Seguidores

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Outros Carnavais em Pitangui


Esta foto foi publicada no facebook de nosso Marcus Moreira, Marquinhos da Rádio Onda e ciclista de primeira. Pedi permissão a ele para postá-la aqui no blog e ele prontamente permitiu.As informações sobre as fotos foram retiradas dos comentários da página do Marcus, quem souber mais informações e quiser colaborar deixe um comentário nesta postagem.
A foto mostra como era o carnaval em Pitangui em meados da década de 1980. Percebe-se a existência de blocos e muita animação. Precisamos resgatar este carnaval em nossa cidade. Os blocos carnavalescos estão renascendo por toda parte.Quem sabe no próximo carnaval as pessoas se animem a formar seus blocos?
Segundo Michele Cristiane de Souza, em comentário no face do Marcus, a mulher na foto seria a sua tia Mara quando jovem. Já Marcus, afirma nos comentários, que o nome dela seria Nádia e a foto foi tirada na pracinha do colégio.

3 comentários:

  1. De fato, estes carnavais das antigas são bem melhores que esse fuzuê regado a axé, sertanejo e funk que temos hoje. No Facebook, percebi muita gente reclamando das bandas "fraquinhas" que tocaram no carnaval de rua em Pitangui. Por outro lado, se o governo municipal investe, por exemplo, um milhão de reais num show de Luan Santana ou mesmo R$ 700.000,00 para trazer uma Paula Fernandes da vida, esse mesmo pessoal critica o mal uso do dinheiro público (vai entender...). Em Divinópolis teve o repetitivo Michel Teló (que, sabemos, é o fortão do momento), mas em evento produzido por empresa independente da prefeitura. O carnaval de rua tem sido a forma mais eficaz de atrair multidões sem precisar de gastar altos valores com contratação de bandas e aquisição de abadás e camarotes. Aliás, os preços astronômicos de abadás para blocos fechados em Pitangui é outro desestímulo. O cidadão desembolsa enormes valores e acha que, durante o tempo que ficar lá dentro, vai consumir em bebidas um valor mais alto do que pagou. O resultado: sai de lá carregado, na metade da festa, cheio de cachaça, direto pro hospital. Prefiro pular carnaval de graça, na rua, fantasiado de índio (como fiz quando tinha sete anos), do que jogar dinheiro fora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este assunto é complicado...Melhor mesmo é fazermos o nosso próprio carnaval, como manifestação popular...se fantasiar, como você mesmo afirmou e cair na folia...rsrsrs...sem gastar muito,né!?
      Abraço.

      Excluir
  2. Com certeza, professor! Fazermos exatamente isso: uma manifestação popular que seja, ao mesmo tempo, um resgate cultural e uma opção a mais no calendário festivo da cidade.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.