Seguidores

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Tem música no fim de semana

 Foto: Léo Morato.


Neste fim de semana (sexta e sábado) tem música boa no Bar e Pizzaria Contemporâneo. A casa traz o show dos irmãos Lamar e Delan (filhos da D.Alzira e do Zé Norberto) tocando o melhor da MPB. Aí está uma ótima opção para rever amigos e relembrar os bons tempos da Pracinha do Colégio.

  Divulgação.

 Também na sexta 29, a animação na noite do O Pote fica por conta da dupla Scarpelli e Jonatas. E no sábado tem MPB com o músico Sérgio Castro, de Divinópolis.

Divulgação.
 
  Divulgação.

Ainda na programação dos 297 anos de Pitangui, no sábado 30, a partir das 21 horas, na praça Amador Lobato, tem o evento Causos e Violas das Gerais um projeto do SESC/ MG em parceria com a Prefeitura Municipal. O Projeto “Causos e Violas das Gerais” é itinerante; percorre praças da capital e vários municípios do interior de Minas e busca valorizar e resgatar duas importantes manifestações da cultura mineira: o tocador de viola, cancionista que encanta e emociona a todos e o contador de causos, uma figura lendária e popular.  Grandes artistas mineiros, sejam eles contadores de causos ou violeiros, realizam um grande espetáculo de prosa e música. Vale muito a pena conferir!

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Inscrições para os cursos do ITAC


Informação enviada pela Girlene Oliveira do Carmo, funcionária do ITAC e frequentadora assídua do Blog Daqui de Pitangui. Lembrando que o ITAC tem mais de 20 anos de atuação em Pitangui, atraindo estudantes de várias partes do estado e do país, em busca de conhecimento nas áreas de agropecuária e cooperativismo.     


A Sede do ITAC. Foto: Vicente Oliveira.  

"O ITAC é considerado uma das melhores escolas de cursos técnicos da região, pois além de um ótimo desempenho nos estudos os alunos já saem da escola formados e preparados para ingressar em uma empresa de grande porte. Se você busca por uma escola que realmente esteja interessado em investir em seu futuro, então você precisa conhecer o ITAC. Não perca mais tempo e acesse agora mesmo o site oficial da escola www.epamig.br e conheça seus cursos e qualidades que ela te oferece. Aguardamos você!" (Girlene Oliveira).   

terça-feira, 26 de junho de 2012

O Menino Pitangui


 Rumo aos 300 anos.
Foto: Léo Morato.

De uns tempos pra cá, notoriamente, mais e mais pessoas estão abraçando as causas culturais, sociais e históricas relacionadas à Pitangui. Ou seja, tem muita gente "vestindo a camisa", até O MENINO PITANGUI, está se manifestando. Sim, ele mesmo, que nasceu em Pitangui na primeira metade do século passado. Não sei quem ele é, ainda não descobri, mas tenho alguns suspeitos. Só sei que ele está fazendo contato com algums pessoas, por e-mail e está confundindo a cabeça do povo. Se é real ou se é uma espécie de saci-pererê, curupira, ou velho do saco, aí são outros 300. Velho do saco não! Outros 300 não! Já estou misturando as coisas, porque o correto é VELHO PITANGUI, um outro personagem dessa história de PITANGUI + 300. Só sei que a coisa tá aluindo e a SAP já aderiu a ideia Pitangui + 300. Iniciativas para somar e enaltecer a nossa terra são muito bem vindas, afinal: "Nos seus 300 anos as histórias e estradas de Pitangui também são reais" (Vandeir Santos). Leia o conto abaixo para entender um pouco sobre o assunto (ou para ficar mais confuso/a). Por enquanto só nos resta esperar que o tal Menino Pitangui, ou o tal Velho Pitangui apareçam de novo para continuarmos a prosa.

Meninos Pitangui
Foto: Léo Morato.

Gente do céu, foi acontecido!

