Seguidores

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Encontro Marcado



Será neste domingo, dia 4 de dezembro, no restaurante Rancho Fundo, o lançamento em B.H. dos livros da Coleção Pitangui 300 anos. Além das importantes celebrações que ainda ecoam em torno dos 300 anos de Pitangui, completados em 9 de junho de 2015, as obras literárias serão os marcos que ficarão para as futuras gerações. E para que haja transformação de fato, essa será por meio da educação, da leitura que lança luz sobre a nossa história, sobre os nossos dias. Pitanguienses e amantes da literatura em Belo Horizonte, prestigiem o evento!


********************

RESENHA
(janeiro de 2016)

É bom começar o ano com novos livros em mãos, trata-se de dois exemplares da série Pitangui 300 anos: Tão longe, tão perto. A vida nos povoados de Pitangui – do jornalista Ricardo Welber e O palco e a tela. O teatro e o cinema em Pitangui – do historiador Licínio Filho. Antes de falar sobre estas obras, é preciso mencionar o primeiro livro da série: A construção do tombamento - do jornalista e idealizador do projeto, Marcelo Freitas.

Neste livro inaugural Freitas publicou sua pesquisa sobre o complexo processo de tombamento (ainda que tardio) do Centro Histórico de Pitangui, os trâmites, processos, pessoas envolvidas e as opiniões divergentes sobre o feito. Como Turismólogo, entendo que para ser atrativa e despertar o interesse do visitante em conhecê-la a cidade precisa ter os seus diferenciais, portanto, concordo com a proposta de conservar as edificações antigas (de várias épocas) e as características originais da cidade, preservando o que ainda temos. Porém, só o tombamento em si não é suficiente para resguardar (os imóveis e os proprietários) e promover o patrimônio histórico-arquitetônico da cidade. Outros fatores como realizar atividades culturais e disponibilizar equipamentos turísticos são necessários para ocupar esses espaços públicos, ações que parcialmente veem sendo realizadas. Sobre este tema – ocupação turística do Centro Histórico - aprofundaremos a discussão, quem sabe, em outra oportunidade. “No caso de Pitangui, onde o tombamento ocorreu sete décadas depois que o das primeiras vilas do ouro de Minas, a diversidade arquitetônica é o fato mais marcante (...)” (Marcelo Freitas).

Sobre o segundo livro, é preciso destacar o trabalho do autor que, com pouca idade, já acumula grande experiência nos meios de comunicação e tem feito relevantes trabalhos para a cidade. Pela introdução da obra percebe-se que o Welbert, em sua peregrinação atrás da notícia no meio rural, aborda temas antes não explorados, como por exemplo, o dia a dia das comunidades, suas características e dificuldades, incluindo-as como parte integrante e útil ao Município. E, em uma linguagem simples e objetiva dá voz às pessoas e revela as tradições dos lugares, fornecendo subsídios para a formação de futuros roteiros de turismo rural. “Em certos lugares há comida de sobra. Em outros, famílias inteiras dividem uma quantidade muito pequena de alimentos” (Ricardo Welbert).

Já em O Palco e a tela, 3º livro da série, o prof. Licínio – fundador do Blog Daqui de Pitangui, juntamente com o amigo Dênio Caldas – estabelecido em Pitangui desde 1999, nos presenteia com o seu vasto conhecimento sobre a história, relatando na introdução da obra os acontecimentos socioeconômicos que ocorriam concomitante e paralelamente no mundo e que influenciaram a vida (hábitos, práticas, pensamento) na pacata Pitangui dos séculos 19 e 20, incluindo o teatro e cinema. “O atual processo de valorização do passado, tendência que ganhou força no final do século XX e início do século XXI, aponta para o estabelecimento de uma nova relação identitária entre as pessoas e os lugares” (Licínio Filho).

Para dar sequencia às leituras encerro por aqui as minhas primeiras percepções sobre as obras, convencido de que os livros da série Pitangui 300 anos, além de resgatar as diversas facetas da nossa história, serão importantes fontes de informações para ampliar a nossa reflexão, formar conceitos e para estimular práticas culturais.

************

O livro do Barrica, De Gol em Gol, eu ainda não o li totalmente, mas, pelas páginas apreciadas pude perceber que também trata-se de uma excelente obra. Abordando o futebol como tema central - sua origem, características e evolução até os dias de hoje - o autor aborda outros fatos ocorridos na Sétima Vila do Ouro das Gerais, no início do século XX, como a chegada do trem de ferro. Não deixem de ler!

Leonardo Morato
Blog Daqui de Pitangui




5 comentários:

  1. A essa trinca valorosa
    nossa Pitangui muito deve
    levando-nos na boa prosa
    bem vale pelo que escreve...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nobre Paulo Miranda,
      que por aí tanto anda,
      obrigado pelas palavras.
      Falamos delas na ciranda.

      Excluir
  2. Tive o prazer de estar com esta trinca no Restaurante Rancho Fundo hoje e receber o autógrafo de todos eles na minha coleção dos 300 anos de Pitangui.
    Que encontro legal e que tarde agradável.
    Parabéns colegas escritores.
    Abraços
    Zé Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Zé Carlos.
      Foi ótimo reencontrá-lo no lançamento em Belo Horizonte, espero em breve revê-lo.
      Um fraterno abraço.

      Excluir
  3. Grande Zé Carlos! Foi um prazer imenso recebê-lo no lançamento. Ficamos muito felizes e agradecidos por sua presença. Desejamos que a leitura permita-lhe conhecer outros aspectos da tricentenária Pitangui. Estamos sempre à disposição. Abraço!

    P.S.: Alguns registros do lançamento podem ser conferidos também neste link: http://www.povoadosdepitangui.com.br/2016/12/livros-sobre-pitangui-sao-lancados-em.html

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.