para os cidadãos do interior de Minas e do Brasil. "As ferrovias e suas locomotivas não eram só a ligação das regiões mais remotas com o resto do país. Eram muito mais que isso: eram a veia por onde corria o sangue que irrigava a vida e o progresso das cidades..." "
FONTE:
Contos - Memória afetiva. Jornal Estado de Minas. caderno Cultura, p.6, 26/08/2010.

São Francisco Futebol Clube

Mais um registro raro do futebol amador de Pitangui. Trata-se de uma foto da equipe do São Francisco Futebol Clube de 1971 com a escalação impressa. Dê uma conferida na relação dos atletas

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Outro Olhar

A rotina diária que nos massacra precisa ser quebrada, então saio pelas ruas da cidade em busca de curiosidades, ou mesmo planejando registros fotográficos do casario colonial que ainda não cliquei. São apenas fotos comuns, mas que passarão a fazer parte da memória.
















terça-feira, 24 de agosto de 2010

Causos e Violas - Making of


Projeto Causos e Violas - junho 2009.

Conforme informamos na primeira postagem do tópico Making of, o objetivo dessa seção é mostrar outros olhares sobre alguns acontecimentos culturais ocorridos em Pitangui, ou seja, o "por trás do palco".


No bate papo com Chico Lôbo.

Visando valorizar os artistas pitanguienses, hoje mostramos algumas fotos dos bastidores do Projeto Causos & Violas, realizado pela Prefeitura, em junho de 2009. O evento teve como atração principal o renomado violeiro Chico Lôbo, além de atrações locais como o "Trio Caldas" e a Orquesta de Viola Cheiro de Relva. As fotos dessa postagem são do acervo pessoal do amigo Dênio Caldas.


Com os técnicos de som.


Afinando os instrumentos.


Confraternizando.

Eventos como esse - que valorizam a arte local e levam a cultura até o povo - merecem destaque e precisam acontecer mais vezes.


Samuel, Dênio e Ricardo (Trio Caldas) com Carlos Ferreira
(Percussionista do Chico Lôbo).


Aproveitamos para deixar o nosso abraço e as felicitações ao parceiro Ricardo Caldas, pelo aniversário neste 24/8!!!

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Poema de Corgozinho Filho dedicado a Vasco Azevedo

























Vasco Azevedo
Nesta postagem apresento um poema de Corgozinho Filho dedicado a seu amigo Vasco Azevedo, jornalista e político pitanguiense. O poema foi extraído do livro "Pipilos - Primeiros Versos", publicado originalmente em 1897. Corgozinho Filho e Vasco Azavedo foram contemporâneos em Pitangui. A respeito de Vasco Azevedo, estamos preparando para breve uma postagem sobre este ilustre pitanguiense. Aguardem.



O poema "O Trabalho" foi escrito em 1896, um ano antes da publicação de "Pipilos..."


O TRABALHO
(A Vasco Azevedo)

VAMOS! Lutar! Lutar! O Sol surgindo,
Em carícias de luz acorda a Terra;
De vale em vale, vai de serra em serra,
Qual clarim de rebate, o sol luzindo.

É dia; as aves cantam: sai zumbindo
O inseto; nos redis a ovelha berra;
As iriadas pétalas descerra
À luz a flor, as pétalas abrindo.

Passa cantando em busca da lavoura
Quem na terra labuta, enquanto estoura
Na ardente fragoa o retumbar do malho.

A batalha da vida é rubra e acesa:
Unem-se o Sol e a Terra e a Natureza,
Celebrando a epopéia do trabalho.


II

Como é suave ao viajor cansado
À fresca sombra amiga recostar,
E do caminho imenso caminhando
Os fatigados membros repousar!

Como é suave ao caminheiro ardente
Beber da linfa pura no deserto,
Quando flameja o sol ardentemente,
Emurchecendo a flor no campo aberto!

Como é suave ao homem que trabalha,
Lobrigar doce raio d’esperança,
Que n´o conforta em meio de batalha,
Que no lutar infrene não se cansa!

Como é suave ter, depois da vida,
Uma outra vida mais alegra e pura,
Em que o homem recebe então devida
Recompensa, num éden de ventura!

Oh! Trabalharemos, pois ! A vida é breve;
Enquanto a força máscula se expande,
Lutemos todos! Que o trabalho é leve,
Quando o seu prêmio prometido é grande...

1896.





FONTE:
FILHO, João Alves Corgozinho. Pipilos,Primeiros Versos:Canção,2ª ed. Divinópolis, M.G.:Mais Gráfica e Editora,2004.

domingo, 22 de agosto de 2010

Baile dos Barangos 2010


Baile dos Barangos 2010.