O que eu vou contar para Vocês é inacreditável, e não acreditem não, que não é para acreditar. De algum tempo para cá tenho recebido umas correspondências intermitentes de um tal Menino Pitangui que eu estava julgando que fosse alguém se escondendo atrás de um pseudônimo. Mas este menino diz coisas do outro mundo, mas de boas! De coisas do outro mundo só tem vindo coisa ruim. Credo!!!  Não preciso provar. Basta ver os jornais nacionais e congêneres para constatar quão, nem sei dizer, estapafúrdias andam as coisas, se é que isso pode se chamar andar! Eu mexo e remexo o tal do meu computador na esperança de encontrar alguma luz, alguma saída para o beco sem saída. O beco não tem saída, mas dizia um meu velho amigo lá de Pium-hi, que ”não há curral sem porteira, nem casa sem janela e, que não há confusão, que com calma não se saia dela”. Há muitos anos que venho acreditando nesta conversa do Pium-hi, mas já estava, é verdade, perdendo a fé nesta conversa deste amigo. Isto, pensava eu, é para ir nos engambelando enquanto a gente vai caminhando iludido para cair no buraco sem fundo.

Agora é que a coisa se complicou mesmo. Escute só o que aconteceu. Viro e reviro o tal do computador e deparo-me com uma notícia que falava do tal Rio+20. Quando eu estava lendo aquela baboseira toda, hoje para a gente comer um grama de filé na tal da mídia V. é obrigado a engolir 999 gramas de muxiba, e muxiba estragada, que nem para fazer paçoca no pilão feito de madeira de tronco de pequi, socada com mão de aroeira, serve. Até lá nós chegamos. Mas foi aí que aconteceu a coisa. Previno, não acredite, pois eu mesmo não estou acreditando: - passou perto de mim, ligeiro que nem um saci, o tal do Menino Pitangui. E sabe o que ele sussurrou:  Velho Pitangui, Rio+20 não. É Pitangui+300!!! O meu corpo até arrepiou e quando eu quis dialogar com o menino, que eu acho que é o tal Menino Pitangui, pois ele de tanto não ser escutado está ficando até atrevido, foi logo me chamando de velho, ele já ia longe, com uma toalha nas costas, certamente para se banhar lá no rio Pará, que outrora se chamou rio Pitangui, o rio dos Meninos. E eu fiquei gritando, certamente sem ser ouvido: Moleque atrevido! Moleque atrevido! Vem cá, que eu te ensino a respeitar os mais velhos! Foi ai que caiu a ficha; não é que esse menino está certo... Eu, ingrato, estava desprezando o que eu não entendi. O negócio para nós, é a formula para 2015: Pitangui+300. E eu já estou quase indo mais ligeiro com o susto que este menino me deu. Pitangui+300, por enquanto. Tomara, Menino Pitangui levado, mas Deus seja louvado! É, sou mesmo o Velho Pitangui. Ainda bem que existe o Menino Pitangui!
Salomão morrendo, Salomão aprendendo!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Pitangui ontem e hoje

          Esta postagem, além de comparativa, demonstra também a falta de consideração de alguns pitanguienses para com o patrimônio histórico da cidade. Um prédio suntuoso, com uma arquitetura rica de detalhes foi transformado em uma construção lisa, sem graça.





          Estamos falando do Edifício Liliza que muitos podem pensar que já nasceu com as linhas que possui hoje, mas o edifício era totalmente diferente e teve um passado glorioso quando abrigava o Theatro Municipal e posteriormente um cinema também. Além de companhias teatrais de fora ali também se apresentaram artistas da cidade que no início do século 20 fizeram muito sucesso em Pitangui. Internamente ele tinha um vão único, típico das casas de espetáculo, o que também foi alterado na reforma inescrupulosa que sofreu.

 Foto: Vandeir Santos

          Hoje, ao invés da beleza clássica, nos deparamos com linhas minguadas, placas de publicidade antigas e outra  em total incompatibilidade com o centro histórico de Pitangui. A ação de tombamento dos imóveis antigos da cidade infelizmente não chegou a tempo de salvar o edifício da drástica descaracterização.

Vandeir Santos

Nos seus 300 anos, as histórias e estradas de Pitangui também são Reais         

domingo, 24 de junho de 2012

Jornalista lança livro sobre a história do tombamento do centro histórico de Pitangui

Ainda, dentro das comemorações dos 297 anos de Pitangui, o jornalista Marcelo Freitas, lançará na próxima quarta feira, dia 27, 19:00 horas, no CVT Irene Lopes Cançado, o livro "A construção do tombamento". Mais informações leia o texto de divulgação baixo da imagem. Este é o primeiro título de uma série, que retratará aspectos da história de Pitangui. Prestigiem.


