Seguidores

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

A presença de engenheiro militar em Pitangui no início do século XVIII

Foto: Licínio Filho
Quando percorremos as cidades históricas coloniais mineiras, tais como Pitangui, que alguns insistem em dizer que não é mais histórica (é bom lembrar que toda cidade é histórica,mas, no caso mineiro, nem todas têm origem colonial), identificamos um traço comum entre elas, a arquitetura. Os primeiros arquitetos e engenheiros que chegaram à região das minas trouxeram de Portugal o estilo arquitetônico que iria caracterizar nossas cidades.
Ao assumirem a frente das obras públicas, estes arquitetos e engenheiros repassavam seus conhecimentos aos oficiais que com eles trabalhavam através de "lições práticas de arquitetura", como afirma o pesquisador Rodrigo Almeida Bastos. O mais famoso destes arquitetos talvez tenha sido Manuel Francisco Lisboa, o pai de "Aleijadinho", que ministrou várias "lições práticas de arquitetura" no decorrer da década de 1740. Mas ele não foi o único, Bastos nos alerta para a presença do engenheiro militar português Pedro Gomes Chaves, que esteve presente na região das minas no início do século XVIII.
Segundo Bastos, Pedro Gomes Chaves já estava em minas por volta de 1711, época decisiva para o surgimento das vilas do Carmo (Mariana), Sabará e Vila Rica. Ele havia sido enviado pelo rei de Portugal para auxiliar onde fosse necessário e ministrar aulas públicas a quem quisesse.Estas aulas eram ministradas através de exercícios práticos e leituras teóricas de tratados de arquitetura e engenharia militar.
Há registros da presença de Pedro Gomes Chaves em Pitangui em 1714, elevada a condição de vila em 1715. O engenheiro militar teria vindo à Pitangui a mando do então governador das minas D. Brás Balthazar da Silveira,que o encarregou de repartir terras e acomodar os moradores. O próprio governador escreveu várias cartas a moradores de destaque em Pitangui recomendando o engenheiro. Uma dessas cartas foi endereçado a Bartolomeu Bueno, o "segundo Anhaguera", que iria descobrir, anos mais tarde, as minas de goiás.
Pedro Gomes Chaves era capacitado por princípios e preceitos orientados à implantação de edifícios e povoações e é bem provável que ele tenha deixado sua marca na arquitetura de Pitangui,como também nas primeiras povoações de Goiás.

Fonte:

19 comentários:

  1. Você mostrou o milagre, mas não contou qual o santo ...

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana,
    programei a postagem e me esqueci de conclui-la...rsrsrs....Vou resolver este problema já!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Licínio,
    Esta série de fotografias mostrando a arquitetura do lugar realmente é fascinante.
    Interessante também é ver o ângulo da fotografia através de vários olhares, pois vocês são muitos a fotografar Pitangui. Parabéns.
    Meu abraço,
    Dalinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Dalinha,
      é sempre bom recebê-la aqui em nosso blog.As fotos registradas por olhares diferentes estão sempre a revelar novas nuances de Pitangui e isto é muito bacana. Mais uma vez agradecemos ao seu reconhecimento ao nosso trabalho. Esperamos sua visita,ok?
      Abraço.

      Excluir
  4. Professor, acho que já havíamos comentado, mas quando estive em Lisboa, pensei que encontraria a arquitetura lisboeta, como a arquitetura ouropretana e diamantinense, dentre outras cidades mineiras. Mas as construções são completamente diferentes das nossas, provavelmente, em virtude do terremoto que devastou Lisboa em 1755 e com a reconstrução, a cidade teve sua arquitetura modificada a partir daí. Comparando as datas citadas no artigo, provavelmente, anterior ao terremoto, Lisboa teria a arquitetura parecida com a nossa.
    Convoco o parceiro Leonardo para opiniar a respeito, ele que tão bem conhece aquela cidade dalém mar ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dênio, imagino que a hipótese de uma reformulação arquitetônica de Lisboa pós terremoto seja plausível.

      Excluir
    2. Uma grande vantagem... é que vc Dênio, além de ser um grande historiador, conhece a Europa como ninguém... ! Isto engrandece muito esta postagem ! Você é o cara ! Sou seu fã !!!

      Excluir
    3. Bom .... parece que não saiu meu nome no cometário para o ilustríssimo Dênio Caldas. Renato Lomas a seu dipor !