No sábado dia 7 de agosto (mês do 1º aniversário do Blog), aconteceu no Parque de Exposições de Pitangui, mais uma edição do Baile do Barangos. Esse evento que tem menos de uma década, já é tradição na cidade e está virando referência na região.


Vandeir, Nágela e Ricardo.

A regra do Baile é ir com o traje à caráter, ou seja, quanto mais irreverente, colorido, "bagunçado" e excêntrico, melhor. Esse ano, a Banda Paletó de Veludo também esteve presente para animar a festa (e se fosse diferente não seria o Baile dos Barangos não é mesmo?!!)


Os paletós: Régis, Ricardo, Samuel, Renato e Paulo Henrique.

Não foi possível estarmos presentes no baile desse ano e tivemos acesso a poucas fotos. Por isso não levem a mal se essa postagem não captou a verdadeira essência da festa: "a emoção à flor da pele"... Mas é isso mesmo, tá valendo, fica registrado a alegria e a fulia dos presentes.



Se você, caro visitante não conhece ou ainda não participou do Baile dos Barangos em Pitangui, está perdendo. Acredito que no ano que vem tem mais.
As fotos desta postagem são da Carol Freitas, fazem parte do acervo do Paletó e foram enviadas pelo Renato Lopes (baixista da banda). Se você tem uma foto legal, no Baile, ou uma sugestão de postagem, mande para o e-mail do blog. Até a próxima, pessoal.

sábado, 21 de agosto de 2010

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar e a Praça da Câmara

Esta maravilhosa foto chegou às minhas mãos através de meu aluno, Sunshine,que a trouxe para a sala de aula para desenvolvermos uma atividade sobre educação patrimonial. Segundo, Sunshine, a foto pertence à sua madrinha, Quirina. Vendo a beleza da foto, pedi permissão à proprietária da mesma para postá-la aqui no blog. Pedido que foi prontamente atendido e aproveito para agradecer a cordialidade.
Penso que esta foto deve ter sido tirada na primeira metade do século XX. Nela podemos perceber o cotidiano da cidade naquele tempo, como também, observar o casario original da Praça da Câmara. Um lindo registro fotográfico.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

As tardes em Pitangui


Fotos de Nicodemos Rosa.

Ontem, dia 19/8, foi comemorado o Dia Mundial da Fotografia. E para dar sequencia a esse festejo divulgamos hoje mais uma mostra de fotos do pitanguiense Nicodemos Rosa (o novo reforço no time dos colaboradores do Blog).







Em suas fotos, Nicodemos consegue captar a essência das coisas, das cores e a paz dos cenários pitanguienses.





Nada melhor do que encerrar o dia com essas imagens inspiradoras! Saiba mais sobre esse artista das câmeras acessando: "Nas lentes de Nicodemos Rosa", no menu à direita e no site www.panoramio.com



quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Hoje é o "Dia Nacional do Historiador"

Clio, a Musa da História

Há algum tempo a História vem ganhando lugar de destaque, basta ver o número de revistas sobre temas históricos que proliferam no mercado editorial, além de sites, blogs, etc. No ano passado o Senado aprovou a lei que cria o "Dia do Historiador". A data escolhida foi o 19 de agosto, dia em que nasceu Joaquim Nabuco, ilustre brasileiro que foi político, diplomata, abolicionista,historiador, além de ser um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Reproduzo abaixo um trecho da edição do diário oficial em que a lei foi publicada.
Este é o primeiro ano que comemoraremos o dia do Historiador, esperemos que a profissão seja regulamentada o mais rápido possível. Se você quiser ler mais sobre a regulamentação da profissão de historia dor clique AQUI.

“LEI N 12.130, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009

Institui o Dia Nacional do Historiador, a ser celebrado anualmente no dia 19 de agosto.

O VICE-PRESIDENTE DA REPUBLICA , no exercicio do cargo de PRESIDENTE DA REPUBLICA

Faco saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1 E instituido o Dia Nacional do Historiador, a ser celebrado anualmente no dia 19 de agosto.

Art. 2 Esta Lei entra em vigor na data de sua publicacao.

Brasilia, 17 de dezembro de 2009; 188 da Independencia e 121 da Republica.

JOSE ALENCAR GOMES DA SILVA




“O BOM HISTORIADOR SE PARECE COM O OGRO DA LENDA: ONDE FAREJA CARNE HUMANA, SABE QUE ALI ESTARÁ SUA CAÇA” – MARC BLOCH

Dia mundial da fotografia


A tempestade chegando em Pitangui.
Foto: Léo Morato.