A história do processo de tombamento do centro histórico de Pitangui está sendo contada em detalhes no livro “A construção do tombamento”, que o jornalista Marcelo Freitas lança nesta quarta-feira, 27, em Pitangui. O livro faz um histórico da evolução urbana de Pitangui até o ano de 2008, quando ocorreu o tombamento, em meio a uma polêmica que envolveu o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha), a Prefeitura e os proprietários de imóveis localizados na área tombada. A construção do tombamento mostra como foi esse processo e lança um olhar sobre o futuro. Parte da ideia de que o tombamento, mais do que um ato jurídico, é um processo em permanente construção. O livro será lançado no auditório do CVT, na rua Lacerdino Rocha, em Pitangui. À 19h30, o autor fará palestra sobre o tema “Os desafios do tombamento”. Em seguida, haverá o lançamento.
O autor é filho de famílias pitanguieses. É jornalista, formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Trabalhou nos jornais Diário do Comércio, Hoje em Dia, O Tempo e Estado de Minas. Foi professor do curso de jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Belo Horizonte e diretor do Centro de Comunicação (Cedecom) de UFMG.
Para ele, o livro deve ser lido com um olhar sobre o passado e outro sobre o presente e o futuro. “O tombamento de um centro histórico, como o de Pitangui, é um processo contínuo. Quais são as próximas etapas? Como eu me coloco nesse processo? Em que medida eu posso contribuir? Para que não haja frustração de expectativas e se possa, ao mesmo tempo, comemorar os avanços, é assim que o tombamento do centro histórico de Pitangui deve ser visto – como um processo em construção”, ressalta o autor.
A construção do tombamento” é o primeiro livro série Pitangui 300 anos, que a Comunicação de Fato Editora pretende publicar até junho de 2015, quando o município completa seus três séculos de fundação. O segundo título, que irá contar a história do teatro e do cinema em Pitangui, está sendo escrito pelo historiador Licínio Filho, do blog “Daqui de Pitangui”. Estão previstos, também, livros sobre a fábrica de tecidos, o futebol amador e a estrada de ferro, entre outros temas.

Mais informações:
Comunicação de Fato Editora – (31) 8911-5810


sábado, 23 de junho de 2012

Uns versos para Antônio

 Foto: Léo Morato.
A nossa amiga Dalinha Catunda, blogueira e cordelista, deixou um belo comentário na postagem que fizemos no dia 13 de junho, em homenagem a Santo Antônio. Dalinha ressaltou sobre a importância de repassar as tradições às novas gerações e relatou em versos e rimas a crença popular, que considera o Santo Antônio como casamenteiro, nos presenteando com mais um cordel dedicado a Pitangui.

*
A SANTO ANTÔNIO
*
Ô meu Santo Antônio
Me ajude a casar
Eu quero um marido
Quero me arranjar
Se você não me der
Eu lhe jogo no mar.
*
O tempo se passa,
Você nada faz
Eu só esperando
Meu belo rapaz
Pois ficar solteira
A mim não apraz.
*
Meu santo querido
Meu santo adorado
Se eu morrer sozinha
Você é culpado!
Me arrume santinho...
Um bom namorado.


Dalinha Catunda

http://cantinhodadalinha.blogspot.com.br/ 
http://cordeldesaia.blogspot.com.br/

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Agenda de 22 a 28 de junho

 
Foto: Vicente Oliveira.

Aqui estamos nós de novo para divulgar a agenda cultural do fim de semana em Pitangui-MG, mais precisamente a programação de sexta a quinta. Confira:

Convite /divulgação.

Na sequencia da programação dos 297 anos de Pitangui hoje tem Forró na Praça, com as duplas e Willy & Ney e João Lucas & Diogo, a partir das 9 da noite na antiga Praça da Feirinha.

Foto: Léo Morato.

Na Pizzaria Contemporâneo também tem sertanejo no show de Markos Moura (na sexta e no sábado). 

E no dia 28 a casa inova, trazendo a Quinta do Riso.

