Seguidores

quinta-feira, 30 de junho de 2011

ex - machina


Com a proposta de garimpar e divulgar os talentos da Velha Serrana, falamos hoje sobre a ex - machina, uma banda de metal hardcore de B. H., formada por músicos da capital e pelos pitanguienses Leônidas Valadares e Wilson Bicalho. Então, vamos conhecer o trabalho dos caras, por meio das fotos e do release produzido pelo Leônidas, que além da música é professor graduado em Ciências Sociais, com Mestrado em Demografia. Durante esses quase dois anos de existência do Blog, já divulgamos várias bandas e músicos da terra, com estilos diversos. Imaginem esse povo todo tocando em um festival de Música de Pitangui!!!



ex machina . > histórico > 2011 d. c.

. ex machina . (da dramaturgia grega) > algo ou alguém que surge de súbito > inesperadamente > causando grande impacto e espanto > alterando a estória após sua aparição

. ex machina . > banda metal hardcore formada em maio > 1999 > em Belo Horizonte > Minas Gerais > Brasil > por léo turchi (bateria) > t. tufik (guitarra e vocal) > leönidas (baixo e vocal) > com a proposta de fazer um som pesado > denso e agressivo >>> com diversas influências do metal e do hardcore

em agosto de 1999 lançam sua demotape >>> BEYOND AGGRESSION >>> gravada em 8 canais analógicos >>> Gennesis Studio >>> Belo Horizonte >>> Minas Gerais >>> com 4 músicas próprias em inglês

a partir de outubro de 1999 tem realizado vários shows em B.H. e interior / M.G. >>>> tocando, além das músicas próprias, covers de bandas como >>>> Sepultura / Hellhammer / D.F.C. / Obituary / Kreator / Sacred Reich / Metallica / Nailbomb / Sick Of It All / Pantera / Minor Threat / Ratos De Porão




Divino Rock 2003.

durante um breve período entre o final de 1999 e início de 2000 o guitarrista márcio toca com a banda

em janeiro de 2000 gravam participação no longa-metragem mineiro SAMBA CANÇÃO, de Rafael Conde, tocando a música própria new song (for the demented) - - - em junho de 2001 participam como uma das doze bandas selecionadas a participar do festival Divino Rock >>>> Divinópolis/M.G. >>>> durante a Festa Nacional da Cerveja

em julho de 2001 o guitarrista wilson se junta à banda

em março de 2002 participam como uma das 20 bandas selecionadas a participar das eliminatórias de festival Camping & Rock >>>> B.H./M.G.

no início das gravações da segunda demo >>> agosto de 2002 >>> o guitarrista/vocalista t. tufik deixa a banda por motivos pessoais, fazendo com que o baixista/vocalista leönidas assuma todos os vocais





entre agosto de 2002 e maio de 2003 gravam / mixam / masterizam sua democd >>> PERVERTED >>> em sistema digital multipista >>> Labirinto Studio / WZ Studio >>> B.H./M.G. >>> apresentando 4 novas composições próprias >>> uma em português

em maio de 2003 participam novamente como uma das doze bandas selecionadas a participar do festival Divino Rock >>>> Divinópolis/M.G. >>>> durante a Festa Nacional da Cerveja - - - em 30 de outubro de 2004 vencem a etapa final do festival Vitrola 2 >>>> B.H./M.G. - - - em novembro de 2004 ficam em 3º lugar na etapa final do festival Afonso Pena Rock >>>> B.H./M.G.

em março de 2005 o guitarrista carl >>> que já tinha tocado com a banda por um breve período em 2000 >>> junta-se à banda

em outubro de 2005 o baterista léo turchi deixa a banda por motivos pessoais




Rotary Club (Clube Velho) Pitangui.

em janeiro de 2007 gravam / mixam / masterizam seu mais novo trabalho >>> A SHOT IN YOUR FAITH! >>> em sistema digital multipista >>> HRachid Studio / Rafael Xavyer Bedroom Studio >>> Pitangui/MG >>> com 7 novas composições próprias >>> américa under attack / porque é tão difícil pensar? / fuck off (posers) / patrícia eleven / rise above / lost integrity theory / nose grind >>> que, assim como as demais músicas do grupo, abordam temas diversos como >>>>>>> hipocrisia > violência > dependência > opressão > ignorância > política > drogas > cotidiano > religião > comportamento > sociedade > relações sociais e afetivas > discriminação > fé > existencialismo

por motivos pessoais o guitarrista carl não participa das gravações de A SHOT IN YOUR FAITH! >>> sendo a bateria gravada por Hélio Rachid >>> baterista contratado



Os pitanguienses: Leônidas, Helinho Rachid e Wilsinho.

