Seguidores

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Marcos Antônio de Faria lança novo livro amanhã


Coleção “Pitangui 300 anos” ganha
 livro sobre história do futebol no município


Pitangui é um município que respira futebol. A maior prova disso é que a cidade conta com seis estádios, dos quais cinco equipados com iluminação para jogos noturnos. A história do futebol em Pitangui está sendo contata no livro “De gol em gol”, escrito por Marcos Antônio de Faria, o Barrica. O livro será lançado nesta quinta, às 17h, na “Tenda da Literatura de Pitangui e suas cidades irmãs”, na praça Plínio Malachias, em Pitangui.

Para produzir o livro, Barrica fez uma extensa pesquisa sobre os atuais times, bem como sobre os times que não existem mais, como o Industrial e o Serrano, que, no passado, tiveram uma rivalidade semelhante à que têm hoje o Clube Atlético Pitanguiense (CAP) e o Pitangui Esporte Clube (PEC), cujos estádios ficam um ao lado do outro, no bairro do Lavrado.

Para contar a história do futebol em Pitangui, Barrica entrevistou 33 ex-jogadores e fez extensa pesquisa em jornais da cidade. O autor fez também um minucioso levantamento de imagens que mostram a formação dos principais times da história do futebol de Pitangui ao longo dos últimos quase cem anos. Todas essas imagens também estão no livro.

O futebol chegou a Pitangui em 1918, pelas mãos de um operário que trabalhava na obra de construção da matriz da cidade em substituição à que foi destruída por um incêndio, em 1914. Foi ele quem levou para Pitangui a primeira bola de futebol. As “peladas” eram realizadas no Alto da Cavalhada, atrás da capela de São Francisco, à tarde, logo após o encerramento dos trabalhos da obra da matriz. A partir daí, começaram a surgir os times de futebol. O primeiro foi o Oliveira Esporte Clube, fundado em 1919. Em suas 300 páginas, O livro contra a história de 36 times, muitos dos quais já extintos, incluindo os que eram formados apenas por crianças.



Coleção Pitangui 300 anos

“De gol em gol” é o quarto título da Coleção Pitangui 300 anos. O primeiro é “A construção do tombamento”, do jornalista Marcelo Freitas, que conta a história do tombamento do centro histórico de Pitangui, ocorrido em 2008. O segundo livro é “Tão Longe, tão perto”. Foi escrito pelo jornalista Ricardo Welbert e mostra com é o cotidiano nos povoados de Pitangui. O terceiro livro é “O palco e a tela”. Foi escrito pelo historiador Licínio Filho e conta história do teatro e do cinema em Pitangui.

A Coleção Pitangui 300 anos tem o patrocínio da Celulose Nipo-Brasileira (Cenibra) via Lei de Incentivo à Cultura do governo federal.

Para mais informações:
Marcelo Freitas, coordenador do projeto: (31) 98764-8896
Marcos Antônio de Faria (Barrica) (37) (37) 99956-2139

2 comentários:

  1. Co´esse que já pegou tudo
    quero só ver o que diz
    quando afirmo que não iludo
    dos meus três gols que lá fiz

    ResponderExcluir
  2. Desde que foi lançado, o livro "De gol em gol: a história do futebol em Pitangui" tem mostrado a muita gente que a sétima vila do ouro de Minas Gerais é muito mais do que apenas alguns casarões antigos. As pessoas que viveram em solo pitanguiense ao longo desses três séculos de municipalidade fizeram muito pelo lugar, em várias áreas. Uma delas, o esporte. O pesquisador Marcos Antônio de Faria (Barrica) dedicou décadas a pesquisas sobre essa gente. Recorreu aos arquivos do Instituto Histórico de Pitangui para ler reportagens de jornais de várias épocas, que narraram as peripécias dos astros locais. Gastou muita sola de sapato em busca de fotos dos times de futebol sobre os quais fala em seu livro. Muitas dessas imagens, belos e importantes registros, compõem o miolo do livro. Essa é uma obra de enorme valor histórico e cultural. Todo pitanguiense precisa apreciá-la e tê-la bem protegida em sua estante, como um presente à posteridade.

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.