Seguidores

quarta-feira, 18 de maio de 2011

E o empréstimo de R$5 milhões? Por que os vereadores vetaram?

O assunto do momento em Pitangui é o veto da Câmara Municipal ao empréstimo de R$5 milhões disponível à prefeitura. O que há de errado com este empréstimo? Há irregularidades?  Quais?
Por que estou postando sobre este assunto? Simples, tenho um imóvel no bairro Dona Judith Abreu e Silva e lá não tem pavimentação, iluminação pública e nem rede de esgoto. Imaginei que com o acesso a este dinheiro a prefeitura poderia investir uma parte dele em obras naquele bairro,pois é alegado que não há recursos para tais obras.
Agora corre esta notícia de que o município não terá acesso a este dinheiro, que, segundo dizem, estaria disponível a juros de 4% ao ano. Deve ter acontecido alguma coisa muito séria para os vereadores vetarem este empréstimo, é um montante considerável, que poderia ser investido em várias obras que beneficiariam a população. Não gostaria de crer que os vereadores tomaram esta decisão por questões políticas, afinal foram eleitos para defenderem os interesses do povo.
Penso que as notícias sobre este assunto não deveriam correr a cidade em forma de boatos, a Câmara Municipal deveria se manifestar esclarecendo a população sobre os motivos do veto.
Enquanto isso,os moradores do bairro Dona Judith Abreu e Silva vão pisando na poeira, chegando em casa à noite por ruas sem iluminação pública e vendo o esgoto correr a céu aberto. Penso que tenha gente em outras partes da cidade enfrentando problemas também. Mas o povo não se manifesta,né?
Estou me manifestando aqui porque gostaria de ver o bairro assistido pelo poder legislativo e executivo, estamos cansados de promessas, sou contribuinte e gostaria também de ver os benefícios mais próximos de mim.Tem calçamento lá onde o Judas perdeu as botas e no Dona Judith nada?
Vai ver que a culpa é nossa mesmo,né? Mas as eleições estão chegando, 2012 está aí, então poderemos corrigir os nossos erros.Eu, em particular, estarei estreiando como eleitor municipal e serei bastante criterioso ao escolher meus candidatos.E você, caro leitor eleitor?

41 comentários:

  1. Concordo com o seu relato Licínio. 0 voto é um ato de cidadania que precisa ser analisado,valorizado e ocorrer de forma consciente. Devemos votar em políticos com propostas voltadas para a melhoria de vida da coletividade... tá difícil, mas não tá impossível!

    ResponderExcluir
  2. Oi Girlene,
    também alimentarei a esperança de que encontraremos políticos comprometidos com a coisa pública.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Licinio.
    Entendo suas dúvidas, porém ha questões que o Executivo não esclareceu a respeito deste empréstimo. Primeiro, foi divulgado que era uma verba, e na verdade é um empréstimo, ou seja, o Municipio tera que pagar o valor levantado acréscido de juros. Segundo, os juros não são somente 4% ao ano, mas 4% ao ano acrescido da TJLP. Terceiro, o valor de R$ 5.000.000,00, no final iria se tornar uma dívida de aproximadamente R$ 11.000.000,00, ou seja, R$ 6.000.000,00 (seis milhões) de juros. Temos condições de pagar R$ 6.000.000,00 de juros? Terceiro, no sistema de gestão pública atual, o ideal é que investimentos não geram retornos imediatos devem ser feitas através de verbas públicas, ou seja, dinheiro que não precisar ser reembolsado ao ente que o forneceu, e que não esteja sendo pago juros. Quarto, o Poder Executivo do Municipio não apresentou um cronograma espécifico para aplicação dos recursos, como projetos expecifícos, prazos, datas, nada, apenas sugeriu possiveis aplicações para os recursos. Quinto, a dívida assumida pela atual gestão municipal somente seria paga pelo futuro Prefeito, pois o Município estava solicitando o empréstimo com uma carência de 36 meses para começar a pagar, sem garantias que o orçamento municipal irá suportar tal encargo no futuro. Sexto, a administração atual (Poder Executivo) não autoriza a CEMIG a fazer qualquer nova ligação de iluminação pública sobre a "desculpa" ou argumento de que os cofres públicos não possuem recursos suficientes para autorizar o aumento da despesa com ilumição pública. Pergunto? Se Município atualmente sem dívidas, como alegam, não está possuindo recursos para colocar lâmpadas nos postes, como irá daqui a três anos pagar uma prestação mensal de aproximadamente R$ 70.000,00? Sétimo, a prestação deste empréstimo caso fosse aprovado, já viria descontado diretamente nos recursos que o municipío recebe, ou seja, se a próxima gestão não consegui-se pagar as contas, o BDMG que emprestou o dinheiro, que é um banco, receberia o empréstimo, mas quem sofreria as consequencias seriam nós cidadãos pitanguienses, pois faltaria recursos aqui na cidade, como pagamento de funcionários, pagamento de fornecedores, etc. O Poder Executivo Municipal não conseguiu de forma clara demonstrar que a saúde financeira do nosso municipio suporta-se o compromisso de pagar tamanha conta. As informações prestadas pelo Executivo Municipal são contraditórias, ao mesmo tempo que diz nao ter recursos para atender a coisas básicas, como iluminação pública, rede de esgoto, pavimentação de ruas, quer levantar um empréstimo de montante vultuoso para outra gestão pagar, sendo que ele mesmo alega que o municipio não pode assumir nenhum outro compromisso. Tendo em vista estes fatos não explicados, tiveram os vereadores uma decisão acertada, pois, caso aprovassem tal empréstimo, e daqui a três anos, o municipio não desse conta de pagar, seriam, eles vereadores responsabilizados pela população, pois autorizaram o Prefeito a assumir uma dívida que os cofres públicos não suportam pagar. A saída é a seguinte, tanto Poder Executivo e Legislativo, devem correr atrás recursos sem pagamento de juros, ou seja, verbas para serem investidas na cidade sem contrapartida dos cofres municipais.