A SHOT IN YOUR FAITH! é remixada em janeiro de 2009 por Rafael Xavier e leônidas

em janeiro de 2009 o baterista alexandre junta-se à banda >>> sendo substituído em janeiro de 2010 por willians, que deixa a banda no final desse mesmo ano

em julho de 2010 o guitarrista wilson deixa a banda por motivos pessoais

A SHOT IN YOUR FAITH! é lançado no final de 2010 >>> formato splitcd com a banda Severa >>> via 53 HC Records

em novembro de 2010 o baterista gentil junta-se à banda >>> começa o processo de composições de novas músicas para um futuro lançamento

em maio de 2011 o guitarrista karl deixa a banda por motivos pessoais >>> o guitarrista wilson retorna ao posto




Centro Social de Pitangui.

INTEGRANTES

leönidas > baixo > vocal

wilson > guitarra

gentil > bateria

ENDEREÇO >>> A/C LEÖNIDAS > Rua Frederico Bracher Júnior > 300A/1006 > cep. 30720-000 > Carlos Prates > Belo Horizonte > Minas Gerais > Brasil

TELEFONES >>> (0XX31) 2515-1623/9707-4631

CORREIO ELETRÔNICO >>> exmach@zipmail.com.br





PERFIL NO ORKUT >>> http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=10763044845792188158

COMUNIDADE NO ORKUT >>> http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=3101985

PERFIL NO PURE VOLUME >>> http://www.purevolume.com/exmachinametalcore

PERFIL NO MYSPACE >>> http://www.myspace.com/exmachinametalcore

PERFIL NO FACEBOOK >>> http://www.facebook.com/reqs.php?fcode=a43386ec5&f=100002100683800#!/profile.php?id=100002100683800


quarta-feira, 29 de junho de 2011

Projeto Causos & Violas - junho 2009

Poeta, declamador e contador de casos, Tadeu Martins foi uma das atrações do projeto Causos e Violas que aconteceu na Praça Amador Lobato em Pitangui - MG em junho de 2009.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Corpus Cristi em Pitangui

No início da noite de quinta feira, 23, tivemos a procissão de Corpus Cristi, que reunição fiéis pitanguienses. Após a procissão foi celebrada uma missa no adro da Matriz de Nossa Senhora do Pilar, conduzida pelo Padre Toninho.
 
Foto: Vandeir Santos

As ruas percorridas pela procissão foram decoradas pelos moradores, assim como a fachada das residências.
Foto: Vandeir Santos
Nosso amigo Vandeir Santos fez alguns registros fotográficos do evento religioso e nós apresentamos algumas destas fotos nesta postagem.


Foto: Vandeir Santos

Foto: Vandeir Santos


segunda-feira, 27 de junho de 2011

Pitangui no Circuito Turístico Verde - Trilha dos Bandeirantes

O Circuito Turístico Verde - Trilha dos Bandeirantes
é composto pelas seguintes cidades:

Betim
Conceição do Pará

Esmeraldas

Florestal

Juatuba

Pitangui

Ribeirão das Neves

São Gonçalo do Pará





Fonte:
http://www.circuitoverde.org.br/ , acessado em 20/06/2011.
http://www.turismo.mg.gov.br/circuitos-turisticos/lista-de-circuitos/976-circuito-turistico-circuito-verde-trilha-dos-bandeirantes , acessado em 20/06/2011.

domingo, 26 de junho de 2011

Teatro em Pitangui: Júlia de Freitas Orwert

Na quinta feira, 23, tive um encontro com Júlia de Freitas Orwert (tia de nossa amiga Edilma Aguiar), pitanguiense que está radicada no Rio de Janeiro há 51 anos, mas que não se esquece de suas raízes. Ela aproveitou o feriado de Corpus Cristi e veio com a neta e bisnetos reencontrar irmãs, sobrinhas e demais parentes, além de velhos amigos.
De memória surpreendente, aos 83 anos, esbanjando simpatia, descreveu passagens de sua vida em Pitangui com riqueza de detalhes. Júlia, também chamada pelos amigos por Lêsa participou do Grupo de Teatro CTPENSE, sendo uma das principais articuladoras da trupe, juntamente com o Dininho, com quem formava uma dupla consagrada pelo público.