      Excluir
    4. Errei a palavra Dispor .. ah ! Sem problema não é ? Isto é um blog de autorromoção mesmo .....

      Excluir
    5. Errei de novo ... Autopromoção !

      Excluir
    6. Oi Renato Lomas,
      estávamos sentindo a sua falta aqui no blog. Você sabe que seus comentários construtivos são sempre bem vindos. Agradecemos muito por você compartilhar conosco toda sua sabedoria, bom senso e um milhão de outras qualidades que só você tem. E quem não reconhece tão nobres atributos de sua pessoa é, no mínimo, "Sem Noção".
      Percebemos que o magnânimo sorveu elixires neste domingo que o inspiraram escrever tão sóbrias palavras em seus comentários.
      Mais uma vez, muito obrigado por nos prestigiar.
      Tenha uma ótima semana.

      Excluir
    7. Tive que vir aqui... vcs andam meio sumidos ! A proposito do seu convite feito lá no Debaty, ainda não esqueci e espero poder respondê-los a altura... Vc e Dênio !!! Isto claro, se vossas excelências ainda quiserem ... Boa Semana para vcs também ... ! Renato Lomas

      Excluir
    8. Caro Renato Lomas,
      Eu e Dênio Caldas estamos muito ocupados com nossas vidas pessoais. Penso que você também deveria canalizar suas energias para seus projetos. Nós (eu, você e Dênio) não somos mais meninos, então, vamos parar com esta bobagem. Você não vem aqui criticar as postagens, seu problema é comigo e com o Dênio.
      Como disse anteriormente, seus comentários serão bem vindos,porém, exponha suas ideias de uma forma inteligente e menos infantil.
      Por que, o fato do Dênio ter conhecido uma parte da Europa te incomoda tanto? Ele é um historiador, sim, faz um curso superior em História. Que mal tem isto? Você tem sua formação acadêmica e profissional que foi escolha sua. Beleza!
      Não gostaria de dar continuidade a estas picuinhas, venha aqui para falar de assuntos mais relevantes. Se você não concorda com algo que defendemos apresente suas ideias, pois nós não temos preconceitos, mas faça isto de outra forma.
      Espero que você possa refletir sobre o que expus aqui e que o bom senso saia vitorioso.
      Att.

      Licínio

      Excluir
    9. Licínio ... realmente eu critico o Blogger e também algumas postagens. Pelo que sei, tudo que é publico é passivo de críticas. Mas tudo bem, entendi sua vontade de parar por aqui e respeito isto. Mas sobre ser infantil, não esqueça de sua atitude perante 700 pessoas no Debaty... aquilo para muitos pareceu sim "sem noção" de ser feito e de um grande infantilidade. Mas vamos esquecer isto e como você disse, que o bom senso vença. ! Att Renato Lomas

      Excluir
    10. Renato,
      Então vamos , cada um, assumir sua parcela de erros e dar por encerrado este assunto.
      O blog é público sim e aceitamos todas as observações, tanto, que não fazemos qualquer tipo de censura. Venha sempre que tiver vontade e apresente a suas ideias, mas que seja de forma que possamos travar um diálogo e não alimentar picuinhas.
      Até uma próxima.
      Att.

      Licínio

      Excluir
  5. Meus caros, aí está um excelente tema de pesquisa. Também sou favorável à sua hipótese, Dênio. Nas duas ocasiões que estive em Portugal, tive a oportunide de percorrer o interior do país e constatar que, de fato a arquitetura é diferente da capital. Nas cidades do interior daquele país a arquitetura é mais parecida com a do Brasil Colonial e, em Lisboa as construções em geral, têm um estilo mais moderno. Acredito também que o ouro do Brasil, no século 18, contribuiu significativamente para o custeio da reconstrução de Lisboa (após o terremoto) com a participação de arquitetos de escolas (estilos) diversas. Pretendo fazer uma postagem abordando sobre a influência do ouro do Brasil, de Minas, de Pitangui na europa (palácios em Portugal, Revolução Industrial na Inglaterra, etc).
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Dica de leitura sobre o Ciclo do Ouro, abordando sobre o terremoto e a reconstrução de Lisboa, com ouro do Brasil.

    http://www.daquidepitangui.blogspot.com.br/2011/07/boa-ventura-dica-de-leitura.html

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.