Seguidores

terça-feira, 25 de abril de 2017

O jogo do bicho em Pitangui

O jogo do bicho é uma bolsa ilegal de  apostas em números que representam animais. Foi inventado em 1892 pelo barão João Batista Viana Drumond, fundador do Jardim Zoológico do Rio de Janeiro. 
A fase de intensa especulação financeira e jogatina na bolsa de valores nos primeiros anos da  república brasileira imprimiu grave crise ao comércio. Para estimular as vendas, os comerciantes instituíram sorteios de brindes. Assim é que, querendo aumentar a frequência popular ao zoológico, o barão decidiu estipular um prêmio em dinheiro ao portador do bilhete de entrada que tivesse a figura do animal do dia, o qual era escolhido entre os 25 animais do zoológico e passava o dia inteiro encoberto com um pano. O pano somente era retirado no final do dia, revelando o animal do dia. Posteriormente, os animais foram associados a séries numéricas da loteria e o jogo passou a ser praticado largamente fora do zoológico, a ponto de transformar a  capital da República (de 1889 a 1960) na "capital do jogo do bicho".
Atualmente, o jogo do bicho continua a ser praticado em larga escala nas ruas das principais cidades do Brasil, não obstante ser considerado uma contravenção pela legislação penal brasileira.
Fonte: Wikipédia (https://pt.wikipedia.org/wiki/Jogo_do_bicho)
Não se sabe quando o jogo chegou a Pitangui e nem quem foi o primeiro "bicheiro" da cidade, mas em 1931 ele já existia na Velha Serrana e sentido-se incomodada com essa modalidade de jogo a cidadã Helena Pires escreve ao então secretário de estado de segurança pública Gustavo Capanema solicitando a ele providências contra a prática do jogo e contra a "quadrilha perigosa" que o movimentava na cidade. 

"Ilmo. Exmo. Sr. Dr. secretário da segurança pública de Minas Gerais
Saudações

O momento é como se vê de economia. Os governos procuram na medida de suas forças suavizar questões de modo incrementar a grandeza coletiva. Assim faz o governo central secundado pelos governos estaduais. Mas, infelizmente, assim não sucede nos governos municipais, cuja inépcia e descaso deixam que os municípios se afundem no lamaçal da desgraça! Assim é por exemplo, Pitanguy. Por quê? Porque sendo uma cidade pobre, vai-se tornando há muito, um foco de jogatina desenfreada e perigosa. Deixamos de parte os jogos de azar para nos ocupar tão somente com o jogo do bicho. E nesse sentido não precisamos de ir longe; são bem conhecidas as circunstâncias desgraçadas desse jogo. Aqui, em Pitanguy, tem se tornado livre de modo que é vendido nas ruas, nos negócios e em toda parte. Não precisamos dizer que o atual delegado assim consente isto muito embora contra o clamor público. Sem mais, comentário nesse sentido, chamamos a esclarecida atenção de V. Exa. Certo de que não será em vão. Os banqueiros são useiros e vezeiros na arte de ludibriar e roubar o povo. São eles: Juca da Busica, José Caixote Juca do Hotel. Esta quadrilha perigosa está há muito cavando a desgraça deste povo. Urge, depois, uma providência por parte do Estado. Não queremos tal jogo. Apelamos para os altos sentimentos de V. Exa.

Sem mais, deus guarde V. Exa.

Helena Pires

Pitanguy, 08 de setembro de 1931"

Fonte: CPOC - Fundação Getúlio Vargas (http://docvirt.com/docreader.net/DocReader.aspx?bib=ARQ_GC_B&PagFis=8272&Pesq=)



Segundo afirma Maria da Conceição Teixeira, neta de Juca do Hotel,  quem estava envolvido com o jogo do bicho era seu avô paterno, Juca da Joaninha. Ainda segundo ela o tio Zé caixote nunca esteve envolvido com a contravenção. A falta de memória histórica na família de alguma prisão ou processo indica que muito provavelmente a denúncia de D. Helena não procedia, o jogo realmente existia na cidade mas os protagonistas eram outros e mesmo sendo contraventores não eram pessoas perigosas que pudessem representar algum perigo para a sociedade. Mal sabia a denunciante que a prática se tornaria comum no cotidiano brasileiro muito embora ainda seja considerado contravenção. Enquanto isso, uma folclórica e caprina figura pitanguiense vai dando aos cidadãos a oportunidade de fazer uma fezinha. Alguém tem um palpite aí?

Vandeir Santos 


Um comentário:

  1. Será que o bichou pegou
    quando a denúncia se fez
    ou Leninha exagerou
    só por ter perdido a vez?

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar nossa postagem. Ah... não se esqueça de se identificar.