Seguidores

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Pela preservação do bem comum

Foto: Licínio Filho
Tive a oportunidade de acompanhar a recuperação do painel pintado pelo consagrado artista plástico Heleno Nunes, na Praça Plínio Malachias, centro de Pitangui. O próprio artista esteve na cidade para trabalhar na recuperação do painel. Com as reformas ocorridas naquela praça, o painel ganhou ainda mais destaque e sua beleza pode ser melhor apreciada.
Porém, uma pixação já apareceu por lá. Não tenho nada contra os pixadores, pelo contrário, sou defensor da liberdade de expressão. Vivi minha juventude em um período de ditadura militar e os muros foram os locais onde minha geração protestou contra a violência daqueles dias. Porém, nunca praticamos  vandalismo. 
Desejo profundamente que nossos jovens tenham o direito de se manifestarem livremente, mas maior é meu desejo de que eles reconheçam o valor histórico dos locais públicos de Pitangui e ajudem a preservá-los. Precisamos unir forças em nome da coisa pública, o bem comum a todos. Se cada habitante de Pitangui fizer um pequeno gesto neste sentido faremos daqui um lugar cada mais agradável para se viver.

4 comentários:

  1. Concordo com vc Lícinio, realmente o patrimônio público, o privado e o histórico não deverão ser carimbados das pixações. Conscientizar e preservar é um dever de todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tocou no ponto, Girlene. É preciso educar as pessoas com relação ao patrimônio da cidade.

      Excluir
  2. Na minha concepção, o problema maior é que o(a) cidadão(ã)que fez este ato de vandalismo não deve ter nem noção do mal que estã fazendo para ele(a) mesmo(a). Ou seja, quando a cidade tiver um plano integrado de Turismo e a educação patrimonial for uma das premissas, as pessoas entenderão que a cultura é matéria prima para o turismo e, consequentemente uma ferramenta de trabalho para um guia de turismo, por exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você, Léo.
      Os "Rebeldes sem Causa" estão por toda parte...a solução está na educação.

      Excluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.