Hoje, dia 19 de agosto (mês do 1º aniversário do blog) comemora-se o dia internacional da fotografia. Essa arte foi inventada no século XIX e apesar das novas mídias e avanços tecnológicos, continua em alta, sendo praticada em todo o mundo.
Para comemorar essa data, encontrei uma foto de 2001 (tirada com uma máqina analógica), mostrando o centro de Pitangui, a partir do Bairro Lavrado. Nestes tempos de seca, é bom rever a chuva que chegava sobre a cidade.


Fotografando Pitangui... aguardem.
Por: Léo Morato.

Aos nossos amigos, colaboradores
e visitantes do blog que praticam a arte da fotografia, fica registrado os nossos parabéns e os nossos agradecimentos!!! Continuem fotografando Pitangui, os registros de hoje, se tornarão história num amanhã próximo.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Literatura e Memória - Corgozinho Filho

Dia desses, pesquisando na net encontrei uma página sobre João Alves Corgozinho Filho, advogado, poeta e escritor nascido em Pitangui em 1869. A página foi construída pelos descendentes de Corgozinho Filho e nela descobri que a família Corgozinho de Divinópolis havia reeditado um livro de poemas, "Pipilos - Primeiros Versos" escrito por ele, cuja primeira edição datada de 1897 foi publicada pela Laemmert&Editores, do Rio de Janeiro, com filiais em São Paulo e Recife.
Lembrei-me do ramo dos Corgozinhos de Pitangui e fui atrás de informações para saber se alguém possuia um exemplar desta reedição. O esforço não foi em vão, conversando com minha aluna Isabela fui informado que sua tia, Isabel Corgozinho, vice-prefeita do município poderia ter um exemplar.
E de fato ela possui um exemplar, que gentilmente me emprestou para que eu pudesse conhecer o conteúdo da obra, diga-se de passagem, tão rara, e que apresentarei fragmento nesta postagem. Desde já, deixo registrado meus agradecimentos à família Corgozinho, e, em especial, à Isabela e sua tia Isabel Corgozinho.


Um pouco da história de Corgozinho Filho
João Alves Corgozinho Filho nasceu em Pitangui no dia 26 de janeiro de 1869, onde completou o curso primário. Estudou humanidades no Caraça. Completou seus estudos em Mariana, Ouro Preto e Belo Horizonte. Juntamente com o Padre Joaquim Xavier Lopes Cançado, foi um dos pioneiros do jornalismo político em Pitangui. Era auto didata e estudou várias línguas, falava fluentemente o latin, grego, inglês e francês.
Além de "Pipilos", Corgozinho Filho também escreveu "A vida pelo amor" e "Pai Joaquim", cuja a data das publicações não temos conhecimento.
Foi integrante da ordem de São Francisco de Assis e deixou seus bens materiais para a Vila Vicentina e Santa Casda de Misericórdia de Pitangui. Advogou e escreveu até seu falecimento em 1946, aos 77 anos
FONTE:


Sobre o livro


Capa da segunda edição (2004)


O livro de poemas "Pipilos - Primeiros Versos" é composto por 24 poemas, que na primeira edição foram dedicados aos amigos do autor em Pitangui: Vasco Azevedo, José d'Avó Gontijo, José Luiz Álvares da Silva, José Maria Teixeira de Azevedo Júnior, Francisco Batista de Assis Freitas, Agenor Lopes Cançado e Cristovão de Faria.
Os poemas demonstram um otimismo do autor diante à vida, além de uma consciência ecológica a frente de seu tempo. Elegi uma das canções presentes na obra para que nossos visitantes possam saborear um pouco dos versos de Corgozinho Filho.
CANÇÃO
(Ao Dr. Francisco Batista de Assis Freitas)
DEIXA que eu sonhe! Enquanto vou sonhando,
A vida passa leve e descuidada;
Miragem em flores, rodeada
Das alegrias num festivo bando
A vida é um combate aceso e duro,
Em que logo sucumbe quem mais luta;
De lágrimas não tem a fronte enxuta
Quem só se preocupa do futuro
E qu'importa o porvir? O tempo corre,
O presente também será passado;
Pois o futuro é sempre já chegado,
Quando o presente no passado morre.
Vamos! olhos fechados à tristeza!
Vamos cantando como passarinhos;
Vê como brilham flores nos caminhos,
Como é festiva e boa a natureza!
Acumular riquezas, montes d'oiro,
Deixa apenas ao sórdido avarento,
Pois nós vivemos pelo sentimento,
Temos d'amor munífico tesoiro.
Qu'importa que na escura noite fria
Não nos acolha iluminado lar?
Os corações vivem para amar
A natureza acolhe e caricia...
Ah! se o homem sonhasse como é breve
A vida, que se foge tão depressa,
Talvez se não pejasse tanto nessa
Faina de vã riqueza, em que se atreve!
É rico o pobre que pobreza sofre
E só tem canto, quando o pungem dores,
E traz sorrisos, música e flores
Do coração ao cristalino cofre.
Vamos! olhos fechados! O porvir
Virá também será passado.
Que vai atravancar-se de cuidado
Pra viver um só dia e, após, dormir?
1884
FONTE:
FILHO, João Alves Corgozinho. Pipilos,Primeiros Versos:Canção, p. 62, 2ª ed. Divinópolis, M.G.:Mais Gráfica e Editora,2004.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