    ResponderExcluir
  4. Olá Neivado,
    obrigado por apresentar as informações referentes a este empréstimo. Eu, como muitas outras pessoas em Pitangui, temos interesse neste assunto,pois, como contribuinte do município quero melhorias no bairro onde pretendo residir.Ficamos assistindo passivamente este embate entre o Legislativo e o Executivo de Pitangui e, enquanto isto se prolonga não temos nossas necessidades atendidas.Queremos ver estas duas casas trabalhando para o povo.Se realmente este empréstimos seria firmado com as condições que você apresentou em sua argumentação, parabenizo o Legislativo,mas gostaria também de ter aqui neste espaço a versão do Executivo para os fatos.
    E Viva a Democracia, o poder está com o povo!
    Abração.

    ResponderExcluir
  5. Caros amigos do Blog Daqui de Pitangui, sou assíduo visitante e fã do Blog.
    Fiquei um pouco triste como as informações a respeito do projeto que autorizava o município a contrair um empréstimo de 5 milhões foram demonstradas, faltam muitas informações
    Gostaria de esclarecer algumas dúvidas com fatos importantes e informações mais precisas, sobre quais os motivos que a Câmara Municipal não autorizou o empréstimo.
    O principal deles é que existe um risco muito grande do município não conseguir arcar com os valores a serem pagos, capital e juros.
    Mas aproveitando a oportunidade, enumero alguns que valem a pena citar:
    Hoje o Sr. Prefeito diz que não tem dinheiro para nada, para elucidar isso vamos voltar um pouco no tempo...
    O IMA e o IEF foram para o prédio da EPAMIG, trazendo dificuldades para todos que precisam utilizar seus serviços, principalmente o pessoal da zona rural, porque o Sr. Prefeitura alegava que não tinha dinheiro para pagar o aluguel.
    Há algum tempo quase, “quase”, perdemos o SINE/CPPT de Pitangui, devido a Prefeitura não querer assumir o aluguel do imóvel onde está instalado, ainda bem que esse fato não ocorreu.
    A CEMIG não instala iluminação pública para segurança do cidadão pitanguiense, devido a negativa da Prefeitura em assumir os custos da iluminação pública, não por empecilho da Câmara como tem sido divulgado em nossa cidade.
    A atual administração municipal não renovou o Convênio com a FUNEDI UEMG/INSTITUTO HISTÓRICO DE PITANGUI para restauração e higienização do arquivo histórico de Pitangui, por falta de recursos. Essa foi a resposta que o Prefeito enviou para Câmara, respondendo a Ofício encaminhado, questionando o motivo da não renovação do Convênio, pois fomos procurados pela Direção do Instituto Histórico pedindo ajuda para tentar resolver a situação. Atualmente a SAPI mantém os trabalhos.
    No Jornal o Município de Pitangui, edição de julho de 2006, foi publicada matéria falando do Programa Pitangui sem Porteiras, só que ha alguns meses ele não quis receber 14 mata-burros que iriam ajudar no trânsito de nossas estradas rurais. O motivo que o Sr. Prefeito e sua equipe sempre alega, quando conseguimos esses benefícios, é que o município não tem dinheiro para instalar tais mata-burros.
    Outro ponto é a questão do aumento dos servidores de carreira. Segundo o Prefeito, não tinha condições de dar aumento real, os servidores tiveram um ganho de R$ 2,30, aqueles que ganham salário mínimo recebem R$ 547,30, que aumento é esse? Porém para os cargos comissionados houve uma manobra, com o fim de diversos cargos e criação de outros diversos em que as mesmas pessoas obtiveram um aumento de aproximadamente 80%.
    No esporte, por exemplo, a Prefeitura deixou de incentivar o Campeonato Rural de Futebol de Pitangui, alegando mais uma vez falta de recursos, dentro outros que poderia citar aqui.
    CONTINUA.....

    ResponderExcluir
  6. ....
    Não querendo ser redundante, nunca se tem dinheiro, faltam recursos, a Prefeitura não dá conta de pagar, isso nas palavras do atual Prefeito em entrevistas, jornais e pessoalmente.
    Então como que com falta de dinheiro ele faria um empréstimo, isso mesmo empréstimo de R$ 5 milhões num Banco, deixando a dívida toda para outros pagarem. E mais, ficaria 3 anos sem pagar nada, ai a dívida iria para R$ 6.665.000,00, e a cidade teria que se virar para pagar, sem saber de qual forma.
    Soltaram um boletim mentiroso, que falta com respeito com o povo, pois nele se diz que os juros são só 4%, mentira!!! Os juros são 4% mais a Taxa de Juros a Longo Prazo – TJLP, que hoje é de 6% e pode subir com o aumento da inflação cada dia maior.
    Então a taxa de juros é na verdade 10%, podendo subir e muito!!!
    O aumento da inflação proporciona o aumento da TJLP, pois é um dos índices utilizados em sua formação.
    O projeto que veio a nossas mãos tem seis páginas, não tem nenhum estudo de viabilidade ECONÔMICO/FINANCEIRA, nenhum! Na semana passada chegou algumas folhas com esboços de projetos que poderiam ser feitos com esse dinheiro, porém sem nenhum cronograma, sem planilha de custos, datas, prazos para obras iniciarem, nada.
    É como se dessem um cheque em branco para o Prefeito fazer o que quer e deixar para outros, vejam bem, outros tentarem pagar.
    Entendo que a população não quer isso de jeito nenhum.
    Só para se ter uma idéia, o Município iria pegar R$ 5 milhões, daqui três anos a dívida estaria em R$ 6.655.000,00 ai a Prefeitura teria que pagar 144 parcelas mensais de R$ 77.883,80, descontadas diretamente nas receitas, sem saber ao menos as condições de nossa Prefeitura.
    Só de juros a Prefeitura teria que pagar com esse empréstimo a espantosa quantia de R$ 7.870.152,00, um absurdo, sem falar em Taxas que também são cobradas. O custo final de tudo seria em torno R$ 11.200.000,00.
    Quando tivemos a crise mundial, nossas receitas caíram, então como se pode ter irresponsabilidade de comprometer receitas futuras, sem perspectiva de pagamento, podendo ocorrer problemas futuros.
    Entendo que o povo quer é transparência, responsabilidade e cuidado com a coisa pública.
    O correto no meu entendimento é que se busque verbas com Deputados, Ministros, Governador e até mesmo com a Presidente da República que é do Partido do Sr. Prefeito.
    Eu e os demais vereadores estamos de prontidão para ajudar na busca de recursos. Pense bem R$ 5 milhões divido por quatro anos de governo, seria R$ 1.250.000,00 de graça, sem pagamento de juros e outros custos.
    CONTINUA.......