Divulgação.

No dia 23, sábado, a animação no O Pote fica por conta do Jorge Cruz com o show eletro-acústico.


Divulgação.

Certamente outras opções devem rolar nas noites do fim de semana pitanguiense. E o espaço aqui no Blog continua disponível para a divulgar os eventos culturais, recreativos e de utilidade pública. E-mail: daquidepitangui@gmail.com



Agora fica a dica para os empreendedores de lazer, cultura e entretenimento em Pitangui: Tá faltando MPB, Jazz,  Bossa, Samba, Chorinhio e Rock and Roll nas noites e nas tardes da cidade. Tem muita gente (pelos becos, ladeiras, bares, esquinas e quintais) com saudade de ver e ouvir a velha guarda tocando e daquela boa mistura musical improvisada dos Caldas, Lopes, Norberto´s, Nunes, Rachid's & Cia. Pronto, falei!!! Um excelente fim de semana a todos.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

5º Encontro de Carros Antigos

5º Encontro de Carros Antigos
Fotos: Equipe do Daqui de Pitangui.

O que é bom vira tradição! No domingo passado, dia 17, aconteceu a quinta edição do Encontro de Carros Antigos em Pitangui e estivemos lá para prestigiar. O evento foi realizado no restaurante Varandão, contou com um bom número de participantes e a exposição de carros foi bastante diversificada, reunindo veículos e pessoas de várias cidades da região. Parabéns aos organizadores pela iniciativa, que além de reunir amigos, estimula a conservação dos automóveis antigos e ajuda a promover o turismo na cidade. 

Clique nas imagens para ampliá-las.



Os troféus para os participantes.



A turma do blog Daqui de Pitangui.


 
Brigada voluntária de resgate.

Por falar em organização parabéns à equipe voluntária de resgate, que marcou presença auxiliando no direcionamento do tráfego de veículos e promovendo a segurança no trânsito do local, para automóveis e pedestres.

Desde a sua primeira edição realizada na praça Governador Valadares e posteriormente na praça Amador Lobato, o encontro de carros antigos merece aplausos pela organização e pelo marketing positivo para Pitangui.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Visitação às obras do Museu

Restauração do Prédio do Museu.
Fotos: Giovanni Pereira / Selma Assis.

Na última quarta-feira, dia 13, cumprindo a programação dos 297 anos de Pitangui aconteceram algumas visitas às obras em andamento no município. O Blog Daqui de Pitangui foi conferir de perto e esteve presente na visita às obras do prédio do museu. O edifício histórico é um belo exemplar da arquitetura colonial portuguesa, foi construído no fim do século XVIII e já teve importantes funções como, por exemplo, Casa de Câmara e Cadeia; sede da Prefeitura; Casa de Cultura abrigando o Museu Sacro, Museu da Imagem e do Som, o Arquivo judiciário de Pitangui; os Correios e  o Jornal Município de Pitangui.



Devido à ação do tempo e a provável falta de manutenções preventivas ao longo de décadas, o prédio se deteriorou e a estrutura ficou comprometida, portanto os bens materiais do museu, que estão sob a tutela do Instituto Histórico de Pitangui - IHP, precisaram ser transferidos provisoriamente, até que a sede seja restaurada e esteja em plenas condições para abrigar o acervo. Vale ressaltar que um valioso trabalho de recuperação do patrimônio (peças sacras e documentos raros) está sendo realizado pelo IHP em uma parceria com a Fundação Educacional de Divinópolis FUNEDI /UEMG e a SAP – Sociedade dos Amigos de Pitangui.

Ideias em prol de Pitangui.

Para a visitação ao prédio colonial, o grupo (composto por representantes da Prefeitura e da sociedade civil) se reuniu às 9 horas para conferir as obras que, nesta etapa trata da recuperação estrutural (fundações, paredes, assoalho, parte hidráulica e elétrica), sob a responsabilidade da empresa Viotti Engenharia que venceu a licitação para a obra.

 
Obras em andamento.