17 de Agosto - Dia Nacional do Patrimônio Histórico

"a educação popular é o meio mais eficaz de assegurar a defesa
do patrimônio histórico e artístico nacional".
Rodrigo Melo Franco de Andrade



Em 17 de agosto de 1898 nascia em Belo Horizonte, Minas Gerais, o advogado, jornalista e escritor Rodrigo Melo Franco de Andrade (1898/1969), criador do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional– IPHAN, em 1937, e diretor da Instituição durante mais de 30 anos (1937/1968).

Durante as comemorações pelo centenário de seu nascimento, em 1998, o 17 de agosto foi instituído como o “Dia Nacional do Patrimônio Histórico”.

Fonte:


http://www.overmundo.com.br/agenda/dia-nacional-do-patrimonio-historico, acessado em 16 de agosto de 2010.


Saiba mais sobre o patrimônio histórico cultural:

Patrimônio Cultural

"O patrimônio cultural é o conjunto de manifestações, realizações e representações de um povo, de uma comunidade. Ele está presente em todos os lugares e atividades: nas ruas, em nossas casas, em nossas danças e músicas, nas artes, nos museus e escolas, igrejas e praças. Nos nossos modos de fazer, criar e trabalhar. Nos livros que escrevemos, na poesia que declamamos, nas brincadeiras que organizamos, nos cultos que professamos. Ele faz parte de nosso cotidiano e estabelece as identidades que determinam os valores que defendemos. É ele que nos faz ser o que somos. Quanto mais o país cresce e se educa, mais cresce e se diversifica o patrimônio cultural. O patrimônio cultural de cada comunidade é importante na formação da identidade de todos nós, brasileiros. "




Patrimônio Material

"O patrimônio material protegido pelo Iphan, com base em legislações específicas é composto por um conjunto de bens culturais classificados segundo sua natureza nos quatro Livros do Tombo: arqueológico, paisagístico e etnográfico; histórico; belas artes; e das artes aplicadas. Eles estão divididos em bens imóveis como os núcleos urbanos, sítios arqueológicos e paisagísticos e bens individuais; e móveis como coleções arqueológicas, acervos museológicos, documentais, bibliográficos, arquivísticos, videográficos, fotográficos e cinematográficos.

Os bens culturais materiais tombados podem ser acessados por meio do Arquivo Central do Iphan, que é o setor responsável pela abertura, guarda e acesso aos processos de tombamento, de entorno e de saída de obras de artes do país. O Arquivo também emite certidões para efeito de prova e inscreve os bens nos Livros do Tombo."

Patrimônio Imaterial


"A Unesco define como Patrimônio Cultural Imaterial "as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas - junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados - que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural."

O Patrimônio Imaterial é transmitido de geração em geração e constantemente recriado pelas comunidades e grupos em função de seu ambiente, de sua interação com a natureza e de sua história, gerando um sentimento de identidade e continuidade, contribuindo assim para promover o respeito à diversidade cultural e à criatividade humana."

Fonte:
http://portal.iphan.gov.br/portal/montarPaginaSecao.do?id=15481&retorno=paginaIphan, acessado em 16 de agosto de 2010.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Encontros e despedidas

Encontros e Despedidas
Milton Nascimento e Fernando Brant

Mande notícias do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço, venha me apertar
Tô chegando
Coisa que gosto é poder partir
Sem ter planos
Melhor ainda é poder voltar quando quero Todos os dias é um vai-e-vem
A vida se repete na estação
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar

E assim, chegar e partir
São só dois lados
Da mesma viagem
O trem que chega
É o mesmo trem da partida
A hora do encontro
É também de despedida
A plataforma dessa estação
É a vida desse meu lugar
É a vida desse meu lugar
É a vida

A lua vem antes do sol radiante a tarde é melhor ...


Nessa cidade


não preciso saber o caminho de suas ruas,


as ruas sabem meu caminho !!!!!





Vou, mas volto ...