Seguidores

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Silá ou Zilá da Penha

A Silá ou Zilá era conhecida por muitas pessoas em Pitangui. Portadora de necessidades especiais, vivia da caridade das pessoas de bom coração, como me informou a Marlene do Depósito São João, em uma conversa informal.
No livro de Amália Rocha Mendes, "Pitangui - Lembranças de uma cidade  feliz", esta personagem é citada. Segundo a autora, Zilá era sempre vista na companhia do pai pedindo esmolas. Sua dicção era difícil e mal se compreendia o que falava.

Foto: cortesia de Paulo Salatiel

5 comentários:

  1. Bem lembrado Licínio! Pessoas como a Zilá fazem parte das peculiarides pitanguienses e merecem a nossa consideração e respeito.
    Me lembro quando a Zilá passava na rua lá casa, proseava com as pessoas e se despedia com a frase: "Amanhã cê vai lá"!

    ResponderExcluir
  2. A Zilá passava todo dia lá em casa!!! Depois ia pra casa da Nazaré. Passava muito lá no Hotel também, e como via o papai lá, no outro dia ficava "fofocando" pra mamae... Todos lá de casa tínhamos muita estima por ela. Ela ficava contando altos casos - e agente nao entendia nada - e dava até uns cochilos sentada na cadeira!!! Abracos Stefania.

    ResponderExcluir
  3. Exelente Licínio,a Zilá fez parte da minha infancia era raro o dia em que nao recebiamos sua visita la em casa (casa de meus pais)era muito querida por todos nós. A frase citada pelo Leo ficou eternizada na lembranças de varios e moradores aqui da penha e de vez enquanto a gente ainda escuta alguem dizer. "Amanha ela vai lá" ou "Amanha cê vai la" lembrando o jeito dela.

    ResponderExcluir
  4. Esqueci de mencionar que ela ficava muito brava quando alguem lhe dizia que ela iria se casar com o tambem saudoso "Joao Canela" ou (Canela do Penharol)bons tempos aqueles.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.