    ResponderExcluir
  7. .....
    ........
    Sei que Blog não citou nomes e sei também que a intenção é trazer informações a população, sempre promovendo a cultura, os valores e a interação entre os visitantes.
    Diante disso, gostaria de deixar aqui um pouco de minha atuação como Vereador, trabalho árduo, efetuado com muita dificuldade e muita vontade de fazer da “Velha Serrana” um lugar ainda melhor de se viver.
    Em minha administração e legislatura:
    Fiz a reforma interna da Câmara com compra de equipamentos, melhoria do plenário e galeria, mudança da estrutura interna etc.;
    Ajudei APAM R$ 36.000,00, Hospital com R$ 36.000,00, APAE R$ 6.000,00 entre outros. (recursos passados para o Município e este repassando as respectivas entidades);
    Levantei recursos da ordem de R$ 65.000,00 para compra de gerador para Santa Casa de Misericórdia;
    Apresentação de Projetos e indicações visando a melhoria de nossa cidade. Dentre eles: Isenção de IPTU, qualidade das águas de nossas minas d’água, Lei Antifumo, autorização de empréstimo de mais de R$ 1 milhão para compra de caminhões e máquinas; Pedido de calçamento, infra-estrutura e limpeza de diversas ruas, Doação de terreno para instalação de fábrica no bairro Chapadão, Autorização para compra de terreno e instalação PSF no bairro Novo Lavrado, Projeto Câmara Jovem etc.
    E ainda tem o trabalho dos outros vereadores que conseguiram muitos benefícios para nossa cidade.
    Enfim, eu não faço oposição de um partido ou uma coligação de partidos contra o Município, Estado ou o país, mas contra os erros e omissões do daqueles que se ocupam do poder público.
    Se alguém quiser maiores informações, meus contatos são: abarros01@yahoo.com.br, abarros01@gmail.com, (37)3271-4466 – Câmara Municipal, (37) 9145-1133 – Celular Pessoal e a Praça da Câmara, n. 14, Centro. Terei o maior prazer para demonstrar como está sendo desenvolvido meu trabalho e da Câmara Municipal.
    Abraço e parabéns mais uma vez a toda equipe do Blog Daqui de Pitangui,
    Desejo muito sucesso a todos vocês!!!!
    Alexandre Maciel de Barros

    ResponderExcluir
  8. Olá Alexandre,
    minha intenção com esta postagem foi buscar esclarecimentos sobre o assunto, como você bem sabe reivindico melhorias para o bairro Dona Judith já faz tempo, vejo obras sendo realizadas em vários lugares de Pitangui, a prefeitura vive divulgando seus feitos pela cidade naquele jornal, você mesmo apresentou seus feitos como vereador em seu comentário.
    Agora surge muitas pessoas se manifestando a respeito deste empréstimo e decidi me manifestar, queria saber o que realmente está acontecendo, afinal a chegada de verbas alimenta minha esperança de ainda ver o bairro Dona Judith melhor assistido.
    Eu, na condição de eleitor me sinto no direito de questionar. Na condição de contribuinte, também me sinto no direito de exigir mais atenção do poder público com o bairro onde pretendo viver.
    A questão não é pessoal, você entende,né? É o direito à cidadania que estou exercendo, às vezes é preciso encomodar os responsáveis pela gestão pública.Quando eu for votar eu não vou ficar lembrando do que foi feito nos outros bairros da cidade, lembrarei sim é do que não foi feito pelo bairro Dona Judith.
    Reconheço que seu trabalho beneficiou muitos habitantes da cidade, eles saberão retribuir te reelegendo.
    Alexandre, eu vou continuar a minha Cruzada por melhorias no Dona Judith, talvez estes benefícios nunca cheguem, mas pelo menos dormirei em paz por ter tentado, ao invés de ficar inerte.
    Foi muito bom ler seu comentário, espero que alguém da prefeitura também se manifeste.
    As portas do blog estarão sempre abertas para você.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Realmente pedir um empréstimo deste tamanho sem um cronograma de execução ou um projeto amplo é difícil. Agora, eu tenho uma pergunta, de leigo que sou em política e administração de recursos públicos: Existem recursos emprestados aos municípios sem cobrança de juros? Porque a cidade não entra com contrapartida em nada? É porque a dívida vai ficar pro próximo prefeito? Ah! Deve ser por isso né, ano que vem tem eleição e qualquer futuro candidato não pode pegar essa bocada ruim. Realmente não! Agora, porque ninguem explora as parcerias público-privadas (PPP´s)? Já existe lei nacional regulamentando isso, mas porque não há prática?
    O que eu realmente creio, é que falta corporativismo entre legislativo e executivo. Porque não sentar todos os responsáveis pelo andamento de nossa cidade e montar um plano de investimentos prioritários (como um plano de negócios nas empresas), para a cidade com responsáveis por cada ação? Por Deus (e pelos eleitores)! As pessoas que vão poder fazer algo pela cidade, administrativamente falando, são os vereadores, prefeitoe secretários. Porque não sentar e dialogar, chegar ao consenso do que é bem comum à nossa cidade, considerando assim o aspecto urbano e rural e votar o que é a favor dos pitanguienses? Sem corporativismo, secretarias engajadas, diálogo, planejamento e entendimento do que é necessário ao senso geral, a coisa não vai pra frente. E o final todo mundo conhece: vira guerra política. E vira uma guerra política tal qual que Pitangui só vai se lamentar do passado, queixar do presente, e pior, não vai saber pra onde quer ir no futuro. E ao povo pitanguiense, que está na trincheira deste fogo cruzado, só resta dar "pão e circo" como em administrações passadas que depois de um tempo ninguém mais vai se lembrar disso. E Como disse o Licínio: Venha logo 2012!

