Seguidores

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Folia de Reis no Engenho Velho

Foto: Licínio Filho
No sábado, 01, tive a oportunidade de assistir a uma Folia de Reis muito bacana. Meu cunhado, Renato Cordeiro fez o convite para irmos à casa de um amigo dele, onde ocorreria a folia. Convite aceito, fomos eu, Rosenice e Pedro para a casa de minha sogra em Vargem Grande. No sábado à noite, o cunhado, junto com sua família nos pegou para irmos até a casa do Pedro da Neca, em Engenho Velho.

Foto: Licínio Filho

Depois de alguns minutos percorrendo estradas de terra, chegamos à casa do Pedro da Neca, uma pessoa muito agradável e hospitaleira, que nos recebeu e nos deixou muito à vontade. Como de praxe  nas casas da região de Pitangui, uma saborosa janta foi servida aos convidados. Uma turma jogava truco saboreando uma cachacinha,em meio aos gritos de Truco! Vale seis! A meninada corria de um lado para o outro, rodas de conversas se formavam, à medida em que ia chegando mais gente. O céu era pura estrela.

Foto: Licínio Filho

Lá pelas 23:00 horas  anunciaram a chegada da folia, as luzes se apagaram, 
sanfona, violão percussão e cantoria. Perguntei de onde era a Folia e me responderam 
que era de Ponte Correia

Foto: Licínio Filho

Batida na porta para chamar os moradores até que as luzes se acendem novamente. 
A porta da residência se abre e a Folia adentra. Na sala, é recebida pela família.

Foto: Licínio Filho
Depois, a Folia volta para o terreiro, os convidados abrem espaço e os foliões começam a dançar.

Foto: Licínio Filho

O ritual da Folia de Reis é muito interessante, os Reis Magos ( também chamados de palhaços) pedem aos presentes doações, geralmente, em benefício de uma Igreja. As pessoas que contribuem pedem que os foliões dancem mais, alguns exigem certos passos típicos da Folia, como o Serrador, o Caranguejo e outros.

Foto: Licínio Filho
Me chamou a atenção, o preparo físico dos mascarados, que dançam o tempo todo.
 Em certo momento ocorrem evoluções acrobáticas, que exigem muito preparo físico e habilidade.

Foto: Licínio Filho
E a Folia vai cantando, dançando, fazendo brincadeiras que envolvem os presentes.
Quem pede para os foliões dançarem pagam o "trabalho".
E a cachacinha passando de mão em mão.

Foto: Licínio Filho
Depois e´posta uma mesa farta de quitandas e é servido um café para todos.
Saímos de lá na primeira hora da madrugada de domingo.
Como é rica a cultura popular!
Aproxima as pessoas como iguais e reforça o sentimento de pertencimento.
Ao Pedro, à Dona Neca e toda sua família nosso agradecimento pela hospitalidade.

4 comentários:

  1. Tá ficando dificil ler esse blog... a gente le um post e já quer ler outro e mais outro.... rsrrsrsrs... parabens pela postagem, Licinio. De fato, é importante destacar essa cultura rica que remanesce nos cantinhos da nossa Minas Gerais. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luíza. É sempre bom tê-la por aqui.
      Buscamos postar diariamente temas e assuntos que despertem o interesse de nossos visitantes, como acontece com você. Obrigado por nos prestigiar, isto nos motiva bastante a continuar buscando novas fontes para futuras postagens.
      Um fraterno abraço.

      Excluir
  2. Bela postagem professor, a combinação das imagens com a dissertativa ficou perfeito. É isso aí cultura na prática, na rua, na praça, no quintal e ao alcance de todos. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Léo. Precisamos descobrir e valorizar a cultura popular de nossa cidade e região, né?!
      Abraço.

      Excluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.