Foto: Licínio Filho

Ainda jovem, percebeu que tinha o teatro na alma, destacando-se nas encenações dos "Casamentos na Roça", durante as festas juninas da cidade, onde fazia o papel da noiva, contracenando com Eli Nunes, que fazia o papel do noivo.
Ela nos conta que entrou para o teatro por acaso. Em meados da década de 1950 era funcionária da Companhia de Tecidos Pitanguiense, quando em uma festa em comemoração ao dia do trabalhador, 1° de maio, foi convidada para recitar um poema de autoria do então diretor da empresa, Dr. Lima Guimarães, sendo aplaudida de pé e recebendo elogios de vários presentes, inclusive do próprio Lima Guimarães. Daí para o palco foi um pulo, pois na tecelagem operários organizavam um grupo de teatro com o apoio da empresa, que cedia o espaço para os ensaios e apresentações. Transitavam entre a comédia e o drama com desembaraço e rapidamente conquistaram a platéia pitanguiense, ávida por lazer.


Foto: acervo William Santiago
No fim da década de 1950, o Grupo CTPENSE já havia encenado vários textos consagrados como "A Cigana me enganou", de Paulo de Magalhães; "O Segredo do Padre Jeremias", de Ferreira Neto e "Cala a boca Etelvina"; inspirado na chanchada de mesmo nome e que fez sucesso nos cinemas, com Derci Gonçalves no papel principal. Tiveram a oportunidade de se apresentar em várias cidades do Centro-oeste mineiro. Ela se lembra de um episódio em Pompéu, quando ali se apresentaram. Na mesma data um circo também fazia temporada naquela cidade. Houve o temor de não haver platéia para a peça, mas aconteceu justamente o contrário, o teatro lotou e tiveram que fazer apresentação extra, conta orgulhosa. Encenavam de 3 a 4 peças por ano e durante os ensaios Júlia trazia o texto na ponta da língua (o dela e dos demais atores), afirma.
Naquele tempo, segundo Júlia, corria a notícia que o Santo Antônio da capela da Penha chorava sangue, fato que atraiu uma equipe de jornalistas do "Diário de Minas" até Pitangui para fazerem uma matéria sobre este fato. Durante a permanência, procurando conhecer a vida noturna da cidade, foram assistir a uma peça encenada pelo Grupo de Teatro CTPENSE. Ficaram surpreendidos com a versatilidade e talento de Lêsa e Dininho, sugerindo aos dois  que fossem à Belo Horizonte fazer um teste na TV Itacolomi, pertencente aos Diários Associados e, que retransmitia a programação da extinta Rede Tupi de Televisão para Minas Gerais. Júlia tinha em torno de 29 anos nesta época e a dupla não levou muito a sério a sugestão. 


Foto: Edilma Aguiar
Por essa época houve uma cisão no Grupo de Teatro CTPENSE, uma parte do grupo seguiu com Dininho e ela continuou atuando. A última peça em que participou foi a comédia "Família Terremoto", ao lado de Terezinha Lacerda, que teve ótima aceitação do público.
Em 1960 se casou e mudou para o Rio de Janeiro. Desde então, envolveu-se em outras atividades, afastando-se dos palcos. Diz que frequenta pouco o teatro, pois não gosta da vulgaridade de alguns textos, que se afastam muito das comédias de costumes de sua época.

Foto: Licínio Filho

Júlia nos revelou que gostaria de atuar novamente na companhia do Dininho. Para ela, Dininho era um ator sem igual e, que o entrosamento dos dois em cena era admirável. A conversa se estendeu por quase duas horas e ao final nos despedimos com a promessa de nos reencontrarmos para mais uma deliciosa prosa.

sábado, 25 de junho de 2011

Manhã de sábado no centro


A Rua Lacerdino Rocha e Praça Brito Conde.


O sábado de manhã no centro baixo da cidade tem um clima diferente, é um atrativo a parte. As pessoas que saem às compras, que vão para o trabalho, que vão cortar o cabelo, que encontram os amigos para um bate papo e que vêm visitar a cidade, "a casa da vó", parecem mais festivas, afinal é sábado.


Cultura na Praça.


Muitos saem mais cedo do batente, ou têm o sábado livre para aproveitar a família, jogar uma pelada, tomar aquela cervejinha no buteco preferido, limpar o quintal, praticar o lazer de escolha ou ficar à toa para descançar e ou esperar a noite, afinal é sábado.


A Roda de Capoeira.


Além dos tradicionais pontos de comércio e daquela boa "muvuca" pelas ruas do centro baixo, duas coisas me chamam a atenção: o lado positivo é a roda de capoeira que está virando tradição, alí ao lado da estação cultural, em um belo trabalho social dos irmãos Léo e Ronaldo, com apoio do CRAS. Mas por outro lado, falta uma feira de artesanato ou um espaço para que os artistas pitanguienses possam expor e comercilizar os seus trabalhos divervos. O turista gosta de levar lembranças com a originalidade do local visitado, interagindo in loco com o artesão e Pitangui carece de um espaço para esse fim.