A imponente construção é tombada pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e faz parte do núcleo histórico tombado em 2008 pelo IEPHA/MG – Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais. Caminhar pelas dependências do casarão é como voltar ao passado, à medida que observamos as técnicas de construção aplicadas nas paredes de pau-a-pique, portais e no telhado e, ao imaginarmos quantas decisões importantes foram despachados no casarão ao longo dos séculos.

 
Explanações sobre  o restauro.

Durante a visitação o prefeito e arquiteto Evandro Mendes falou sobre os detalhes da obra, visando a melhor adequação e utilização do espaço como: aproveitamento do porão para reuniões, lançamento de livros e comercialização do artesanato local; instalação de um elevador para favorecer o deslocamento e a acessibilidade. Mendes falou também que essa primeira etapa está sendo custeada com recursos próprios do município, na ordem de 250 mil reais e que a estimativa de custo para a restauração total do prédio é de 1 milhão de reais. E que a continuidade das obras dependerá da aprovação do projeto pelo IPHAN e de recursos financeiros como por exemplo: o PAC das Cidades Históricas ou emendas parlamentares.


 
O grupo da visitação à obra.

Pelo que pudemos presenciar o encontro não foi mera formalidade ou somente um cumprimento de protoloco. Uma proposta foi lançada pelo senhor Manoel Ricardo da Rocha Fiúza (atual presidente da SAP e do Conselho do Patrimônio Histórico de Pitangui), que foi bem recebida pelos presentes. Fiúza sugeriu o lançamento de uma campanha (sob a coordenação da SAP) para o levantamento de recursos financeiros destinados à conclusão da restauração do museu, por meio de doações. Algumas ações estão sendo planejadas e implementadas para maior divulgação do trabalho da SAP e para o lançamento desta campanha, em breve.


A fachada do prédio.

O blog Daqui de Pitangui apoia as iniciativas a favor da memória cultural, da preservação e do resgate histórico de Pitangui e reconhece os esforços para manter a nossa cultura de pé (literalmente). Entendemos que o valioso acervo histórico de Pitangui, mantido pelo Instituto Histórico de Pitangui é uma referência para historiadores de todo o Brasil. Portanto, o museu em funcionamento e devidamente equipado é essencial para uma cidade histórica como Pitangui, para manter vivas as nossas origens, para atrair visitantes e pesquisadores e, consequentemente para aquecer a economia da cidade. Com a união de esforços, os bons ventos soprarão constantemente sobre Pitangui, rumos aos 300 anos.

Leonardo Morato.

Fontes:
- Pesquisa in loco.
- Jornal O Tangará ano XII – nº CLXXV – abril de 2012, pág. 5.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Pitangui na televisão


            Alguns pitanguienses devem ter estranhado a presença de uma equipe de filmagem na cidade entre os dias 2 e 6 de junho. Trata-se da produção do programa Triângulo das Gerais que em uma de suas edições abordará a cidade de Pitangui com alguns de seus aspectos históricos e culturais. Para tanto a equipe se valeu de artigos do blog daquidepitangui como fonte de algumas matérias como a distribuição de leite pelo Sr. Bernardinho, a confecção de pilões pelo Batista do Zé Boi, os causos de minha mãe e a aventura de pitanguienses atrás do tesouro da Cruz do Monte que foi comentada por Ricardo Lobato e contou ainda com o depoimento do barbeiro Vela.

Equipe do programa Triângulo das Gerais com Solange Soares (pousada Dr. Dito), 
Barrica e Vandeir Santos nas minas do Batatal. Foto: Cláudio Faria

            Outros entendidos das questões pitanguienses também deram a sua contribuição como Marcos Antônio de Faria (Barrica), Maria Helena Caldas (Lelé), D. Adelan, Valéria Schmitt, Vandeir Santos, Professor Licínio e Hugo Castro da cidade de Pompéu que discorreu sobre Maria Joaquina. Segundo a equipe as matérias serão veiculadas a partir de agosto e ficaram de nos informar das datas assim que estiverem definidas.

Equipe dirigindo atores para a encenação de um causo no alto da Cruz do Monte
Foto: Cláudio Faria

       Foi uma excelente oportunidade para dar visibilidade ao município e aos aspectos históricos e culturais da cidade. Ficamos satisfeitos em saber que o nosso trabalho serviu de referência, sinal de que o blog cumpre com o seu objetivo de promover, divulgar e valorizar tudo aquilo que é DAQUIDEPITANGUI.

