Seguidores

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Tiro de Guerra de Pitangui - 638

     Ao procurar por fotos antigas na casa do advogado Márcio Campos me deparei com um documento muito interessante. Trata-se da caderneta de instrução de tiro de João Bicalho Filho, pai da Guilhermina Bicalho esposa de Márcio, quando este serviu o Tiro de Guerra de Pitangui em 1920.



O primeiro Tiro de Guerra surgiu em 1902 na cidade de Rio Grande (RS) então como uma sociedade de tiro ao alvo com instrução militar a qual era denominada Linhas de Tiro. Em 1916 com o incentivo da campanha de Olavo Bilac em favor do serviço militar obrigatório a municipalidade e o exército se unem e transformam a sociedade no primeiro Tiro de Guerra do Brasil. Imediatamente este tipo de estrutura militar se espalhou por várias cidades do país. A instituição é  encarregada de formar reservistas para o exército. Os TGs são estruturados de modo que o convocado possa conciliar a instrução militar com o trabalho ou estudo. 
Registro do resultado do treinamento de João Bicalho com fuzil Mauser 7mm 

Pesquisando os arquivos do antigo  Ministério da Guerra na internet é possível observar que o Tiro de Guerra de Pitangui é criado em 1919 com o número 638.Não é possível saber se as instruções se iniciaram neste ano ou  se a turma de João Bicalho foi a primeira a ser instruída. Por outro lado também não foi possível saber por quanto tempo durou esta estrutura na cidade. Na internet a sequência de relatórios se encerra em 1925 com o nome de Pitangui ainda constante na Relação das Sociedades de Tiro Confederadas. No entanto, a partir de 1922 o nome da cidade está precedido de dois hífens (=) sem que não é possível saber o que significa este sinal. Além de Pitangui constam da relação as cidades de Dores do Indaiá nº 563, Abadia (Martinho Campos) nº 613 e Abaeté nº 629

Além de João Bicalho sabe-se que o ex-prefeito Antônio dos Santos também foi aluno do TG 638.

Atualmente as cidades mais próximas a Pitangui que possuem este tipo de estrutura são Bom Despacho (04-006), Itaúna (04-009), Divinópolis (04-0190) e Formiga (04-030). Solicitamos aos leitores de pitangui que os informem da existência de outros pitanguienses que possam ter sido alunos do Tiro de Guerra 638. Fotos também são muito bem vindas.

Vandeir Santos








2 comentários:

  1. De Pitangui, velha de guerra
    não fazia noção desse Tiro
    e ao cabo do ano que se encerra
    cada vez mais, Daqui, te admiro...

    Paulo Miranda

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.