Seguidores

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Requerimento do Velho da Taipa


Finalizamos hoje as publicações da série Arquivo Histórico Ultramarino, que trata-se de documentos produzidos no século XVIII relativos à então Vila de Pitangui. Para mais informações acesse o menu no fim desta postagem.

Requerimento de Antônio Rodrigues Velho [o Velho da Taipa] da Vila de Pitangui, solicitando justiça pelo descaminho de um escravo, Manuel Jacinto, pardo forro e de uma sua escrava chamada Inácia.

A carta de Antônio Rodrigues Velho datada em 13.12.1761.

Penso que o título deste documento serve como tema de um bom conto literário, num misto de aventura e romance. Como deve ter sido esse episódio da nossa história? Quais os reais motivos que levaram o Antônio Rodrigues Velho a reclamar a fulga dos escravos? Teria o casal fugido para o suposto quilombo no Veloso? As respostas certamente ficarão a cargo da imaginação de cada um. Alguém se habilita a escrever sobre o tema? A propósito, é Velho da Taipa ou Velho do Taipa?

8 comentários:

  1. Se raciocinarmos o nome como sendo o velho da casa de taipa, o correto seria Velho da Taipa uma vez que o substantivo se refere a casa. Acredito que seja isto não posso afirmar.
    Quanto ao romance você já sabe da minha opinião.

    Um abraço, Vandeir

    ResponderExcluir
  2. Oi Léo,
    parabéns pelo trabalho de pesquisa no Arquivo Histórico Ultramarino, que emriqueceu substancialmente o blog com mais informações sobre Pitangui e as Minas setecentista.
    Com relação à nomenclatura, penso que o correto seria Velho da Taipa, mas devemos considerar a tradição.
    Áproveito para desejar a você e família um Feliz Natal e próspero ano novo!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela pesquisa, Léo! Se os conteúdos desses documentos históricos já são alucinantes para nós, imagine para roteiristas de livros ou filmes? Daria uma bela série, não? Quanto à nomenclatura, "taipa" (parede feita de barro) é substantivo feminino. Seria preciso saber se o cidadão recebeu este apelido porque fazia taipa (ou morava numa casa de taipa). Neste caso, o correto seria "da" casa ou da parede de taipa. Licínio comentou que devemos considerar a tradição. Acho que não entendi bem essa parte. É como se o substantivo tivesse se masculinizado por força do emprego errado, sido convencionado como certo e, por isso, o melhor seria continuarmos escrevendo assim? No mais, gostaria de agradecer a todos vocês do blog por todos os conhecimentos sobre Pitangui divulgados ao longo do ano, pelas trocas de opiniões e debates e desejar feliz Natal e próspero ano novo. Que em 2012 todos vocês tenham saúde e determinação em continuar com o site. Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Ricardo,
    quando me refiro à tradição me remeto aos costumes de um povo (por exemplo,o jeito de falar) e não sobre a norma culta da escrita,ok?
    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Valeu Vandeir! Feliz Natal e obrigado pela sua grande coloboração com o blog em 2011.

    ResponderExcluir
  6. Obrigado professor! Acredito que por meio de pequenas atuações e pesquisas estamos fazendo do DaquidePitangui um rico acervo sobre a 7ª Vila das Gerais. Um grande abraço e um excelente natal pra você e familiares!

    ResponderExcluir
  7. Valeu Ricardo! Obrigado pelas participações aqui no blog durante este ano. Assim como você, a nossa proposta é somar por Pitangui, pesquisando e divulgando nossas histórias, valores, talentos e tradições.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.