    ResponderExcluir
  10. Oi Fábio,
    precisamos promover um debate mais amplo, devemos reconhecer que muita coisa já foi feita,mas e o que ainda está por fazer? Queremos mais.
    Gostaria de fazer uma observação sobre seu comentário, penso que o termo corporativismo deveria ser substituído por cooperação.
    O corporativismo não faz bem para a democracia.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Licínio, muito boa sua observação, embora não tenha tido a intenção de usar a palavra corporativismo com o sentido de sistema político em si (http://pt.wikipedia.org/wiki/Corporativismo), a sua sugestão é muito válida. Tomei a iniciativa de usar Corporativismo evocando o ambiente de área industrial, no qual, as pessoas que realmente tem que resolver as coisas estão ali dentro. Para resolver, nada mais necessário que alinhamento de necessidades, definição de responsáveis, gestão de recursos e, por fim, muito bem recebida sua sugestão, cooperação.

    ResponderExcluir
  12. Concordo com você Licínio e também em alguns aspectos com Fábio, belas observações!
    Minha intenção é justamente trazer informações para o Blog e todos visitantes.
    Abraço e a disposição.

    ResponderExcluir
  13. Licínio faltou a 2ª parte de meu comentário, está publicado somente a 1ª e 3ª. Estou enviando agora, deve ter ocorrido alguma falha no envio.
    Grato,
    .....
    Não querendo ser redundante, nunca se tem dinheiro, faltam recursos, a Prefeitura não dá conta de pagar, isso nas palavras do atual Prefeito em entrevistas, jornais e pessoalmente.
    Então como que com falta de dinheiro ele faria um empréstimo, isso mesmo empréstimo de R$ 5 milhões num Banco, deixando a dívida toda para outros pagarem. E mais, ficaria 3 anos sem pagar nada, ai a dívida iria para R$ 6.665.000,00, e a cidade teria que se virar para pagar, sem saber de qual forma.
    Soltaram um boletim mentiroso, que falta com respeito com o povo, pois nele se diz que os juros são só 4%, mentira!!! Os juros são 4% mais a Taxa de Juros a Longo Prazo – TJLP, que hoje é de 6% e pode subir com o aumento da inflação cada dia maior.
    Então a taxa de juros é na verdade 10%, podendo subir e muito!!!
    O aumento da inflação proporciona o aumento da TJLP, pois é um dos índices utilizados em sua formação.
    O projeto que veio a nossas mãos tem seis páginas, não tem nenhum estudo de viabilidade ECONÔMICO/FINANCEIRA, nenhum! Na semana passada chegou algumas folhas com esboços de projetos que poderiam ser feitos com esse dinheiro, porém sem nenhum cronograma, sem planilha de custos, datas, prazos para obras iniciarem, nada.
    É como se dessem um cheque em branco para o Prefeito fazer o que quer e deixar para outros, vejam bem, outros tentarem pagar.
    Entendo que a população não quer isso de jeito nenhum.
    Só para se ter uma idéia, o Município iria pegar R$ 5 milhões, daqui três anos a dívida estaria em R$ 6.655.000,00 ai a Prefeitura teria que pagar 144 parcelas mensais de R$ 77.883,80, descontadas diretamente nas receitas, sem saber ao menos as condições de nossa Prefeitura.
    Só de juros a Prefeitura teria que pagar com esse empréstimo a espantosa quantia de R$ 7.870.152,00, um absurdo, sem falar em Taxas que também são cobradas. O custo final de tudo seria em torno R$ 11.200.000,00.
    Quando tivemos a crise mundial, nossas receitas caíram, então como se pode ter irresponsabilidade de comprometer receitas futuras, sem perspectiva de pagamento, podendo ocorrer problemas futuros.
    Entendo que o povo quer é transparência, responsabilidade e cuidado com a coisa pública.
    O correto no meu entendimento é que se busque verbas com Deputados, Ministros, Governador e até mesmo com a Presidente da República que é do Partido do Sr. Prefeito.
    Eu e os demais vereadores estamos de prontidão para ajudar na busca de recursos. Pense bem R$ 5 milhões divido por quatro anos de governo, seria R$ 1.250.000,00 de graça, sem pagamento de juros e outros custos.