Vandeir Santos

Nos seus 300 anos, as histórias e estradas de Pitangui também são Reais        

sábado, 16 de junho de 2012

Narrando um Conto

Igreja de São Francisco -  abril de 2012.

Em abril, realizando algumas pesquisas em Pitangui com o amigo Vandeir Santos, nos encontramos com o senhor Manoel Ricardo da Rocha Fiúza, atual presidente da SAP –Sociedade dos Amigos de Pitangui e do Conselho do Patrimônio Histórico do Município. Conversando sobre assuntos diversos e relacionados à cidade, o Frei Manoel compartilhou conosco um fato que presenciou. Com uma narrativa poética, ele disse que recentemente ao chegar em casa à noite observou que tinha uma pessoa inerte, encostada no muro do adro da Igreja de São Francisco. Ao se aproximar constatou que era um homem que estava em oração e, ao interpelá-lo, o mesmo disse que estava orando a São Francisco e Santa Clara. Fiúza nos contou que a cena o marcou, pois o tal homem (em uma analogia), parecia “um profeta do Aleijadinho em Congonhas do Campo”, parecia fazer parte do conjunto arquitetônico da igreja e que teve vontade de escrever sobre aquele fato. Então, em prosa e verso, tomamos a liberdade de escrever como poderia ter sido a oração daquela noite.


Sr. Manoel Fiuza

Oração a São Francisco de Assis de Pitangui

Ó Glorioso São Francisco,
Protetor da natureza e dos animais.
Santo amigo da ecologia, do patrimônio natural.
E por que não, do patrimônio cultural?
Estou aqui para contemplar teu templo,
Para admirar a beleza desta obra, inaugurada em 1873.
Quanta história, quanto trabalho e quantas orações aconteceram nesta Igreja.
Quantos casamentos, vigílias e funerais.
Várias e diversificadas lembranças me vêm à memória,
E à memória de muitos pitanguienses e visitantes.
Quantas cerimônias e canções foram realizadas sob o altar deste templo.
Quantos namoros, serenatas e encontros aconteceram no adro da Tua Igreja,
Enquanto esperava-se  a lua cheia nascer atrás da serra.
Venho aqui, louvar-te, agradecer-te porque a estrutura da igreja está recuperada e templo está de pé.
E pedir-te, que intercedas por nós São Francisco.
Para que, o quanto antes os recursos sejam liberados,
para que possamos ver este Santuário totalmente restaurado.
Colorido, de roupa nova e de portas abertas ao repicar do sino centenário.
Convidando toda a comunidade para uma grande festa.
Com procissão, mirra, velas e banda de música,
Um patrimônio vivo e em movimento.
Devolvendo este templo histórico à tricentenária Pitangui.
Assim te peço ó Glorioso São Francisco. 

 Texto e fotos: Leonardo Morato.

O adro da Igreja.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

A agenda deste fim de semana

Mazinho. Foto divulgação.

Eis que chega o fim de semana de novo! Boas opções de sexta a domingo é o que não vai faltar, confirma a agenda deste fim de semana:

- Na sexta no Bar & Pizazaria Contemporâneo tem show acústico com o músico Pitanguiense Mazinho, tocando o melhor da MPB e outros estilos.

- Também na sexta tem samba e pagode no O Pote  com banda Pura Amizade.

- Confome a programação dos 297 anos de Pitangui, no sábado dia 16 tem a Passarela da saúde, a partir das 9 hs na Antiga Rodoviária.


- No domingo dia 17 pela manhã acontece o 5º Encontro de Carro Antigos de Pitangui, à partir das 9 hs no Resaurante Varandão. Participe!


Foto: Licínio Filho.

- E no domingo à noite, a convite da Secretaria de Cultura de Pitangui, o Coral Acordos & Acordes fará uma apresentação na Igreja Matriz, no dia 17/06/2012, às 20h. Músicas de Bach, Verdi, Villa-Lobos e, em especial, do pitanguiense Ranulpho Nunes. Regência da maestrina Marisa Simões. Imperdível!

 
Foto: Divulgação.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Santo Antônio da Penha

 A capela enfeitada para a celebração em homenagem a Santo Antônio.

