Seguidores

terça-feira, 29 de maio de 2012

Bate papo com o William Santiago


Happy Hour com William Santiago

Na semana passada recebi um e-mail do amigo e pitanguiense William Santiago, informando que estava de volta ao Brasil (depois de um longo período trabalhando no Serviço Consular brasileiro no exterior) e que passaria uma temporada em Brasília (onde resido atualmente). Já admirávamos o trabalho e a pessoa deste conterrâneo e, pela compatibilidade de ideias nos tornamos amigos. O último encontro do William com a turma do Blog foi em junho de 2010 em Pitangui, então marcamos um Happy Hour  na sexta-feira passada, para colocarmos as prosas em dia. 
 
A conversa rolou solta no fim da tarde, noite adentro e na pauta teve causos do Cabrito; as experiências do William mundo afora; projetos pessoais e; como não podia ser diferente, assuntos relacionados à terrinha. Conversamos sobre as ações do Pitaculta, na década de 1980; a parceira musical do William nas composições com o professor Reinado (Rohr), João Batista Freitas (Jonba) e o Ricardo Nazar; o jornal Correio de Pitanguy, fundado pelo William, etc.


 Apreciando o por do sol de Brasília.

Dentre os assuntos o William enfatizou sobre o “Museu da Imagem e do Som” projeto que, inicialmente, iria coletar fotos da cidade e realizar gravações em vídeo com ex-prefeitos de Pitangui. Segundo o William, o projeto começou com as entrevistas ao Antônio dos Santos e Antero Rocha, esse último, tio do atual Prefeito Evandro Mendes, que inclusive participou daquela entrevista. “Esses materiais (em VHS) foram entregues ao José Messias Fernandes, na época Presidente do Instituto Histórico, e hoje são documentos de inestimável valor, pois alguns entrevistados já são falecidos. Com os recursos tecnológicos de hoje o Museu da Imagem e do Som pode ser muito mais abrangente e interativo”.

William destacou também a parceria com o empresário Edivan Reis na Editora Destaque (que publicou o livro do Poecontos) e que promoveu o primeiro (e único) campeonato de Vôo Livre realizado em Pitangui, do qual o Santiago participou diretamente. “O Edivan Reis era um visionário, um empreendedor que foi mal interpretado e mal aproveitado em Pitangui. Na ocasião do Vôo Livre o Edivan avisou para os comerciantes se prepararem porque vinha muita gente. Mas não acreditaram, acabou tudo na cidade e os visitantes dormiram até na rua”.

 
 Pitaculta e Daqui de Pitangui.

Falamos também sobre Turismo, uma vocação natural de Pitangui e em um comparativo, o William afirma que houve avanços significativos da década de 1980 para os dias atuais. Compartilhamos da mesma percepção de que houve melhorias na infra-estrutura (estradas de acesso por exemplo); a oferta da rede hoteleira apresenta maior diversificação; há mais opções de restaurantes, bares e lanchonetes; o cuidado com o patrimônio histórico e cultural por parte do poder público (restaurações) está mais visível; e mais eventos estão sendo realizados. Além disso, os blogs e sites favorecem a divulgação da cidade e as pessoas estão mais engajadas nas questões sociais, ambientais e culturais. Interpretamos também que precisamos evoluir do amadorismo para o profissionalismo, aprimorando os mecanismos (seja pela iniciativa pública ou privada) para receber e prestar atendimento aos visitantes.

No fim deste encontro o William disse que pretende voltar à atividade, iniciando pela literatura.  E, pelas afinidades com o Blog  Daqui de Pitangui que (segundo ele), é uma continuidade do Pitaculta, a ideia é escrever alguns contos periodicamente (sem datas definidas) que serão publicados no Blog, além de outros projetos que estão sendo idealizados. As portas do Blog estão abertas para o ilustre pitanguiense e com este reforço, quem ganha é a nossa Pitangui.

Texto: Leonardo Morato.

7 comentários:

  1. Léo,
    o William Santiago tem muito a contribuir, o espaço do blog estará sempre aberto a ele.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. É verdade, professor. E o que me admira é a boa vontade do William em compartilhar a sua bagagem intelectual, interagindo com outras gerações, com o foco na valorização cultural de Pitangui!
    Abração.

    ResponderExcluir
  3. Faço minhas as palavras do Leonardo Morato. William Santiago, entre outros predicados, é extremamente generoso e com certeza vai dividri suas criações literárias com todo o pessoal que acessa o blog.
    Sorte nossa!

    ResponderExcluir
  4. Oi Desirée, obrigado pela visita a este cantinho de Pitangui na web. Em breve sai a primeira postagem desta parceria com o William. Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Bom saber que o Willian Santiago está de volta ao Brasil (e à nossa querida Pitangui). Grande amigo, escritor, poeta, enfim um cidadão antenado. Alvíssaras , companheiro !!!
    Afonso de Castro Gonçalves , de vizinha Maravilhas .

    ResponderExcluir
  6. Willian Santiago muita saudade! Sulma do Paraguay

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.