    ResponderExcluir
  14. Oi Fábio,
    entendo o que você quis dizer, fiz a observação porque em política o termo corporativismo tem outra conotação e, por sinal muito negativa, está ligado aos regimes totalitários, como o fascismo.
    A este respeito deixo abaixo um link para consulta, caso interesse pelo assunto.
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Corporativismo

    Enfim...o fato é que todos nós temos interesse em ver Pitangui melhor, cada um fazendo a sua parte,né? Eu e você buscando o exercício pleno da cidadania, o Alexandre exercendo suas funções no legislativo e por aí vai...
    A intenção de todos nós não é alimentar as picuinhas, pelo contrário.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  15. Olá Alexandre,
    percebi que a segunda parte de seu comentário não tinha o link para publicação, o problema foi no provedor Blogger, agora tá postado.
    Você pode ter certeza que suas informações sobre este empréstimo jogam luz sobre este assunto.
    São os detalhes dos trâmites legais que desconhecemos que precisam ser apresentados como você bem fez, de forma transparente.
    Espero que outras verbas sejam disponibilizadas por outras vias legais e que sejam atendidas as necessidades dos cidadãos, como os moradores do Bairo Dona Judith.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  16. Muitíssimo importante a participação do Alexandre neste espaço como representante do legislativo, expôs de forma clara o porquê do veto da câmara, cabe agora ao prefeito utilizar deste mesmo espaço para seus contra-argumentos. Desta forma não só blog estaria sendo democrático mas estaríamos de uma forma geral praticando a democracia. Concordo em gênero, número e grau com o Fábio quando ele fala que tem de haver diálogo entre o legislativo e o executivo, é sentando e conversando que a coisa anda, principalmente quando se trata das finanças do município. Cobrei isto do Evandro e ele me disse que este diálogo existia no início do mandato mas acabou quando se iniciou o fracassado processo de cassação que só trouxe perda de tempo e prejuízo para o município. E aí que eu falo que TEM PICUINHA na política da cidade. Porquê que este diálogo não acontece mais ? Qual porta está fechada ? Quem não quer sentar e conversar ? Acredito que esta seja uma boa oportunidade para que a administração pública volte a praticar o bom senso aliado a um consenso que possa trazer o progresso e a paz de que Pitangui tanto precisa. Vandeir

    ResponderExcluir
  17. Por anos e anos a população pitanguiense viu todas as cidades vizinhas se desenvolverem demográfica e ecomomicamente e Pitangui continua na mesma de sempre. Talvez seja utopia, mas executivo e legislativo têm de andar abraçados pela causa maior que é Pitangui. MAIS VALE A AÇÃO QUE A GLÓRIA ... e é isso que esperamos tanto da prefeitura quanto da câmara. Como disse o Vandeir, chega de PICUÍNHAS POLÍTICAS, chega de interesses partidários. Também acho que seria interessante a prefeitura se pronunciar a respeito e o blog está de portas abertas a qualquer um que vier enriquecer a discussão.

    ResponderExcluir
  18. Meus caros amigos,
    é gratificante participar do debate entre cabeças lúcidas.
    Debater os temas da pólis,diriam os gregos,é função dos cidadãos.
    É bom me encontrar entre eles neste espaço.

    ResponderExcluir
  19. Licínio, com certeza é muito bom, realmente, encontrar cidadãos a debater sobre a velha Serrana. A participação do legislativo na pessoa do Alexandre é importantíssima. Reiterando o comentário do amigo Vandeir, com quem eu concordo que há mais picuinhas que planos diretos de envolvimento, é impressionante como a ideologia partidária pode atrapalhar o desenvolvimento de uma cidade. Céus! Estamos falando de uma cidade, como a nossa, que é uma cidade pequena, aonde grande parte das pessoas se conhecem e na qual um candidato se elege mais pela afeição que as pessoas têm por ele do que por propostas concretas que talvez ele possua. Prova disso é que no início dos anos 90, o Evandro acabou tendo uma trajetória política como o Lula, permeada por desconfiança, mas que acabou sendo apoiado após a eleição de Lula em 2002. Não tenho dúvidas que esta eleição trouxe para a nossa cidade uma gestão menos, como disse antes, "pão e circo", mas é impressionante que o acirramento de ideologias numa cidade tão pequena atingiu patamares não conhecidos. O que observo e recrimino é que numa cidade familiar como a nossa, as brigas por ideologia política não deveriam ter lugar. Estamos falando de cidadãos próximos que antes de ocuparem seus cargos no legislativo e no executivo, se conheciam de alguma forma, mesmo sendo contemporâneos ou não. Sendo assim, quando vemos brigas, picuinhas políticas, é lamentável perceber que por causa disso nossa Pitangui foi e vem sendo reduzida a míseros avanços quando comparada a cidades que estão a nossa volta. É daí que apóio o Dênio no seu pensamento e vejo que alguns gestores e representantes pitanguienses preferiram o inverso: A glória em detrimento de grandes ações em prol da cidade. Seja Dilma no poder ou seja Aécio numa próxima oportunidade, Pitangui não pode esperar por macro-cenários favoráveis a este ou aquele candidato. Há muito mais coisas que podem ser feitas, utilizando-se de uma arma muito poderosa em qualquer espaço-tempo: DIÁLOGO. Por favor senhores vereadores e prefeito: LEGISLEM E EXECUTEM em favor da cidade.

    ResponderExcluir
  20. Caríssimos,

    Acho que primeiramente antes de pensarmos em obras, turismo, infra-estrutura, trânsito, lazer, enfim, temos que rever a questão da SAÚDE em nossa cidade, principalmente a questão da Santa Casa, que deve estar em primeiro lugar, além de incentivar a vinda de empresas para a nossa querida Pitangui! Penso que o tal empréstimo poderia sim ajudar muito o Município, pois eu mesmo apresentei um projeto para a Câmara Municipal que foi enviado ao Departamento Municipal de Saúde e o departamento não aceitou, alegando falta de recursos financeiros para executá-lo. Enfim se este empréstimo for comprometer a cidade no futuro, acho que deveriam analisar com maior critério e tomar uma opinião pública, pois 4 anos se passam em um piscar de olhos e no final quem vai ficar com está dívida, nós??? Vocês podem até pensar que estou "puxando areia" para o lado dos meus caros colegas da aréa da saúde, porém uma saúde com mais QUALIDADE e mais HUMANA é o que precisamos!!!