Hoje, 13 de junho é dia de Santo Antônio, que também é cultuado em Pitangui. Durante todo o dia fiéis se revezam na visita à capela e nas orações ao Santo. Às 18:30 hs haverá procissão saindo da capela de Nossa Senhora da Penha e, às 19:00 hs será celebrada a tradicional missa campal, com a benção dos pães. Logo após a missa tem uma barraquinha com comidas típicas, organizada pela comunidade do bairro da Penha. Participe desta importante manifestação religiosa de nossa cidade.

 Altar lateral com o oratório de Santo Antônio.
Fotos. Leonardo Morato.

A história de Santo Antônio

Antônio é conhecido como o Santo Casamenteiro e das causas difíceis. Nasceu em 1195 em Lisboa, Portugal e morreu em 1231 em Pádua, na Itália. A veneração ao Santo no Brasil ocorreu por intermédio dos potugueses, na colonização.
“Enterneciam-se diante da imagem os rudes desbravadores dos matos, os ousados bandeirantes. Mal acabavam os colonos de fixar residência, juntando-se a outros em pequeno arraial, não tardavam em levantar uma ermida, uma capela em honra do Santo querido e com o tempo ela se transformava em matriz. Caso, porém, não se consagrasse a matriz a S. Antônio, era obrigatório colocar a sua imagem no altar-mor ou num altar lateral próprio. Não eram, entretanto, somente os lugares religiosos onde se tributava veneração ao Santo lisbonense. Quiseram os nossos antepassados batizar com seu nome localidades, fazendas, fortalezas, rios, serras, botequins, lojas, boticas, açougues e até Agências do Correios”.
Fonte: RÖWER, Frei Basílio. Santo Antônio. Vida, milagres, culto. Petrópolis. Editora Vozes. 8ª ed. 1981. 

terça-feira, 12 de junho de 2012

Fincando Raízes

Capela da Penha. Foto: Arquivo do Blog.

"Cidade mais antiga do centro oeste de mg faz 297 anos neste sábado".

No link acima, no portal do G1 saiu uma matéria muito interessante sobre Pitangui, por ocasião do aniversário de seus 297 anos. A reportagem contou com a participação de autoridades e pesquisadores que enalteceram a terra, por meio dos relatos históricos. "Pessoas comuns" também foram entrevistadas e fizeram comentários deveras pertinentes sobre o cotidiano da cidade.

3ª Lavagem do Bandeirante. Foto: Cláudio Faria.

Por falar nisso, puxando a sardinha pro nosso lado, além de todo o contexto abordado, o que chamou atenção da turma do Blog (Licínio, Dênio, Leonardo e Vandeir) foi o relato do operador de máquina Eder Araújo, sobre a Lavagem do Bandeirante, uma iniciativa realizada há três anos: "Uma vez por ano a gente junta uma galera com sabão em pó, caminhão-pipa, vassoura e lava a estátua todinha"

1ª Lavagem do Bandeirante. Foto: Arquivo do Blog.

Em uma "reunião de trabalho" realizada no último dia 10 (após dar boas risadas), fomos unânimes em concordar que a Lavagem do Bandeirante tem tudo para virar tradição no carnaval de rua de Pitangui estimulando o resgate histórico (alías a ideia é essa). Por que se o acontecimento está no consciente popular está fincando raízes e a participação das pessoas tem um grande efeito multiplicador.


2ª Lavagem do Bandeirante. Foto: Arquivo do Blog.

Já pensando na IV Lavagem do Bandeirante (no domingo do carnaval de 2013), lançamos hoje a ideia do bloco das Viúvas do Domingos (Rodrigues do Prado), onde os marmanjos se vestirão de mulher, simbolizando a cidade que ficou viúva do Bandeirante Paulista.
 

Arte: Barrica e Renato.

Acreditamos que a forma lúdica e irreverente despertará o interresse de mais pessoas em conhecer e pesquisar sobre a história de Pitangui e, consequentemente valorizar o patrimônio cultural. Parcerias para o evento já são bem vindas. E-mail: daquidepitangui@gmail.com
 

3ª Lavagem do Bandeirante. Foto: Charles Aquino.