A Rua dos Azevedos. No alto, serras e Igrejas.


O interessante é que após o meio dia a dinâmica do local se altera e centro fica vazio (são os usos e desusos do território). Mas, dar aquela passada lá pelo centro baixo é preciso, pois algumas coisas só se vê nas manhãs deste dia, afinal hoje é sábado.

Fotos desta postagem: Léo Morato, em 11/6/11.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Pitangui 296 Anos: desfile cívico (parte 2)

A música que educa - charanga.



O nosso amigo Nicodemos Rosa nos enviou por e-mail algumas fotografias do desfile cívico ocorido no último dia 9 de junho, aos 296 anos de Pitangui. As fotos foram tiradas por sua irmã, a Sra. Conceição Aparecida Rosa (Paré), que trabalha na escola Padre Joaquim Lopes (escola do Chapadão) e esteve presente no desfile.



Valores e referências históricas.



Obrigado ao Nicodemos e à Paré, pelas imagens. Parabéns às escolas e a todos(as) os(as) organizadores(as), pelo evento. Enquanto as nossas crianças estiverem estimuladas a praticarem o Civismo, a cidadania e a relembrar os nossos valores históricos, a identidade cultural de Pitangui estará resguardada.



Conscientização Ambiental.



As bandeiras das escolas.



Hábitos culturais da região.



Os faiscadores do ouro.



Veículos de comunicação - os jornais.



Ritmo e aprendizagem.



Galeria dos Prefeitos.



Personagens do Município.



A evolução da telefonia.

Fotos deste post: Aparecida Rosa - Paré.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Silá ou Zilá da Penha

A Silá ou Zilá era conhecida por muitas pessoas em Pitangui. Portadora de necessidades especiais, vivia da caridade das pessoas de bom coração, como me informou a Marlene do Depósito São João, em uma conversa informal.
No livro de Amália Rocha Mendes, "Pitangui - Lembranças de uma cidade  feliz", esta personagem é citada. Segundo a autora, Zilá era sempre vista na companhia do pai pedindo esmolas. Sua dicção era difícil e mal se compreendia o que falava.

Foto: cortesia de Paulo Salatiel

quarta-feira, 22 de junho de 2011

3º Encontro de Carros Antigos de Pitangui

No último domingo, 19 de junho, tivemos em Pitangui o 3º Encontro de Carros Antigos, que reuniu um número expressivo de  colecionadores de Pitangui e também de outras cidades, na Praça Amador Lobato (antiga feirinha). Estivemos no final da manhã de domingo visitando o evento e fizemos alguns registros fotográficos, que apresentamos nesta postagem. Havia um bom público prestigiando o Encontro e apreciando os modelos de automóveis do passado, que ainda atraem a atenção de muitas pessoas.


Foto: Licínio Filho
 Este evento fez parte das programações em comemoração aos 296 anos de Pitangui

Foto: Licínio Filho

Foto: Licínio Filho
Na foto abaixo, Fernando Peixoto, um dos organizadores
do Encontro de Carros Antigos de Pitangui.

Foto: Licínio Filho


Foto: Licínio Filho

Foto: Licínio Filho


Foto: Licínio Filho


Foto: Licínio Filho



Foto: Licínio Filho



Foto: Licínio Filho


Licínio Filho


Foto: Licínio Filho


terça-feira, 21 de junho de 2011

Crepúsculo pitanguiense




As fotos de hoje mostram as imagens captadas na sexta feira da Semana Santa de 2011, na zona rural de Pitangui, mais especificamente na região de Coqueiros. É a beleza na simplicidade e perfeição da natureza, no fim de uma tarde.












Fotos deste post: Léo Morato.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Restauração do antigo prédio da Santa Casa de Pitangui


Foto: Licínio Filho
 No dia 03 de junho ocorreu a entrega oficial à comunidade do antigo prédio da Santa Casa de Misericórdia de Pitangui, construção do século XIX e, que estava praticamente em ruínas.  A solenidade contou com a presença de representantes do legislativo e executivo, entre outros convidados representando a população da cidade. O espaço será ocupado pela secretaria de Educação e Esporte.




Foto: Ricardo Welbert
 


Na ocasião também foram entregues os certificados aos participantes das oficinas realizadas durante a Primeira Mostra de Cinema de Pitangui, realizada em 2010, e a entega de instrumentos musicais à Lira Viriato Bahia.
A jornalista Ana Letícia Santos Fagundes, falecida recentemente, foi homenageada, seu nome passa a identificar o auditório criado nas dependências do prédio restaurado.



Foto: Ricardo Welbert