    ResponderExcluir
  21. Prezado colega Licínio,
    O empréstimo de R$5.000.000,00 do “Novo Somma Urbaniza” é um financiamento do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais – BDMG, sob a supervisão da Secretaria do Tesouro Nacional, com vistas a obras de ampliação da infra-estrutura em municípios de Minas Gerais. E o município habilitou-se junto ao Banco para receber estes recursos, sonho de muitos outros.
    Bancária que fui por aproximadamente 20 anos, quero aqui expor minha posição sobre o assunto: Quem define capacidade de pagamento do cliente é a Entidade Bancária, após análise de cadastro. Quando qualquer pessoa física ou jurídica pleiteia um empréstimo, seja em banco ou loja, faz-se primeiramente um cadastro para se verificar a viabilidade da operação. E no caso de município é ainda mais sério, somente têm acesso a tais financiamentos os municípios que possuem suas contas em dia, com a aprovação rigorosa do Banco Central, ou seja, com capacidade de endividamento aprovada pelo Tesouro Nacional.
    A Prefeitura fez o Cadastro do Município, com vistas ao “Novo Somma Urbaniza”, efetuando o levantamento dos saldos devedores. Após análise rigorosa do Tesouro Nacional, o município foi contemplado. Infelizmente o Projeto não foi aprovado na Câmara. No ano passado o mesmo projeto foi apresentado pela Prefeitura na Câmara e ele nem sequer entrou na pauta para votação.
    Sem dúvidas com estes recursos o município teria uma melhoria considerável – com recapeamento asfáltico de várias ruas da cidade, calçamento de povoados rurais, drenagem de águas pluviais no bairro Gameleira, além de um Projeto “bem bacana” de sinalização do trânsito da cidade. Essas obras gerariam também emprego e renda para os cidadãos pitanguienses, além de valorizarem os imóveis próximos às obras.
    Enfatizo ainda que por outro lado teríamos, por exemplo, economia das operações “tapa-buracos”, dos calçamentos que muito oneram o município. E o recurso economizado poderia ser utilizado em outros investimentos.
    Ao meu ver, os governantes de uma cidade (todos – Executivo, Legislativo e a própria População) precisam ter uma visão maior de mundo, um olhar para o futuro. Isso independente de quem será o prefeito que executará a obra ou pagará o empréstimo. Afinal, trabalhamos para o povo e isso beneficiaria a toda a população.
    Temos sido bastante transparentes – sempre noticiamos que se trata de um financiamento, bastante vantajoso. Quanto aos órgãos IMA, IEF, EMATER, EPAMIG, POLÍCIA MILITAR, POLÍCIA CIVIL, DEFENSORIA PÚBLICA, CARTÓRIO ELEITORA, além do TRANSPORTE ESCOLAR DOS ALUNOS DAS ESCOLAS ESTADUAIS, esclareço que são órgãos do estado. O Município arca com despesas de manutenção desses órgãos cujos recursos deveriam sair dos cofres do Governo Estadual. Esses recursos poderiam estar sendo utilizados para obras e serviços em benefício de nossa população.
    SALIENTO A NECESSIDADE DE GESTORES PÚBLICOS EM TODAS AS ESFERAS COMPROMETIDOS COM O POVO.
    Isabel Corgosinho

    ResponderExcluir
  22. Prezada Isabel,

    Falou e disse. Gostei de sua sinceridade. Afinal sempre a admirei o seu trabalho, Sério, determinado, sempre buscando o melhor para a cidade. Você disse a verdade: Pitangui peredeu muito. É preciso gestores públicos com uma visão de futuro. Um grande abraço a todos. Valeu.
    Marina Silveira

    ResponderExcluir
  23. Cara Isabel,
    agradeço pelos esclarecimentos sobre este empréstimo,pois, penso que a prefeitura deve se manifestar a este respeito.Esta questão está sendo acompanhada atentamente pelos cidadãos pitanguienses.
    Concordo com você no que diz respeito ao compromisso dos gestores públicos com o município, por isso, desejo que o Executivo e o Legislativo desta cidade busque o diálogo em prol do interesse público.
    Gostaria de salientar que a exposição do ponto de vista de um representante do executivo, como também, do legislativo, como já foi manifestado aqui dão transparência ao debate político permitindo que o povo possa tirar as suas conclusões dos fatos.
    Aproveito para novamente reivindicar melhorias para o bairro Dona Judith Abreu e Silva.Assim como as obras citadas por você, gostaria que uma parte dos recursos capitados pelo município fosse utilizada em obras naquele bairro.
    Assim como já manifestamos ao Vereador Alexandre Barros, as portas do blog estarão sempre abertas aos representantes do executivo municipal.
    Um cordial abraço.

    ResponderExcluir
  24. Parabéns ao criadores do BLOG, li a todos os comentários e aprecio esta forma aberta de exposição de idéias e reividicações.

    ResponderExcluir
  25. Olá Fábio Rodrigues,
    seja bem vindo ao blog.
    Também compartilhamos da opinião que devemos ter saúde de qualidade, como também todos os outros serviços públicos. O debate político se faz necessário e estamos neste mmento promovemos este debate de forma democrática.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  26. Olá Luíz Cláudio,
    é bom receber a sua visita em nosso blog.
    O debate político em bases democráticas é sempre saudável,né?
    Abraço.

    ResponderExcluir
  27. Quero nossa cidade sempre ensolarada
    os meninos e o povo no poder eu quero ver

    Tomara que em Pitangui não seja utópica a idéia de Milton Nascimento. Parabéns a esse site de Pitangui que a cada dia promove discussoes ricas como esta apresentada aqui. Queremos uma Pitangui melhor e isso só acontecerá quando o interesse dos político forem pelo bem cidade e não interesses dos partidos ou de certos políticos pelo comando cidade. Mais uma vez parabéns aos donos do site pela discussão apresentada. Isso nunca aconteceu em Pitangui.

