Seguidores

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Ivone Guimarães: uma pitanguiense a frente de seu tempo

O final da década de 20 do século passado foi marcado por inúmeras manifestações feministas onde as mulheres buscavam progredir socialmente. Um grande desejo do movimento naquela época era o direito ao voto. Em 1928 no estado de Minas Gerais a figura de Mietta Santiago entra em evidência ao ser a primeira mineira a obter o direito ao voto através de um mandato de segurança. Mas até o final daquele ano ela não estaria sozinha neste privilégio.




Aos 15 de junho de 1908 nasce em Pitangui Ivone Guimarães Batista Lopes, filha de Vital Pereira Guimarães e Amélia Lobato. Em 08/12/1924 forma-se normalista no Colégio Nossa Senhora das Dores de São João Del Rey. No ano seguinte inicia suas atividades no Grupo Escolar Francisca Botelho. O próximo passo desta ilustre pitanguiense foi tentar obter, através de uma decisão judicial, o direito ao voto e a 27 de Outubro de 1928 o juiz da comarca Sizenando Rodrigues Barros, se baseando no mesmo artigo 70 da Constituição Federal no qual Mietta Santiago havia fundamentado a sua intenção de se tornar eleitora, concede o parecer favorável à sentença. No dia seguinte, a edição de nº 1 do jornal Município de Pitangui publica uma página inteira sobre a decisão, exaltando a “jovem e inteligente professora”. Não foi possível saber quantos foram os processos, em Minas Gerais, concedendo às mulheres o direito ao voto naquele ano, certo é que Ivone Guimarães foi uma das primeiras mineiras a obter esta importante conquista.

Predestinada a ser uma mulher de sucesso, Ivone não se dá por satisfeita com a sua vida em Pitangui e em 1933 exonera-se da cadeira de Metodologia da Escola Normal Monsenhor Artur de Oliveira e passa a ocupar a cadeira de Psicologia da Escola Normal de Belo Horizonte. Em 1946 é nomeada professora de Sociologia Educacional no Instituto de Educação de Minas Gerais. Também designada membro efetivo da Junta Examinadora dos candidatos ao Ministério Oficial de 2º Grau. Em 1947 forma-se bacharel em direito pela UFMG, cadastrada na OAB sob nº 3.848. Em 1962 forma-se como interprete e tradutora de língua francesa na ETIMIG. Em 1969 forma-se em primeiro lugar no Concurso de Educação Moral e Cívica no Instituto de Educação de Minas Gerais e aposenta-se como catedrática da cadeira de Sociologia educacional do I.E.M.G. Finalmente em 1980 aposenta-se como professora nível 06 do 2º Grau da Escola Estadual Governador Milton Campos. Com este invejável currículo, Ivone personifica a garra e a coragem da mulher pitanguiense, enfeitando com sua presença feminina o rol de personalidades da Sétima Vila.

Falecida em 09 de março de 1999, era casada com o Engenheiro Alício Batista Lopes e deixou os filhos: Alício Batista Lopes Filho; Paulo de Tarso Batista Lopes; Francis Batista Lopes; Patrícia Catarina Batista Lopes Borten; Magnus Batista Lopes e Ruimar Batista Lopes.






Fonte: site Wikipédia; Edição nº 1 do jornal Município de Pitangui de 28/10/28; Edição nº 214 do jornal O Independente – matéria de José Messias Fernandes.

Especial agradecimento a pessoa de Patrícia Lopes, filha de Ivone, pelas informações e fornecimento da foto.

Vandeir Alves dos Santos

Nos seus 300 anos, as histórias e estradas de Pitangui também são Reais





4 comentários:

  1. Excelente postagem! Quantos fatos e personagens históricos que fizeram parte da historia e contribuíram para o desenvolvimento tanto de nossa cidade quanto de nosso estado e país ainda estão guardados seja na memoria ou em arquivos esquecidos esperando pra vir a tona?

    Parabéns pela matéria Vandeir!

    ResponderExcluir
  2. Ótima postagem sobre uma história de vida e uma carreia memoráveis!

    ResponderExcluir
  3. uma pequena correção:
    "ao ser a primeira mineira a obter o direito ao voto através de um mandato de segurança."
    leia-se:
    "ao ser a primeira mineira a obter o direito ao voto através de um MANDADO de segurança."
    NEGO

    ResponderExcluir
  4. Olá. Sou neta de Sr. Vital Pereira Guimaraes e Honorita Pinto da Cunha (segunda esposa dele). Gostaria de me contatar com meus parentes distantes. Seria possível? Meu email Paola.hguimaraes@gmail.com

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.