Seguidores

sábado, 2 de maio de 2015

Outro olhar: a Cia. de Tecidos

Foto Licínio Filho

Foto: Licínio Filho

6 comentários:

  1. Trabalhei nesta empresa durante 4 anos, e lembro com muita saudade dos amigos que lá fiz. É muito triste constatarmos que o progresso e a tal globalização acabaram com tantos negócios que sustentaram famílias inteiras por décadas.Quantos pais de família (e mães também) levaram o sustento da casa trabalhando nesta fábrica, que hoje está desativada. Muito triste...


    ResponderExcluir
  2. Também fui ali operário
    mas não passei de aprendiz
    se ganhava meio salário
    por inteiro era feliz....

    ResponderExcluir
  3. Eu também me lembro bem de fábrica, mas nunca tive a oportunidade de trabalhar lá. A colega Girlene e o amigo Paulo falam com sabedoria e eu endosso as suas palavras. Quanta falta esta empresa está fazendo em nossa cidade! Onde está a política que não trás um grande empreendedor de pulso, que monte em Pitangui uma organização de respeito e que acolha a comunidade novamente?
    A grande chaminé continua lá, como se implorando para ser vista. Eu até me lembro do apito da fábrica, como também me recordo do apito do trem quando estava chegando na Estação.
    Quero ter SAUDADE sempre, mas TRISTEZA de forma alguma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já que você falou no apito da chaminé de barro, José Carlos, por quê não inclui Noel no seu repertório?
      Abraço, do Paulo

      Excluir
    2. Oi Paulo gostei da sugestão. Abraços.

      Excluir
  4. Realmente é muito triste ver o fim melancólico desta Empresa, na qual dei o maximo de meu trabalho, participando como Gerente dela nos anos 60.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.