    ResponderExcluir
  28. Olá Ronaldo,
    todos nós queremos o melhor para Pitangui e estamos aqui debatendo ideias em busca do bem comum. Percebo que as pessoas que aqui se manifestaram até agora adotaram uma postura política irrepreensível. Não houve pronunciamentos ofensivos, a cordialidade e a liberdade para defender pontos de vista tem sido a tônica.
    Isso demonstra amadurecimento para o exercício da cidadania.
    O povo sempre teve o poder em suas mãos,apesar de muitos não terem consciência disso.
    Abraço

    ResponderExcluir
  29. Boa noite a todos! Parabenizo o Blog daquidepitangui e as pessoas responsáveis por mantê-lo ativo e abrir o espaço para essa discussão saudável, importante, franca e democrática. Tenho acompanhado todos os comentários e gostaria de contribuir com algumas informações.
    Eu diria que a maioria dos vereadores rejeitou o Projeto “Novo Somma Urbaniza” e não a Câmara, uma vez que temos 9 vereadores e tivemos 2 votos favoráveis ao projeto, sendo um deles o meu.
    Meu voto pela aprovação teve como justificativa que o projeto é interessante para o município e traria inúmeros benefícios para a comunidade, tais como: recapeamento de asfalto, pavimentação de vias públicas urbanas e rurais, drenagem de águas pluviais na Gameleira, implantação/ampliação/adequação das vias de transporte público (sinalização), etc. Isso no meu entendimento é investimento e todo investimento gera ônus. Como nosso município tem uma arrecadação pequena, o orçamento não comporta realizar tais obras com recursos próprios. Por isso a alternativa é o financiamento.
    É sabido que qualquer pessoa seja ela física ou jurídica, ao se inscrever junto aos bancos, financeiras, etc é cadastrado e é feita uma análise desse cadastro para saber se é viável a liberação do financiamento ou empréstimo e se o interessado tem condições e garantias para conseguir pagar tal financiamento. No nosso caso, o município preenchia todos os requisitos necessários para ser contemplado, o que não ocorreu com todos os municípios que se inscreveram. Outro detalhe é que as parcelas já vêm descontadas direto no FPM (Fundo de Participação dos Municípios) e o município também entra com uma contrapartida.
    E se nós fomos eleitos para representar e defender os interesses dos cidadãos de nossa cidade, não importa quem irá pagar o empréstimo e sim os benefícios que a população terá, além de termos condições financeiras para fazer o empréstimo, senão o BDMG não liberaria tal recurso.
    Disse que a alternativa seria o financiamento, pois, tentar conseguir recurso por meio de emendas parlamentares com os Deputados Federais e Estaduais, Ministros, Secretários, Governo e Presidente é difícil. Como alguém colocou em seu comentário, o governo de Minas não consegue bancar todos os custos com os órgãos IMA, IEF, EMATER, EPAMIG, POLÍCIA MILITAR, POLÍCIA CIVIL, DEFENSORIA PÚBLICA, além do TRANSPORTE ESCOLAR DOS ALUNOS DAS ESCOLAS ESTADUAIS, precisa da ajuda dos municípios. Da mesma forma acontece com o governo federal. Os deputados tendem investir maior parte dos recursos de suas emendas parlamentares com as cidades onde eles obtêm maior votação. Digo isso, usando como exemplo Pará de Minas que recentemente aprovou este mesmo projeto e eles tem uma arrecadação bem maior que a nossa, tem 2 deputados estaduais e 1 deputado federal, se o projeto não fosse viável, eles não teriam aprovado e iriam buscar recursos apenas com seus deputados.
    Um outro detalhe importante é que a Assessoria Jurídica da nossa Câmara e todas as Comissões deram seus pareceres favoráveis, considerando que o projeto é legal, constitucional e não possuía nenhuma irregularidade. Isso significa que a discussão e a votação do projeto são de cunho político.
    Concordo com os vários comentários sobre deixar de lado as picuinhas políticas, interesses partidários e unirmos para fazermos mais por Pitangui e construirmos uma cidade melhor de si viver.

    ResponderExcluir
  30. Olá Irene,
    seja bem vinda ao blog.
    Agradecemos o seu reconhecimento ao nosso trabalho.
    Por ser uma representante do legislativo que votou a favor do empréstimo, seu comentário amplia o leque do debate.
    Queremos entender o processo, como cidadãos, somos a parte mais interessada.
    Obrigado pela participação.
    Um cordial abraço.

    ResponderExcluir
  31. Ainda é bom saber que existem representantes do povo que são pró-Pitangui dentro de nossa câmara. O comentário desta Sra. enriqueceu mais ainda o debate, com certeza e só traz à tona que o motivo do veto tem outras origens além da retórica de pagamento de juros e endividamento massivo no longo prazo da cidade. Só acredito que qualquer investimento, apesar do ônus dos juros, traz grandes benefícios no longo prazo. Cada um colhe o fruto do desafio que encarou. Aproveito para lembrar um prefeito que assumiu o risco de implantar, em nossa cidade, a copasa. O investimento era altíssimo na época, mas a desoneração da saúde pública em doenças e males relacionados à qualidade da água é evidente nos dias de hoje. De alguns ele colheu a repulsa, mas de muitos ele só colheu elogios e boas lembranças pois trouxe coisas boas pra Pitangui, pelo seu lado humano da profissão, pelo desejo de fazer o bem para a cidade e pela coragem de homem público que muitos poucos a têm. Apesar de estar longe da cidade, eu acompanho tudo que acontece pelos amigos e pelo blog e é muito bom ver que a consciência política está aumentando.

