Seguidores

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Eiras e beiras


Eiras de um casarão pitanguiense.
Foto: Paulo Salatiel.

Segundo algumas fontes históricas e a sabedoria popular, a expressão eiras e beiras provém analógicamente da arquitetura colonial do Brasil. As casas dos cidadãos com algum recurso tinham eira, um prolongamento do telhado que servia como proteção para a chuva. As casas das pessoas mais ricas tinham, além das eiras, beiras (e até tribeiras) - ornamentos sobre as eiras.  Ou seja, era uma forma de ostentação, de riqueza. Não ter eira nem beira significava ser pobre, não ter posses. Daí vem a expressão.

Embarcando no trem da história, como pitanguienses (de nascimento, de sangue e ou de coração) nos orgulhamos por termos eiras & beiras. Não no sentido de posse, de poder,  mas de tradição, de raiz, de ter história para contar e de alegria ao apreciar os nossos patrimônios.

Fonte: http://historiaparacompreenderomundo.blogspot.com.br/2010/11/o-significado-de-nao-se-ter-eira-nem.html


3 comentários:

  1. Bem lembrado, Léo. Muitas expressões que usamos ainda hoje têm origens no período colonial.

    ResponderExcluir
  2. Ainda bem que existe a história... não é mesmo Licínio!

    ResponderExcluir
  3. Fiquei sabendo desse negócio de "eiras e beiras" com um guia turístico em Ouro Preto, MG. Os guias de Pitangui são os editores do blog. Parabéns!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.