    ResponderExcluir
  32. Parabéns pelos comentários Fábio, vale lembrar que na implantação da Copasa não existiu investimentos do município, a Copara sim investiu em troca da concessão. Mas vejo como boa essa discussão. Agora é bom lembrar que a capacidade de pagamento de municípios do porte de Pará de Minas são muito superiores a de Pitangui/MG, entretanto é importante avaliar todos aspectos. Benefícios poderiam chegar e o ônus? Acho como cidadão que não mora, mas vota e acompanha os acontecimentos em Pitangui/MG, inclusive reuniões da Câmara, via internet, Rádio Ativa, que a decisão foi da Câmara foi acertada. O projeto poder ser legal, constitucional, porém inviável, acontece muito. Parabéns vereadores, a muitos anos não vejo uma Câmara tão atuante como a atual.

    ResponderExcluir
  33. Palmas para as palavras da vereadora Irene Melo Franco. Como disse Lecínio, seja bem-vinda a este espaço de debate. Gostei muito de ler o texto produzido por ela. Parabéns também ao Fábio, que lembrou a implantação da Copasa. É como diz aquele ditado: "Em sua época, Jesus tentou agradar a todos. Mas até ele falhou". Porém, recebe hoje um enorme reconhecimento pelo que fez.

    ResponderExcluir
  34. Quais foram os vereadores que votaram a favor do empréstimo?

    ResponderExcluir
  35. Olá Guilherme,
    seja bem vindo ao blog.
    A vereadora Irene nos confirmou através de comentário postado aqui que votou a favor.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  36. Mas segundo palavras da própria vereadora: "tivemos 2 votos favoráveis ao projeto, sendo um deles o meu." Na última eleição votei no vereador Djair Silésio e gostaria de saber seu voto. Muito obrigado pelo espaço! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  37. Caro Guilherme,

    Os vereadores que votaram a favor do emprestimo de 5 milhoes são: Irene e Lopinho.
    Em falar no vereador Djair, você tem noticia dele? O que ele está faznedo de bom para Cidade? para seu bairro? quase não ouço falar dele.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  38. Prezada Vereadora Irene,

    Concordo plenamente com a sua exposição, que "devemos deixar de lado as picuinhas políticas, interesses partidários e unirmos para fazermos mais por Pitangui e construirmos uma cidade melhor de si viver."

    ResponderExcluir
  39. Tomemos como exemplo o financiamento da casa própria. O empréstimo para municípios é fechado mais ou menos como o financiamento da Caixa, onde o mutuário pega um valor e, ao final, paga quase o dobro. Talvez até o dobro ou mais.

    Quem possui crédito suficiente acabam conseguindo quitar a dívida. Por que a prefeitura não conseguiria?

    Daí a importância da análise do crédito. Você não consegue pegar empréstimo para financiar a reforma de sua casa sem provar para o banco que terá condições de pagar ao longo dos próximos anos. Por que com uma prefeitura seria diferente? As condições da gestão atual foram aprovadas pelo BDMG, pelo Banco Central e até pela própria Câmara Municipal.

    Muita gente pega financiamento no valor de R$ 50.000,00 e, no total, paga 110.00,00 ou mais.

    Um exemplo prático foi o empréstimo para a construção de uma casa que um amigo meu pegou com a Caixa Econômica Federal(pedi a ele que me detalhasse as formas de pagamento e anotei tudo para poder mostrar aqui).

    R$ 28 mil a serem pagos em 240 prestações mensais de R$ 289,00. Multiplicando estes R$ 289,00 pelas 240 prestações, vejam só o resultado: R$ 69.360,00. Não é assustador? 28 mil se transformam em 69.360. Quase o triplo.

    Quando este meu amigo pegou este empréstimo com mensais de R$ 289,00, o salário-mínimo era de R$ 350,00. Sobrava, portanto, R$ 61,00. Hoje, com o mínimo a R$ 545,00, há apenas quatro anos depois, paga-se quase duas prestações.

    Imagine daqui a 15 anos? Quantas prestações serão pagas com um salário? Não fará nem cócegas no bolso.

    Quando foi assinado o empréstimo deste meu amigo, ele começou a pagar no primeiro mês. A prefeitura pagaria cerca R$ 70 mil daqui a três anos. Quanto pesará isto daqui a três anos?

    Hoje, R$ 70 mil equivale a “tanto porcento” da receita de 2010. Levantemos as receitas de três anos antes (2009, 2008 e 2007). Se fosse há 4 anos atrás, R$ 70 mil equivaleria a uma fatia do bolo orçamentário bem maior do que vale hoje.

    Se um cidadão trabalhador que precisa construir sua casa consegue quitar um empréstimo nestas proporções, um município com suas contas em dia não conseguiria? Por favor, respondam a esta pergunta.

    Acham que, ao contrário do cidadão, a prefeitura sempre tem dinheiro disponível para fazer tudo e nunca precisa pegar empréstimo? As coisas não são bem assim.

    Pessoas contrárias ao empréstimo publicam aqui informações recheadas de zeros. Zeros, zeros e mais zeros. Uma quantidade enorme de zeros que parece ser uma forma peculiar de assustar o povo.

    Se meu amigo, precisando urgentemente da casa que abrigaria sua família, focasse doentiamente a atenção nos números do empréstimo e seus juros, deixaria apagar as imagens de seu sonho e não pegaria o empréstimo. Não pegaria. Porque os juros estão lá.

    Agora, tendo condições de quitar o empréstimo, o que é melhor? Pegar o financiamento ou morar debaixo da ponte?

    ResponderExcluir
  40. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  41. * Oferece uma taxa de empréstimo de juros de 3%
    * Seguro para empresário sem dinheiro
    * Garantia por dinheiro

    Com uma boa pontuação de crédito, o Credit Financier Home oferece empréstimos colaterais e empréstimos não colaterais a particulares ou associações de empresas ou cooperativas para fins de benefícios industriais e pessoais.

    Endereço de contato:
    Whatsapp: +15184181390
    Correio direto
    creditfinancierhome@gmail.com

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.